Diário de leitura: O retorno do rei #3 - Sam é meu hobbit favorito!

22 de agosto de 2017

Hoje é dia de continuar o diário de leitura de O Senhor dos Anéis no Estante da Nine e já posso adiantar que finalizei o livro e em breve teremos mais conteúdos sobre o universo de J.R.R. Tolkien por aqui. O resumo da vez é o penúltimo de O retorno do rei e desta vez separei os tópicos de acordo com os capítulos lidos. Então vamos conversar sobre esse universo sensacional?

O primeiro capítulo lido desta 2ª atualização (lá em cima é 3 porque o primeiro vídeo é de cronograma), é A pira de Denethor, trecho que mostra como Sauron conseguiu encobrir a visão de muitos homens com as sombras e o primeiro trecho do livro 3 que realmente me deixou chateada com os humanos da história. Detestei Denethor. A seguir li As casas de cura, meu capítulo favorito do livro porque mostra como os feridos são tratados, um misto de ciência, conhecimento popular e magia. Os hobbits, se superando mais uma vez, mostram como são importantes para a história.

O último debate é o capítulo que mostra como Gandalf realmente é parte fundamental da trama para combater o mau. Tolkien expressa isso de diversas maneiras ao longo de O Senhor dos Anéis, mas é em O retorno do rei que fica evidente. O portão negro se abre é daqueles trechos cheios de tensão, onde alguns terão que se sacrificar para que outros possam triunfar. O autor colocou todos os elementos de guerra no livro, e apesar do universo fantástico é muito fácil fazer analogias com o presente e outros trechos da história mundial.

A torre de Cirith Ungol é o capítulo que marca a volta de Frodo e Sam para a história. E por falar nisso, só entre o livro 2 e 3 é que entendi que a presença dos dois hobbits é muito mais simbólica do que presente. Tolkien passa longos trechos sem contar para o leitor onde estão o portador do anel e seu amigo, e cria assim expectativas diferentes sobre a jornada dos hobbits.

O último capítulo lido nesse trecho do diário de leitura é A terra da sombra e seguimos com os hobbits. Não vou mentir que achei algumas situações convenientes durante o progresso de Frodo e Sam na terra de Sauron, mas como outros momentos foram difíceis, relevei. Além disso, confirmei que além de Gandalf, Sam é também um dos meus personagens favoritos. Outros comentários ficam para a próxima atualização. Vocês já leram O Senhor dos Anéis?

Se preferir, assista ao vídeo com as impressões da 2ª parte de O retorno do rei

Beijos!

Meta da semana: 20 a 26 de agosto

20 de agosto de 2017

Agosto é o mês que dura uma eternidade, mas em 2017 isso não aconteceu. Pisquei e me dei conta que já é dia 20 e minha meta ambiciosa de leituras do mês não está nem perto de se concretizar. Por isso, para a próxima semana eu escolhi os dois livros em andamento, que estão comigo nesses últimos dias, e que espero concluir, para então escolher a última leitura do mês.

As ondas de Virginia Woolf é minha leitura da bolsa e estou na metade do livro. Depois da estranheza inicial a história fluiu com mais facilidade e espero dar um gás nessa leitura para terminar e escolher outro livro como opção para ler no ônibus, filas e intervalos ainda neste mês, que por enquanto está devagar. A última semana de trabalho atrasou minhas leituras, mas faz parte, e espero que a próxima seja melhor.


O vermelho e o negro de Stendhal é minha leitura atual e o clássico do mês. Li até a página 90 e até agora o autor escreve principalmente sobre o contexto da cidade, seus hábitos e figuras simbólicas. O tema central do livro já foi apresentado, mas a partir do ponto em que estou é que deve se desenvolver. Por enquanto não tenho opinião sobre a história, mas tem cara daquelas experiências controversas como O amante de Lady Chatterley e Madame Bovary. O que vocês vão ler na próxima semana?

LIVROS
As ondas de Virginia Woolf (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)

Beijos!

Foto: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 27

15 de agosto de 2017

O resumo do projeto Leitura todo dia está atrasado aqui no blog, mas lá no canal (já é inscrito?) o compilado com os livros lidos entre os dias 02 e 08 de agosto saiu há alguns dias. A primeira história a aparecer por aqui é Vou cuspir no seu túmulo de Boris Vian, enredo cheio de violência, sexo e racismo, e leitura rápida e intensa para quem gosta de uma literatura mais alternativa e pesada. Esse também foi o livro concluído da semana 27, que teve então a meta cumprida.

No Kindle a escolha foi A cor púrpura de Alice Walker, história construida através de cartas que a protagonista Ceile escreve primeiro para Deus e depois para um familiar relatando sua vida, dificuldades e mudanças. O começo do livro me deixou bastante melancólica, mas em certo ponto existe uma mudança significativa na vida da personagem e muita esperança passa a fazer parte de A cor púrpura. Leitura recomendada e em breve vou comentar mais sobre ele por aqui!

A semana 27 também marca a minha volta para O retorno do rei de J.R.R. Tolkien e já perto da conclusão da trilogia não tenho bem certeza se gostei (estou gostando, na verdade) da conclusão da história. Em alguns momentos eu esperei encontrar cenas memoravéis, sabe? Apesar disso, adorei ter tirado da estante esse enredo épico de fantasia.

Para finalizar esse resumo cito minha segunda escolha da bolsa da semana 27, As ondas de Virginia Woolf, história que como as experiências anteriores com a autora se mostrou difícil e confusa nas primeiras páginas. Talvez seja justamente isso que me chama a atenção na obra de Virginia Woolf, e também como ela consegue criar personagens tão diferentes vivendo tão próximos uns dos outros. A leitura segue em andamento e também vou falar sobre ela na semana 28. E vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 27 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Vou cuspir no seu túmulo de Boris Vian (compre na Amazon)
A cor púrpura de Alice Walker (compre na Amazon)
O retorno de rei de J.R.R. Tolkien (compre na Amazon)
As ondas de Virginia Woolf (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leituras de julho (2017) - O caçador de pipas, Psicose e A cama desfeita!

