Leituras de outubro (2017) - Shakespeare e John Russo!

10 de dezembro de 2017

Lá no canal (já é inscrito?) eu publiquei há alguns dias o vídeo com as leituras de outubro, ainda com a meta de colocar a coluna em ordem e hoje vamos bater um papo aqui no blog sobre como foi o mês, que eu esperava mais, mas que de lá pra cá o ritmo de leitura decaiu tanto que outubro, apesar de tudo, até que rendeu. Poderia ser melhor? Poderia, mas a gente lida com isso, né?!

Saracusa.com de Eliene Narducci foi a primeira leitura concluída do mês. Com tema pesado, o livro retrata o submundo do Rio de Janeiro e como acontece o tráfico, a prostituição e o aliciamento de menores. Os personagens são peculiares e o ritmo de leitura rápido. Gostei. Comentei mais sobre o livro nos vídeos do mês do projeto Leitura todo dia.

Isla e o final feliz de Stephanie Perkins foi o segundo livro finalizado do mês e infelizmente não gostei tanto quanto esperava. O tema não me empolgou, não tive qualquer empatia pelos personagens, também não torci por eles, e embora não tenha sido uma leitura ruim, também não foi boa. Esperava mais, principalmente porque gostei dos outros dois livros da autora. Acontece!

A escolha de Nicholas Sparks foi outra leitura finaliza em outubro e que também deixou a desejar. Eu tinha certeza pelos primeiros capítulos que a história seria interessante, mas não aconteceu. A estrutura com passagem do tempo fragmentada me incomodou e uma situação médica tratada com certo romance demais também me deixou frustrada com a história, tanto que o livro já saiu da coleção. 

Otelo - o mouro de Veneza de William Shakespeare salvou o mês. Uma tragédia daquelas bem marcantes, onde tudo parece bobo demais para ser real e enganar tantas pessoas, mas acontece. Hamlet ainda é meu favorito do autor, mas a cada nova história eu me empolgou mais e mais para ler as peças de Shakespeare. O próximo é Rei Lear.

O mês terminou com alguns contos que não mencionei no vídeo, mas estão na playlist/ marcador do projeto Leitura todo dia e a leitura temática dupla A noite dos mortos vivos e A volta dos mortos vivos de John Russo. Gostei do livro muito mais do que imaginava porque o tema é a capacidade humana de lidar com o inusitado e o desconhecido e como cada um reage de maneira diferente. Não comentei sobre o livro no blog, mas quem quiser post de recomendação deixa um comentário. E vocês, o que leram nos últimos tempos?

Assista ao vídeo com as leituras de outubro

LIVROS
Saracusa.com de Eliene Narducci (compre na Amazon)
Isla e o final feliz de Stephanie Perkins (opinião | compre na Amazon)
A escolha de Nicholas Sparks (compre na Amazon)
Otelo de William Shakespeare (opinião | compre na Amazon)
A noite dos mortos vivos de John Russo (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Brechó Chi Cão: compras de novembro!

4 de dezembro de 2017

Novembro foi o mês de voltar ao brechó Chi Cão depois de um ano todo de expectativa, mas pouca grana, e no vídeo de hoje eu mostro os itens que encontrei na edição do mês passado, que aconteceu entre os dias 12 a 15 de novembro. Aliás, eu fui em dois dias diferentes, na segunda e quarta-feira, e em ambos eu garimpei ótimas peças (ou livros). Espero que a série de vídeos e posts sobre brechós e bazares beneficentes aconteça uma vez por mês (ou mais) no Estante da Nine e espero que vocês gostem de conhecer causas bacanas ou espaços legais para garimpar.

O brechó Chi Cão acontece todos os meses no Centro de Convivência da Universidade de Caxias do Sul (UCS), um espaço de fácil acesso tanto de ônibus, como de carro, já que existem alguns estacionamentos do campus nos arredores. Toda a renda arrecada é revertida para a causa animal para tratamentos, castrações, averiguações de maus tratos, entre outras ações. Ao final da edição do brechó em Caxias, as peças remanescentes são doadas para outras ONGs da região. Todas as informações e as prestações de contas podem ser encontradas no perfil do brechó Chi Cão no Facebook.