12 de agosto de 2017

Julho foi um mês repleto de leituras e tudo começou com o ebook Elevador 16 de Rodrigo de Oliveira, história sobre zumbis que me assustou de verdade. Eu normalmente não gosto de livros do gênero, mas o enredo tem conexão com planetas e um toque de ficção científica que me envolveu desde as primeiras páginas. Há alguns anos no Kindle, foi uma boa opção para começar o mês.

A canção das estrelas de Karen Soarele foi minha segunda escolha de julho, também no Kindle, e mais uma vez adorei conhecer uma história do universo de Myríade. Para quem gosta de fantasia infanto juvenil é dica certa e na Amazon há outros livros da autora, inclusive da série Crônicas de Myríade. O universo criado por Karen Soarele é envolvente, convincente e cheio de questões éticas relevantes. 

O caçador de pipas de Khaled Hosseini foi minha escolha da TAG 12 livros para 2017 e adorei a história. Depois de tanto tempo na estante, um dos mais antigos que comprei e passou anos sem ser lido, eu já não tinha tantas expectativas, mas foi um enredo e tanto sobre amizade, rivalidade, remorso, arrependimento, mudanças culturais e muito mais. Em breve tem opinião sobre o livro no Estante da Nine, blog e canal.

A trilogia de Nova York de Paul Auster foi outra leitura da meta concluída em julho e foi uma experiência cheia de altos e baixos. Eu não gostei das duas primeiras histórias, mas ao ler a 3ª tudo fez mais sentido, principalmente porque gostei da última, e comecei a ver o livro de outra maneira, com novas teorias que a principio não considerei. Para quem gosta de suspense e mistério vale a leitura.

Psicose de Robert Block foi outra boa leitura de julho e o último sorteado da minha TBR jar antiga (já mostrei por aqui minha nova TBR). Mesmo sabendo sobre a história e o enredo o livro me causou várias surpresas e muita tensão. Adorei e em breve tem comentário por aqui. A cama desfeita de Françoise Sagan foi a leitura da bolsa e existencialista do mês e apesar de difícil foi uma boa história. Falei mais sobre o livro no projeto Leitura todo dia e talvez no futuro eu escreva sobre ele por aqui.

No final de julho voltei para o Kindle com duas leituras de Machado de Assis: A metafísica das rosas e Filosofia de um par de botas, ambas leituras recomendadas e que eu adorei, principalmente a segunda. O mês terminou com Sempre foi você de Ana Lemos, livro hot que não gostei tanto assim, principalmente pela caracterização. E vocês, o que leram em julho?

Assista ao vídeo com as leituras de julho

LIVROS
Elevador 16 de Rodrigo de Oliveira (baixe na Amazon)
A canção das estrelas de Karen Soarele (compre na Amazon)
O caçador de pipas de Khaled Hosseini (compre na Amazom)
A trilogia de Nova York de Paul Auster (compre na Amazon)
Psicose de Robert Block (compre na Amazon)
A cama desfeita de Françoise Sagan (compre na Amazon)
A metafísica das rosas de Machado de Assis (baixe na Amazon)
Filosofia de um par de botas de Machado de Assis (baixe na Amazon)
Sempre foi você de Ana Lemos (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Meta de leitura: agosto (2017) - Muitos calhamaços!

10 de agosto de 2017

Conferi a minha meta de leitura entre as TAGs e listas para 2017 e confirmei: restaram os calhamaços. Então, como não há mais como fugir dos livros grandes, agosto está cheio de leituras ambiciosas e que eu espero cumprir (ou pelo menos parte disso). Vou começar pelo livro em andamento há algum tempo, O retorno do rei de J.R.R. Tolkien que espero finalizar neste mês. Sexta tem diário de leitura da trilogia, e por enquanto tem sido uma experiência peculiar e um pouco diferente do que eu esperava.

Dois livros da meta de julho seguem em agosto: O vermelho e o negro de Stendhal, o próximo clássico da minha lista e história que já está há alguns anos na estante, e Saco de ossos de Stephen King, livro que os leitores e inscritos comentaram ser ainda mais tenso que Misery, certamente precisava permanecer entre as opções de leituras.

Os três mosqueteiros de Alexandre Dumas entrou para a meta como opção da lista 5 autores clássicos para ler em 2017. Na verdade eu já li um livro do autor esse ano, O colar de veludo, e gostei. Por isso, apesar de já ter conhecido o trabalho dele mantive essa escolha na meta (e também porque assisti O homem da máscara de ferro e fiquei muito curiosa para saber se as histórias estão relacionadas).

Para terminar a meta de agosto inclui O pintassilgo de Donna Tart porque as recomendações de leitura foram sempre empolgadas. Esse livro também está na minha estante há alguns anos e sempre adiei porque é um calhamaço e tanto, mas vou tentar ler parte dele no mês (gostaria de todo, mas né). E vocês, já escolheram os livros para agosto?

Assista ao vídeo com a meta de leitura para agosto

LIVROS
O retorno do rei de J.R.R. Tolkien (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)
Saco de ossos de Stephen King (compre na Amazon)
O pintassilgo de Donna Tart (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Meta da semana: 06 a 12 de agosto

7 de agosto de 2017

Sim, a meta da semana está de volta. E originalmente o dia dela é o domingo, mas tudo bem. Eu estava com saudade da coluna e resolvi publicar de novo no Estante da Nine para conciliar com o projeto Leitura todo dia e também para me ajudar a organizar as leituras durante a semana já que com mais trabalho (ainda bem) os horários ficaram limitados. A meta da semana volta também para me ajudar a colocar em dia as metas literárias do ano.

A minha leitura em andamento é O retorno do rei de J.R.R. Tolkien e cheguei na metade do livro no final de semana. O diário de leitura da trilogia se estendeu mais do que eu imaginava, mas a meta é concluir a história até a segunda semana desse mês. Sem dúvida é o livro mais sombrio entre os três e espero gostar do desfecho, se bem que um acontecimento já me deixou chocada, hehehe.

Para a próxima semana as duas leituras escolhidas são Saco de ossos de Stephen King, que ficou pra trás da meta de junho e permanece na fila de livros para ler em agosto e também do mês passado tem O vermelho e o negro de Stendhal, provavelmente minha próxima leitura clássica e o primeiro que devo começar entre os dois. 

Hoje foi dia de começar uma nova leitura da bolsa e o escolhido da vez é As ondas de Virginia Woolf. Esse é meu terceiro contato com a autora, e as 30 páginas lidas foram um desafio e tanto. História extremamente simbólica, cheia de analogias e com um fluxo nada regular, embora lembre mesmo ondas. Estou gostando, mas não sei se entendendo. E vocês, o que estão lendo ou pretendem ler nos próximos dias?

LIVROS
O retorno do rei de J.R.R. Tolkien (compre na Amazon)
Saco de ossos de Stephen King (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)
As ondas de Virginia Woolf (compre na Amazon)

Beijos!

Foto: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

A minha nova TBR jar!!!

6 de agosto de 2017

Hoje o assunto é TBR jar e vou compartilhar com vocês como foi refazer minha jarra anos depois da primeira tentativa. Confesso que no começo, lá em 2013 ou 2014, eu não li com frequência as sugestões sorteadas, mas com o passar do tempo se tornou divertido, e até surpreendente porque esqueci muitas histórias que inclui na lista, e a TBR jar voltou a fazer parte da minha rotina de leitura.

Como vocês puderam acompanhar ao longo dos últimos meses e dos sorteios recentes, muita coisa da minha TBR jar estava ultrapassada, com muitos livros lidos e outros que já doei ou troquei faz tempo. Por isso acelerei as leituras e sorteios para enfiam concluir a jarra antiga (sim, talvez eu tenha certa fixação com finalizações), e fazer uma nova seleção.

Para organizar a nova TBR jar escolhi quatro critérios para me ajudar tanto a selecionar livros na estante, como também para controlar as leituras no decorrer dos próximos meses. Minha ideia inicial era incluir um determinado número de histórias na jarra, mas escolhi abaixo da previsão porque meu interesse por esses livros pode mudar nos próximos meses e assim no futuro eu posso organizar de novo a TBR jar conforme meus interesses.

Meus critérios para a nova TBR jar:
  • até 20 livros (escolhi 18 no total)
  • livros únicos
  • livros parados na estante e/ ou compras no sebo
  • começar a leitura em até uma semana após o sorteio

Outra diferença entre a TBR jar antiga e a nova é a aparência. Eu sei que isso não conta muito, já que o objetivo é ler livros, mas na versão antiga, por manter hábitos ruins na época, eu tinha um número absurdo de post its parados. Dois, quase três anos depois, eu me tornei uma consumidora mais consciente e já não acumulo itens que eu gosto de comprar com frequência, como material de papelaria, portanto reaproveitei folhas antigas de cadernos dos tempos de escola que estão lá na mãe e eu desmancho para fazer rascunho.

Vídeo sobre a minha nova TBR jar publicado no canal do Estante da Nine

Então é isso. Espero que tenham gostado de conhecer a minha nova TBR jar e que o post tenha inspirado vocês a também organizar uma meta de leitura. Para saber quais são os 18 títulos da jarra é claro que todos terão que acompanhar os próximos vídeos da coluna e também espero sugestões nos comentários de temas para publicações no Estante da Nine.

Beijos!

Leitura todo dia: semana 26

3 de agosto de 2017

O resumo 26 do projeto Leitura todo dia está cheio de recomendações legais e meta cumprida. A semana começou sem leitura lá na quarta passada, dia 26, mas alguns dias depois eu recuperei o tempo perdido e ao concluir essa etapa, dia 1º de agosto, o saldo foi positivo. Na quinta voltei para o Kindle e li dois ebooks do Machado de Assis: Metafísica das rosas e Filosofia de um par de botas e ambos são ótimos e recomendados

Na sequência voltei e conclui Sempre foi você de Ana Lemos, leitura dupla com a Elis, e livro que não gostei. No geral romances sensuais não me envolvem, não é um gênero que leio com frequência, e sempre fico frustrada com detalhes não explicados e romance que avança rápido demais. Nesse livro ainda tive problema com a caracterização do cenário e dos personagens. Uma pena.

No final de semana foi a vez de começar A cor púrpura de Alice Walker, e-book que há tempo estava no meu Kindle e depois de muitas recomendações a curiosidade bateu. Escrita através de cartas, a vida de Celie causa verdadeiro choque no leitor, ao mesmo tempo que mostra como existe força em nós para encarar as piores situações. Em breve vou comentar sobre o livro no Estante da Nine e deixo desde já a recomendação.

A dica extra do post é para os leitores que como eu estão com a fila de desejos enorme. O site Cupom Válido oferece diversos descontos para lojas como Walmart, Extra, Americanas, Submarino e Amazon. Comprar livros é bom, mas comprar com desconto é sempre melhor, né? O site oferece ainda cupons para diversas outras lojas e seguimentos, vale conferir.

Assista ao vlog da semana 26 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Metafísica das rosas de Machado de Assis (baixe na Amazon)
Filosofia de um par de botas de Machado de Assis (baixe na Amazon)
Sempre foi você de Ana Lemos (compre na Amazon)
A cor púrpura de Alice Walker (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Laranja mecânica - dirigido por Stanley Kubrick



Laranja mecânica
(A Clockwork Orange)
Direção: Stanley Kubrik
Produção: Warner Bros
Ano: 1971
Duração: 136 minutos
Filmow | IMDb
Compre no Submarino

LEIA TAMBÉM
Laranja mecânica de Anthony Burgess

Assistir Laranja mecânica depois de ler o livro foi uma experiência nova. Há alguns anos, quando comprei o DVD, eu e o Rodrigo vimos o filme e naquela época a versão de Stanley Kubrick causou um impacto. Hoje, depois de ler a obra original de Anthony Burgess, a narrativa para o cinema me trouxe novas sensações. Em ambos casos as reflexões são pertinentes e perturbadoras.

A premissa de Laranja mecânica (link para a experiência de leitura acima), e os acontecimentos principais são mantidos no filme, mas uma das primeiras coisas que me chamou atenção quando revi, depois de ler a história de Anthony Burgess, é que o visual das casas e dos próprios personagens é mais extravagante do que imaginei na versão literária. Meu mundo de Laranja mecânica foi predominante mente cinza e foi interessante perceber que não, apesar dos padrões sociais tudo parece rico e aconchegante como um lar deve ser.