Novembro foi um mês de ótimos achados. Comprei 12 peças e gastei um total de R$66. Na minha primeira visita na segunda-feira, 12, escolhi oito peças entre livro, relógio, blusas e saia, e gastei R$55; já na minha segunda ida ao brechó, no último dia da edição de novembro com tudo com 50% de desconto, comprei um livro, uma saia e duas blusas e gastei R$11. 

No vídeo abaixo eu mostro as peças escolhidas, também no corpo, para vocês terem noção dos tamanhos, já que há roupas com etiquetas originais e outras remarcadas. Não provei nenhum item no dia da compra, então foi uma surpresa tudo servir, embora uma blusa e uma saia tenham ficado no limite do tamanho. Espero fazer bons achados nas próximas visitas ao brechó e quero saber se vocês também doam ou compra de ações como essa. Até!

Assista ao vídeo com minhas compras de novembro no brechó Chi Cão

Beijos!

Algumas considerações sobre O evangelho segundo Mateus

3 de dezembro de 2017

É totalmente por acaso que começa mais um especial de leitura no Estante da Nine. Eu tinha a intenção de ler a bíblia em algum momento do futuro, mas não imaginei que aconteceria tão cedo. Encontrei algumas edições de bolso na casa da minha mãe e trouxe para minha biblioteca. Na semana 43  do projeto Leitura todo dia eu comecei e terminei O evangelho segundo Mateus, primeiro livro do novo testamento, e no post de hoje eu vou compartilhar algumas coisas que me surpreenderam na experiência. Minha leitura da bíblia não tem finalidade religiosa, mas sim a de conhecer uma das histórias que mais influenciou (e influência ainda), nosso dia a dia há gerações. Pretendo ler o antigo testamento em 2018 e conto mais por aqui.

E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o.
Mateus - capítulo 17, versículo 5

O evangelho segundo Mateus é a história de Jesus, do nascimento, até mesmo antes, a sua morte e ressurreição. Desde a sua linhagem, umas das informações mais relevantes da minha experiência de leitura porque nunca tinha entendido direito o sangue real, até os momentos finais, os acontecimentos principais, as lições, os mandamentos, o pai nosso e toda a base da doutrina pautada no filho de Deus está em Mateus. Quando criança, durante a época de catequese, li fragmentos da bíblia, mas nunca um livro inteiro, então muitas coisas contadas por Mateus foram uma surpresa.


A peregrinação de Jesus e os milagres foram dois pontos que me marcaram logo nos primeiros capítulos. Isso porque eu imaginei que as dádivas fossem pessoais e privadas, sempre pensei em algo mais introspectivo, quando na verdade Jesus curou multidões, com outras centenas de pessoas como testemunhas. As viagens foram mais frequentes do que eu podia imaginar. Na verdade, tenho uma dificuldade em associar o período histórico, que na verdade já tinha religião, política e comercio bem estabelecidos, com a história contata na bíblia, então foi uma surpresa, ao mesmo tempo que algo plausível, as andanças de Jesus.

Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau, porque pelo fruto se conhece a árvore.
 Mateus - capítulo 12, versículo 33

Alguns ensinamentos são repetidos frequentemente n'O evangelho segundo Mateus e um deles, aliás bem pertinente, é o de não acreditar em falsos profetas. Parece que desde sempre na história da humanidade pessoas poderosas ou interesseiras usaram da religião e da política para dominar e segregar outros povos e culturas e esse é um aspecto bem relevante no livro, já que é citado em vários capítulos, e também existe um contexto de insatisfação social das pessoas com a vida precária da época, afinal Jesus também pregava pela liberdade e encontrou tantos adeptos no caminho porque certamente existia nessas populações o desejo de mudar.