Se o visual me chocou, Alex e seus drugues foram exatamente como imaginei, e talvez isso seja influência da primeira vez que vi o filme, bem antes de conhecer o livro. A ultra violência e a diversão da gangue do protagonista são muito parecidas com cenas de todos os dias nos noticiários e como comentei no texto sobre o livro, vou ressaltar aqui também: Anthony Burgess e Stanley Kubrick, cada um a sua maneira, acertaram e muito no contexto social e político da obra e como a previsão de um futuro sombrio era (é) certa.

A parte da prisão não ganha tanto espaço no filme, embora seja significativa para o contexto da história, e Stanley Kubrick explora principalmente o experimento psicológico para causar incomodo. Sem dúvida o recurso visual acrescenta um drama extra a cura de Alex e na adaptação esse momento é o mais próximo da empatia pelo personagem que podemos chegar.

Eu conclui a leitura de Laranja mecânica há alguns meses e por isso não vou comparar detalhes entre livro e filme porque não tenho certeza de todos, mas uma diferença que me chamou atenção, e pode ser que eu tenha esquecido sobre a leitura, é que o Alex de Stanley Kubrick é muito mais oportunista que o protagonista de Anthony Burgess após o experimento.

No geral, eu vi um Alex no livro confuso e perdido, usado como objeto político pró e contra certas ideologias, e incerto sobre o futuro, enquanto no filme o personagem, que nunca abandonou os pensamentos violentos, é oportunista e irritante ao ponto de incomodar mais que no começo da história e deliberadamente. Agora como um exemplo de tortura e reforçando que somos o que somos.

O final do filme me deixou contrariada, apesar de lembrar o desfecho do livro. No geral, eu gostei muito de Laranja mecânica, a adaptação e a história original, com suas diferenças e também com seus pontos em comuns. Acredito que filme e livro funcionam como bons completos um do outro e vale conhecer as duas versões. Vocês já assistiram (ou leram) Laranja mecânica?

Beijos!

Fotos: Divulgação
*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Laranja mecânica de Anthony Burgess

31 de julho de 2017



Laranja mecânica
Autor: Anthony Burgess
Editora: Aleph
Edição: 2014
Páginas: 200
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino | Amazon

LEIA TAMBÉM
Admirável mundo novo de Aldous Huxley
Narrada pelo protagonista, o adolescente Alex, esta brilhante e perturbadora história cria uma sociedade futurista em que a violência atinge proporções gigantescas e provoca uma reposta igualmente agressiva de um governo totalitário. A estranha linguagem utilizada por Alex - soberbamente engendrada pelo autor - empresta uma dimensão quase lírica ao texto. Ao lado de "1984", de George Orwell, e "Admirável Mundo Novo", de Aldous Huxley, "Laranja Mecânica" é um dos ícones literários da alienação pós-industrial que caracterizou o século XX. Adaptado com maestria para o cinema em 1972 por Stanley Kubrick, é uma obra marcante: depois da sua leitura, você jamais será o mesmo.

Leitura todo dia: semana 25

29 de julho de 2017

O projeto Leitura todo dia está de volta no Estante da Nine, nesta semana sem tanto atraso, e com meta cumprida mais uma vez. Durante todo período desse resumo eu li praticamente só um livro, A cama desfeita de Françoise Sagan, e foi uma ótima experiência, assim como desafiadora. Histórias existencialistas normalmente exigem mais da minha atenção e concentração e por um lado foi bom desacelerar, até porque a rotina mudou e preciso me adaptar a novos horários.

Já no final da semana 25, que aconteceu entre os dias 19 a 25 de julho, eu comecei o livro Sempre foi você de Ana Lemos, autora da cidade onde moro, Caxias do Sul. O romance hot não me empolgou no começo e por enquanto li apenas dois capítulos, mas espero voltar para ele nesse final de semana para mais uma tentativa. E vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 25 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
A cama desfeita de Françoise Sagan (compre na Amazon)
Sempre foi você de Ana Lemos (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Resumo de junho (2017) - O Morro dos Ventos Uivantes e The Mentalist!

27 de julho de 2017

Reta final da semana e a conversa hoje é sobre filmes e séries. Junho foi muito positivo porque assisti algumas coisas inéditas e confirmei a minha paixão por dois programas de TV. Vou começar o resumo do mês citando Interestelar, filme de ficção científica sobre exploração espacial, que eu adorei. Há algum tempo tinha interesse em assistir e gostei o tema, o drama e principalmente as diferenças na linha do tempo. Para quem gosta do gênero fica a dica.

No mesmo dia, ambos no Cinemax, foi a vez de conhecer No olho do tornado (citei o nome errado no vídeo, confundi com furacão), e gostei. É um filme sobre tempestade, devastação e caçadores de tornado que mistura ação, suspense e destruição, e também várias referências a Twister. Não é um filme sensacional, mas foi um bom entretenimento.

O terceiro filme do mês é a adaptação de O Morro dos Ventos Uivantes de 1992 (opinião aqui), que eu gostei. No geral todo clima do livro me pareceu muito fiel no filme, bem perto de como imaginei, principalmente a casa, e também gostei da interpretação dos personagens. O filme é tão dramático e sombrio como o enredo de Emily Brontë e espero assistir outras versões para conhecer um favorito (ou eleger esse como melhor).

A partir da coluna desse mês o resumo terá um extra: as séries que assisto todos os dias na TV, mesmo que fora de ordem, que antes eu não mencionava, mas como adoro e recomendo vão aparecer a partir de agora (assim como aqueles filmes que vejo três vezes por mês na televisão). Muitas séries e filmes são favoritos e nunca apareceram por aqui. Hora de mudar isso.

Para começar esse bônus eu tenho que citar C.S.I. Ano passado eu conheci a versão da série de Miami e viciei. Nos últimos meses meu gosto mudou e a divisão de ciência de Nevada me envolveu muito mais. Talvez por se passar em um estado não tão comentado, talvez por simpatizar mais com os personagens, o fato é que assisto C.S.I. todos os dias.

Outra série que eu amo, estou viciada e assisto sempre é The Mentalist. O engraçado é que quando tentei ver a série pela primeira vez não gostei. Muito tempo passou até que eu desse uma segunda chance e aí sim adorei. A história desse mentalista e da divisão da C.B.I. é bem diferente dos programas policias que eu gosto de assistir e desconfio que foi por isso que amei. Recomendada, claro. E vocês, o que viram mês passado?

Assista ao vídeo da coluna resumo do mês de junho

FILMES

SÉRIES

Beijos!

Leitura todo dia: semana 24

26 de julho de 2017

Quarta-feira é dia de Leitura todo dia no Estante da Nine, mas aqui no blog estou uma semana atrasada. O vídeo com o resumo dos livros lidos entre 12 a 18 de julho saiu no canal há alguns dias e hoje finalmente reservei um tempo para publicar a coluna por aqui. Eu sei, prometi que colocaria tudo em dia e estou tentando. A rotina será mais flexível até o final de semana e tentarei compensar vocês com muito conteúdo.

Durante a semana 24 li e conclui, finalmente, A trilogia de Nova York de Paul Auster e felizmente a última história me conquistou. O livro foi por boa parte abaixo do que esperei, embora não saiba bem qual era minha expectativa, mas no final, com as três histórias lidas, tudo fez mais sentido e simpatizei com o livro. Para os leitores que gostam de mistério é uma boa dica.

Psicose de Robert Block, sorteado na minha TBR jar, foi minha segunda leitura da semana 24 e livro também concluído. Eu adorei o enredo, tanto que li muito mais rápido do que imaginava, e em breve, e a pedido dos leitores do Estante da Nine nas redes sociais (já segue em todas?), vou comentar sobre o livro em vídeo e texto, então assina o feed (barra lateral direita) para acompanhar tudo.

A cama desfeita de Françoise Sagan, livro da minha coleção comprada no sebo e parte da série Grandes Sucessos, foi a leitura que finalizou a semana 24. Vou falar mais do livro hoje mesmo, no canal, no vídeo da coluna parte 25, mas já adianto que foi uma leitura tão boa quanto difícil, como todo livro existencialista, e para confirmar também que eu adoro os franceses. O que vocês leram nos últimos tempos?

Assista ao vlog da semana 24 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
A trilogia de Nova York de Paul Auster (compre na Amazon)
Psicose de Robert Block (compre na Amazon)
A cama desfeita de Françoise Sagan (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Tubarão - dirigido por Steven Spielberg

21 de julho de 2017




Tubarão
(Jaws)
Direção: Steven Spielberg
Produção: Universal Pictures
Ano: 1975
Duração: 124 minutos
Filmow | IMDb
Compre no Submarino

LEIA TAMBÉM
Tubarão de Peter Benchley

Por incrível que pareça até alguns dias atrás eu nunca tinha assistido Tubarão, filme clássicos e um dos mais citados entre a obra de Steven Spielberg. Depois de ler o livro de Peter Benchley não poderia deixar passar a chance de ver a adaptação e hoje eu vou compartilhar com vocês como foi a experiência. 

O ponto de partida do filme é o mesmo do livro, e quem não conhece nada da história pode conferir a sinopse no post com a minha experiência de leitura no link acima. Gostei imediatamente da adaptação porque ela me trouxe a sensação real da cidade, com pessoas passeando pelas praias e ruas o tempo todo, empecilhos constantes, aspecto que no enredo de Peter Benchley em muitos momentos parecia inexistente (digo as pessoas circulando pelo local), mesmo com a referência do tamanho de Amity e os poucos moradores. 

Por outro lado, certas cenas do filme mostram uma multidão muito maior do que imaginei, pelo menos antes da temporada, mas ainda sim gostei da adaptação porque ela é mais objetiva no roteiro e não inclui temas que não tem espaço para debate. Como comentei na resenha do livro, Peter Benchley cita vários assuntos interessantes, mas no decorrer do enredo não amplia praticamente nenhum, já que o foco da história é realmente se livrar do tubarão.

Meus temas favoritos do livro seguem presentes no filme, como o capitalismo e sua influência, a falta de empatia dos moradores pela gravidade da situação, Brody, que no filme é de Nova York, também representa o tópico do cidade grande x cidade pequena, e o embate entre experiência de vida e experiência acadêmica também foi mantido.

Sem dúvida o ponto alto da adaptação, como no livro, é o tubarão. Steven Spielberg não apresenta o monstro por boa parte do filme e com isso a imaginação e o suspense são duradouros. O roteiro também enfatiza a briga entre homens e peixe e como esse perigo que ronda Amity parece, de fato, inteligente. E ao mesmo tempo que a caça ao tubarão começa, a cidade se destaca nos noticiários. 

O Brody do filme me pareceu mais valente que o do livro. E outra diferença é que Steven Spielberg coloca ele de frente com o conselho da cidade. No livro o personagem é vítima de uma chantagem, mas não faria sentido repetir certos acontecimentos no roteiro da adaptação porque afinal muitos pontos foram suprimidos.

O humor de Tubarão é aquele cômico nervoso e esse é outro mérito de Steven Spielberg. Porém, achei alguns momentos de drama forçados, cenas que no livro são mais realistas, mas que no filme, até pelo recurso da imagem, são mais impactantes. No geral, achei o drama, o suspense e o humor em harmonia, com uma ou outra cena que não gostei.

Por falar em não gostei, um dos personagens do livro que mais me chocou foi o pescador experiente contratado para capturar o tubarão. E no filme ele também tem uma presença significativa. A parte final me deu muito nojo, é verdade, e não gostei da mudança que Steven Spielberg fez sobre quem morre e quem vive, ainda assim Tubarão é uma boa versão de um livro bom. No final da experiência, gostei por motivos diferentes, mas da mesma forma, de livro e filme. E claro que eu recomendo. Vocês já assistiram Tubarão?

Beijos!

Fotos: Divulgação
*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Tubarão de Peter Benchley

20 de julho de 2017




Tubarão
Autor: Peter Benchley
Editora: Record
Edição: 1974
Páginas: 262
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino | Amazon
Uma mulher jovem e bela, depois de um apaixonado encontro amoroso numa praia deserta, sente vontade de tomar um banho à meia-noite. Enquanto nada no mar calmo, é subitamente atacada e tem o corpo cortado ao meio. Na manhã seguinte, os restos do seu corpo terrivelmente mutilado vão dar na praia. As autoridades municipais de Amity resolvem guardar silêncio sobre a morte da moça, pois, se a notícia do tubarão assassino se espalhasse, a influencia de veranistas e turistas cessaria por completo, arruinando os negócios e a economia da cidade. O chefe de polícia foi proibido de interditar as praias. Proclama-se que o tubarão desertou daquelas águas. Mas o monstro ataca e mata de novo e a vida da cidade se torna governada pela presença apavorante, quase sobrenatural, do tubarão que espera ao largo, inexorável e cruel.