Um ponto que me chamou atenção, dessa vez negativamente, foi o envolvimentos dos apóstolos. Mais uma vez, e provavelmente ainda quando criança, eu formei uma imagem totalmente errônea dos seguidores de Jesus. O evangelho segundo Mateus me deixou com a sensação de que aqueles homens na verdade não eram tão fieis, ou não sabiam bem o que estavam fazendo ali, inclusive Jesus questiona em vários momentos a fé deles, mas eles continuam a afirmar que são seguidores do filho de Deus. No final, como o próprio profeta sabia, ele acabou sozinho no julgamento. O destino de João Batista me chocou mais do que eu esperava porque eu não sabia que a história da bandeja e da cabeça era literal. E é mesmo.

O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.
Mateus - capítulo 12, versículo 35

Imagino que muitas coisas serão esclarecidas e contadas nos próximos livros e espero seguir, aos poucos, nessa leitura. Jesus, é claro, sabia de tudo o que teria que passar e parece que se preparou muito bem para isso. E não é como se ele não sofresse, ele pede ao pai porque da provação sim, como não poderia deixar de ser, afinal Jesus foi condenado pelo próprio povo que tentou (conseguiu?) salvar. Eu me considero agnóstica e não vejo a bíblia com um livro real no sentido da história ser literalmente real ou como um livro de regras, mas sem dúvida a leitura de O evangelho segundo Mateus foi enriquecedora e esclarecedora em muitos sentidos, valeu a experiência sem dúvida. E vocês, já leram a bíblia?

Beijos!

Fotos: Nine Stecanella

Leitura todo dia: semana 43

30 de novembro de 2017

A semana 43 do projeto Leitura todo dia teve um pouco de tudo. Há algum tempo os resumos têm sido mornos, mas os livros lidos entre 22 a 28 de novembro realmente me empolgaram. Conclui Saga de Érico Veríssimo depois de alguns dias de dedicação. Adorei a história, com tantas reflexões importantes, que já quero ler tudo do autor. Em breve sai experiência de leitura de Saga no Estante da Nine, mas adianto a recomendação, vale a pena!

Avancei 22 páginas em comparação com a atualização passada (semana 42) na leitura de Angélica e as feiticeiras de Salem de Anne e e Serge Golon. A história empolgou nesse trecho, finalmente com a aparição das feiticeiras e o nascimento conturbado dos gêmeos de Angélica. Assim que o trabalho retornar eu conto mais sobre a leitura, que tem tudo para ser boa, já que mistura romance com drama, com um pano de fundo histórico bem marcante.

Por acaso e sem pretensão comecei a ler no sábado, 25, O evangelho segundo Mateus, primeiro livro do Novo Testamento, e conclui na segunda-feira, 27 de novembro. Neste trecho está basicamente toda a história de Jesus e tudo que gerou a doutrina a partir dele e muitos momentos do evangelho me chamaram atenção. A minha leitura da bíblia não tem propósitos religiosos, mas como adoro o tema religião devo compartilhar aqui no blog algumas considerações sempre que achar necessário.

A semana terminou com o e-book novo adulto do meu amigo Henri B. Neto, A garota, história que eu devorei principalmente porque gostei do contraste entre o protagonista metade machão, metade cavalheiro, e a menina que parece tímida, mas na minha opinião é muito misteriosa. O clima de tensão entre eles, e ao mesmo tempo a química, aliado ao bom humor e aquele toque ácido, com cenas quentes também, dão A garota um ritmo incrível e envolvente. Adorei (e precisava de uma história assim, estava com saudade). E vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 43 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Angélica e as feiticeiras de Salem de Anne e Serge Golon
O evangelho segundo Mateus
A garota de Henri B. Neto (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 42

29 de novembro de 2017

A semana passada foi especial no projeto Leitura todo dia. Como os livros em andamento estavam rendendo pouco e nada parecia sair do lugar, escolhi Saga de Érico Veríssimo como a leitura principal da semana. Meu objetivo era concluir a história e por um dia de folga de diferença eu quase consegui, hehehe. Apesar disso a experiência foi positiva e pode acontecer de novo. 

Entre a quarta-feira, dia 15, e o domingo, 19 de novembro, início da semana 42, eu li Saga. Fiz um bom avanço na leitura, cerca de 90 páginas, e mesmo passando do trecho mais impactante da história de Vasco continuo envolvida com o enredo de Érico Veríssimo. As questões existenciais são tão próximas e os perigos também, que é assustador o país ter evoluído pouco em 80 anos.