Leitura todo dia: semana 23

17 de julho de 2017

Semana começando com Leitura todo dia atrasado, mas com bons livros. A vida movimentou nos últimos tempos e ainda não me organizei em novos horários. Prometo tentar colocar tudo em ordem nos próximos dias, ok? O resumo da vez é sobre as leituras feitas entre os dias 05 a 11 de julho, que dediquei especialmente a dois livros e um e-book e não me arrependi. Vamos ao resumão?!

A trilogia de Nova York de Paul Auster foi um misto de sentimentos. Esperava algo espetacular, mas confesso que as duas primeiras histórias não me empolgaram tanto assim. Quando comecei a terceira tudo foi diferente. Li em poucas horas e adorei como os três enredos de mistério parecem estar (estão) conectados e como cada um apresenta uma perspectiva diferente. Vou falar sobre o livro também na semana 24 e em breve espero comentar sobre ele com mais detalhes por aqui.

A canção das estrelas de Karen Soarele foi o e-book da semana e outra ótima experiência com o universo de criado pela autora. Recentemente mostrei outra história do universo de Myríade por aqui e para quem gosta de histórias infanto juvenis de fantasia é uma boa dica. A canção das estrelas tem um bom diferencial: fala sobre um livro e os mistérios que ele esconde. É um livro sobre um livro antigo e poderoso, o que naturalmente me chama atenção. Adorei e recomendo.

A semana encerrou com a leitura de O caçador de pipas de Khaled Rosseini concluída e que experiência sensacional. Depois de anos na estante o livro ganhou uma chance e me arrependo de não ter lido antes. História dura, sobre perdas e segredos, além da mudança social, cultural e política de uma país. Enredo para tirar o leitor da zona de conforto e causar certos incômodos. Leitura recomendada, claro, e em breve vai rolar opinião sobre o livro no Estante da Nine.

Assista ao vlog da semana 23 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
A trilogia de Nova York de Paul Auster (compre na Amazon)
A canção das estrelas de Karen Soarele (compre na Amazon)
O caçador de pipas de Khaled Hosseini (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Meta de leitura: julho (2017) - Tolkien, Stephen King e Stendhal!

14 de julho de 2017

Gravei o vídeo de meta dia 9 e quase uma semana depois a coluna aparece aqui no blog. A vantagem desse atraso (se bem que atrasar coisas não é algo vantajoso), é que enquanto escrevo esse post já conclui dois livros que estavam em andamento do mês passado. O caçador de pipas de Khaled Hosseini foi uma ótima surpresa, livro triste e bem pertinente sobre mudanças culturais e políticas, entrou para a lista de favoritos de 2017 e em breve tem opinião por aqui.

A trilogia de Nova York de Paul Auster foi minha segunda leitura em andamento de junho concluída na semana que passou e talvez eu tenha criado certa expectativa sobre o livro que não se confirmou. Apesar disso as três histórias são envolventes e intrigantes, com boas doses de mistério e suspense e valeu a pena. O retorno do rei de J.R.R. Tolkien está há alguns dias parados principalmente porque não combina com esse clima de verão no inverno. Assim que o frio voltar eu também volto para a parte final da jornada do anel.

Psicose de Robert Bloch foi o último livro inédito da minha TBR jar e entrou na meta do mês. Gosto do filme e espero gostar da história original também. Na lista, ambos da TAG 12 livros para 2017, estão Saco de ossos de Stephen King, autor que quero ler mais e mais nos próximos anos e também O vermelho e o negro de Stendhal, clássico que está na minha estante há alguns anos. E vocês, o que vão ler em julho?

Assista ao vídeo com a meta de leitura para julho

LIVROS
O caçador de pipas de Khaled Hosseini (compre na Amazon)
A trilogia de Nova York de Paul Auster (compre na Amazon)
O retorno do rei de J.R.R. Tolkien (compre na Amazon)
Psicose de Robert Bloch (compre na Amazon)
Saco de ossos de Stephen King (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leituras de junho (2017) - Thomas Mann, Aluísio Azevedo e Florbela Espanca!

12 de julho de 2017

Junho foi o mês com mais dias sem leitura até aqui em 2017, mas apesar disso o saldo geral não foi ruim. Li muito no Kindle, algo que não acontecia há algum tempo e terminei alguns livros físicos também. O mês começou com Morte em Veneza de Thomas Mann, meu primeiro contato com o autor, e história que trata da obsessão de um escritor já na parte final da vida durante suas férias em Veneza. Ao mesmo tempo que acompanha o presente, o leitor é apresentado a vida e passado do protagonista, e como a solidão o privou de muitas experiências. Adorei Morte em Veneza e já penso em encarar A montanha mágica.

Também da coleção Saraiva de Bolso, Poemas e cartas a um jovem poeta de Rainer Maria Rilke foi minha segunda leitura de junho. Não me identifiquei com os poemas, mas gostei muito das cartas. Para quem gosta de escrever ou é escritor, é uma ótima dica. Ele tem uma visão solitária sobre a profissão, então é interessante observar como ele cita isso e o porquê ao longo das correspondências. Gostei da leitura e recomendo. 

O esqueleto de Aluísio Azevedo foi minha volta para o Kindle e adorei a história que traz como um dos personagens principais o príncipe regente do Brasil e fala sobre poder, ganância e tragédias familiares e amorosas. Lá no meu Instagram comentei mais sobre a leitura, então é sempre legal ficar de olho lá porque aparece conteúdo curto que não publico no blog. 



O mandarim de Eça de Queirós foi o segundo ebook do mês e essa história de realismo fantástico vale muito a pena. Um jovem português tem o desejo de acender de classe social e após ler um livro muito esquisito, e ser influenciado por uma figura extremamente simbólica, resolve tocar a sineta e falar a combinação de palavras para herdar uma herança de um mandarim. Acontece que junto com o dinheiro, chega também o fantasma do morto e o protagonista vai se ver em péssima situação depois do ato ambicioso. Leitura recomenda, sem dúvida.

A rainha da primavera de Karen Soarele foi minha leitura de fantasia do mês e meu segundo contato com o universo de Myríade. Adorei a experiência principalmente porque essa história se passa muito tempo antes de Línguas de fogo, o livro 1 da trilogia As Crônicas de Myríade, e senti muita firmeza no universo que a autora criou, toda mitologia e como os livros se conectam. Para quem gosta de aventuras infanto juvenis fica a dica.

Livro de máguas de Florbela Espanca foi meu reencontro com a autora e que experiência incrível mesmo novata no mundo da poesia. Todos os poemas tem aquele tom melancólico que eu tanto adoro e me identifico e quero ler muito mais da autora. O mês fechou com Tubarão de Peter Benchley, história que teve altos e baixos, e no geral gostei muito. Em breve vai rolar opinião no blog sobre o livro e o filme dirigido por Steven Spilberg. O que vocês leram em junho?

Assista ao vídeo com as leituras de junho

LIVROS
Morte em Veneza de Thomas Mann (compre na Amazon)
Poemas e cartas a um jovem poeta de Rainer Maria Rilke (compre na Amazon)
O esqueleto de Aluísio Azevedo (baixe na Amazon
O mandarim de Eça de Queiros (baixe na Amazon)
A rainha da primavera de Karen Soarele (compre na Amazon
Livro de máguas de Florbela Espanca (baixe na Amazon
Tubarão de Peter Benchley (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 22

11 de julho de 2017

A semana começou e a minha meta para esse início e meados de julho e colocar todos os posts pendentes do blog e do canal no ar mesmo com a rotina corrida. E o Leitura todo dia semana 22, de quarta passada, está saindo com atraso, mas finalmente reservei um tempo para ele. Minha leitura de lá pra cá da bolsa segue a mesma, A trilogia de Nova York de Paul Auster, livro que reúne três história de mistério, mas que até agora não me cativou tanto quanto eu imaginava.

A segunda leitura da semana 22 foi O caçador de pipas de Khaled Housseini e eu não estava preparada para o tanto de triste que a história é. Ao mesmo tempo que temos um rancor do passado a ser resolvido, acompanhamos toda mudança social, histórica e politicamente do Afeganistão. Vou falar mais sobre o livro em breve no Estante da Nine, mas sem dúvida é leitura recomendada.

A semana 22 do projeto Leitura todo dia também marcou minha volta para as leituras no Kindle e o primeiro ebook lido foi Elevador 16 de Rodrigo de Oliveira, história sobre zumbis com toque de ficção científica que eu adorei. Também no e-reader escolhi A canção das estrelas de Karen Soarele, autora que eu tenho me interessado cada vez mais, assim como seu universo de Myríade, recomendo ambos. Como foi a semana passada de leitura de vocês?

Assista ao vlog da semana 21 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
A trilogia de Nova York de Paul Auster (compre na Amazon)
O caçador de pipas de Khaled Hosseini (compre na Amazon)
Elevador 16 de Rodrigo de Oliveira (baixe na Amazon)
A canção das estrelas de Karen Soarele (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

TBR jar #17 - suspense!

6 de julho de 2017

A TBR jar está de volta no Estante da Nine e antes de tudo: eu não li Os sete de André Vianco porque depois da empolgação inicial a vontade passou. Claro que ainda vou conhecer a história em algum momento, mas preferi não me obrigar a ler porque saiu na TBR. Essas coisas acontecem, certo? Aliás, para saber das leituras em tempo real me acompanhe no Instagram, Facebook ou Twitter!

O sorteio de hoje tem uma peculiaridade: a minha TBR jar finalmente acabou. Estou muito empolgada para fazer uma nova seleção de livros, e vocês podem imaginar que muitas opções já lidas saíram antes de uma história inédita aparecer (digite o nome do livro na busca para ler e/ou assistir as resenhas). No final de tudo, a sugestão da jarra foi interessante, além de ser um livro que está na estante há alguns anos, então estava na hora de ganhar uma chance.

Minha edição de Psicose faz parte de um box de livros relacionados a filmes lançado pela Darkside Books há alguns anos. Já comentei algumas vezes que sou fã de Hitchcock e Psicose é uma de suas adaptações mais famosas, e claro que estou curiosa pelo livro. O diretor sempre fez mudanças nas histórias se comparadas com a versão original, então também quero rever o filme para comentar pontos em comum e diferenças. Vocês já leram Psicose?

Assista ao 17º sorteio da minha TBR jar

Beijos!

Um gato de rua chamado Bob de James Bowen

4 de julho de 2017



Um gato de rua chamado Bob
#1 Gato Bob
Autor: James Bowen
Editora: Novo Conceito
Edição: 2013
Páginas: 240
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino | Amazon

LEIA MAIS
Desafio livros e seus filmes 2017 + lista de leitura
Quando James Bowen encontrou um gato ferido, enrolado no corredor de seu alojamento, ele não tinha ideia do quanto sua vida estava prestes a mudar. Bowen vivia nas ruas de Londres, lutando contra a dependência química de heroína, e a última coisa de que ele precisava era de um animal de estimação. No entanto, ele ajudou aquele inteligente gato de rua, a quem batizou de Bob (porque tinha acabado de assistir a Twin Peaks). Depois de cuidar do gatinho e trazer-lhe a saúde de volta, James Bowen mandou-o embora imaginando que nunca mais o veria. Mas Bob tinha outras ideias. Logo os dois tornaram-se inseparáveis, e suas aventuras divertidas — e, algumas vezes, perigosas — iriam transformar suas vidas e curar, lentamente, as cicatrizes que cada um dos dois trazia de seus passados conturbados.

Leitura todo dia: semana 21

2 de julho de 2017

A semana 21 do projeto Leitura todo dia foi um misto de bom com não tão bom assim. Conclui uma leitura, comecei outras duas, mas fiquei novamente três dias parada, com 0 livros, e como esse hiato se repetiu fiquei decepcionada comigo, não vou mentir. O importante é não desanimar, enfrentar as semanas ruins e ler mais sempre que a vontade bater, certo?

Finalmente terminei Tubarão de Peter Benchley e não gostei tanto assim como imaginei nos primeiros capítulos. A história é interessante, claro, até tenho intenção de escrever uma opinião para publicar aqui no blog, mas fiquei com a sensação de que muitas coisas não foram resolvidas. É uma história com foco no verão, então é compreensível o estilo narrativo. Até certo ponto. 

O caçador de pipas de Khaled Hosseini foi a leitura escolhida para a semana 21 e li dois capítulos. Há algum tempo esse livro aparece nas minhas metas literárias, mas por alguma razão eu sempre evitei a história. Agora, anos depois de ter o livro na estante, eu finalmente criei coragem para conhecer um enredo com temas e uma cultura tão diferentes do que estou acostumada a viver e ler.

Outra leitura começada na semana 21 é A trilogia de Nova York de Paul Auster. Avancei até que uma boa quantidade de páginas no livro, já que é minha opção da bolsa, mas depois de tantas recomendações eu esperava um pouco mais de empolgação com o enredo. Espero gostar mais conforme avançar na leitura e nas três histórias que compõem o livro. O que vocês leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 21 do projeto Leitura todo dia 

LIVROS
Tubarão de Peter Benchley
O caçador de pipas de Khaled Hosseini
A trilogia de Nova York de Paul Auster

Beijos!

O Morro dos Ventos Uivantes - dirigido por Peter Kosminsky

29 de junho de 2017




O Morro dos Ventos Uivantes
(Wuthering Heights)
Direção: Peter Kosminsky
Produção: Paramount Pictures
Ano: 1992
Duração: 105 minutos
Filmow | IMDb

 LEIA MAIS
O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brönte

Dia desses no início da semana, segunda se não me engano, estava trocando os canais da TV quando me deparei com O Morro dos Ventos Uivantes começando no canal Paramount. Curiosa, adiei os planos de leitura para acompanhar a adaptação, uma das muitas, do livro de Emily Brönte. E não me arrependi.

Acho importante ressaltar que li O Morro dos Ventos Uivantes há alguns anos, então não sei dizer em detalhes as diferenças do enredo e roteiro, mas achei o filme de Peter Kosminsky fiel as características originais do livro. A história conta a relação impossível entre dois jovens que foram criados juntos desde pequenos, mas que por questões sociais e preconceitos da época, e suas próprias decisões, nunca puderam viver uma história de amor



Juliette Binoche e ralph Fiennes representaram muito bem Cathy e Heathcliff. Embora eu esperasse um protagonista masculino com características mais mestiças, afinal ele é decente de ciganos do livro, e esse aspecto é motivo de preconceito, as personalidades foram fiéis. Ela é mesquinha e egoísta, entende seu coração, mas prefere manter as aparências. Ele é orgulhoso e vingativo e se transforma num vilão dos mais temíveis. 

O contexto e costumes da época também são temas de destaque no filme. Embora não tenham a mesma relevância que no livro, porque afinal é uma história bem detalhada resumida em um par de horas, o roteiro consegue incluir temas importantes é que formam um bom cenário para quem não conhece a sociedade do século XIX e os hábitos ingleses.

Um dos pontos altos do livro, e que no filme eu também adorei, é o cenário. Muito do clima sombrio da história é por conta do local, da casa, O Morro dos Ventos Uivantes, que é sinistra e fica em um terreno sem nada por perto. Também tem as colinas com neblina e o tempo chuvoso. Tudo no visual do filme me agradou. Provavelmente seja meu ponto favorito dessa adaptação.

Sem planejar eu assisti uma adaptação literária que me deixou muito feliz, principalmente depois da experiência nada boa com Madame Bovary. Minha nota para O Morro dos Ventos Uivantes dirigido por Peter Kosminsky foi de 3.5 estrelas no Filmow. Gostei do filme, dos atores, do cenário e da fotografia, mas ainda tem muitas adaptações desse livro pra conferir, talvez alguma me agrade mais.

Então gente é isso por hoje. Acordei cedo nessa quinta para escrever sobre o filme porque assisti na semana e não queria deixar passar tanto tempo para falar sobre ele. O Morro dos Ventos Uivantes foi uma boa surpresa e recomendo o filme para quem leu e também quem não leu, hehehe. Vocês já assistiram a alguma adaptação do livro de Emily Brönte?

Beijos!

Fotos: Divulgação

Leitura todo dia: semana 20

27 de junho de 2017

O Leitura todo dia semana 20 atrasou incrivelmente, aliás as últimas semanas estão estranhas, mas finalmente saiu. O resumo da vez é com os livros e ebooks lidos entre 14 a 20 de junho. Começo citando Tubarão de Peter Benchley, leitura que predominou os dias dessa etapa e que foi uma boa experiência. Provavelmente eu não vou mais entrar no mar com a empolgação de antes e estou curiosa pelo filme, que em breve quero assistir.

Outra leitura da semana 20, dessa vez no Kindle, foi A rainha da primavera de Karen Soarele, história que faz parte do mundo de Myríade, que eu inclusive já li um outro livro, Línguas de fogo. Outra boa experiência com uma fantasia de autora nacional, que apresenta um universo rico e uma protagonista forte e determinada. Fica a dica de leitura para quem gosta do tema.

Outra leitura que me acompanhou durante a semana foi O retorno do rei de J.R.R. Tolkien, livro que há dois meses estava por aqui e em junho finalmente a combinação de vontade + tempo aconteceu. Li os primeiros capítulos e a história não começou exatamente no ponto em que eu imaginava, mas está interessante. O autor explica muito bem o contexto e a importância de cada personagem.

O Kindle aparece de novo no resumo porque li Livro das máguas de Florbela Espanca, meu segundo contato com a autora e outra experiência sensacional e melancólica. Também no e-reader peguei para ler História de uma lágrima de Machado de Assis, conto que não foi favorito, mas trata de um tema que eu gosto, que é a melancolia e a desgraça da vida pelas escolhas que não puderam ser feitas. O que vocês leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 20 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Tubarão de Peter Benchley
A rainha da primavera de Karen Soarele (compre na Amazon)
Livro de máguas de Florbela Espanca (baixe na Amazon)
História de uma lágrima de Machado de Assis (baixe na Amazon)

Beijos!