Na segunda-feira, dia 20 de novembro, eu comecei uma nova leitura da bolsa (porque troquei para uma menor e não rolou levar Saga), Angélica e as feiticeiras de Salem de Anne e Serge Golon. Não tenho o hábito de ler livros de banca e foi justamente por isso que escolhi ele para me acompanhar. Nesse início de história, 50 páginas contando com a terça, os autores ainda estão apresentando os personagens e a história do casal. Conto mais se estou gostando ou não nas próximas semanas.

Também na terça, dia 21, pela noite, li mais um trecho de Saga e por pouco não completo a leitura. Érico Veríssimo me surpreendeu demais com o trecho da história no Brasil e o final promete (ou não) a resposta para alguns dilemas do protagonista Vasco. Antes mesmo de terminar posso dizer que adorei a leitura e recomendo. Comento mais, é claro, na semana 43. E vocês, o que estão lendo?

Assista ao vlog da semana 42 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

TOP 3: filmes favoritos de Harry Potter

28 de novembro de 2017

Há um ano, em novembro de 2016, eu comecei o Especial Harry Potter no Estante da Nine com o objetivo de comentar mais sobre a incrível saga escrita por J.K. Rowling, já que li os livros em momentos diferentes e nunca fiz resenhas ou vídeos para comentar mais sobre a história por aqui ou no canal. Já organizei listas com os meus 3 livros favoritos e os meus 5 personagens preferidos, e hoje o TOP 3 é sobre as adaptações para o cinema.

Em 3º lugar está Harry Potter e a pedra filosofal, história que apresenta a saga do bruxo aos telespectadores e que me traz uma nostalgia incrível. Até hoje é uma das adaptações da série que eu mais assisto e a emoção de conhecer os alunos e a escola pela primeira vez é sempre a mesma. Mesmo com alguns efeitos especiais já ultrapassados, o filme não perde em criatividade, emoção, comédia e drama. Adoro!

O 2º lugar do meu TOP 3 adaptações é Harry Potter e as relíquias da morte - parte 2. No geral, assim como escolhi a Pedra filosofal pela apresentação, acredito que o 8º filme encerre bem a saga do personagem nos cinemas; tanto porque finaliza as principais histórias e dilemas apresentados ao longo dos livros (e filmes), como também mantém o clima sombrio, menos infantil e mais adulto que a saga tem nos episódios finais. É claro que algumas coisas ficam de fora, mas no geral está tudo ali e fiquei contente por ter sido um bom encerramento!

O topo da lista de filmes, que é também o meu livro favorito, está Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban. Alguns dos meus personagens favoritos ganham destaque a partir desse trecho da história, além de retratar a mudança da infância para a adolescência de Harry, Hermione e Rony, e como isso afeta a vida de cada um, o relacionamento com os amigos na escola e com a família. A viagem no tempo sem dúvida é um dos pontos altos da história, bem como a apresentação de personagens diversos do mundo bruxo.

Eu adoro todos os filmes de Harry Potter e organizar essa lista teve seus desafios. Não usei como critério para escolher minhas adaptações favoritas a fidelidade em relação aos livros, mas as histórias que eu mais gosto de acompanhar na versão cinematográfica, as que mais me trazem entretenimento, emoção e envolvimentos com as histórias. Qual é o TOP 3 filmes de Harry Potter de vocês?

Assista o TOP 3 versão vídeo publicado no canal

Beijos!

Giovanni de James Baldwin

26 de novembro de 2017



Giovanni
Autor: James Baldwin
Editora: Abril Cultural
Edição: 1981
Páginas: 208
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA TAMBÉM
Ragtime de E.L. Docotorow
Dramática viagem através do submundo da homossexualidade masculina. Na trajetória amorosa de Giovanni e David - principais personagens do romance de James Baldwin - onde não faltam os sentimentos comuns aos relacionamentos heterossexuais, a insofismável assertiva: o amor é passível de crises e dúvidas, mas nunca de objeto de culpa ou anormalidade.

Leituras de setembro (2017) - Richard Matheson e E.L. Doctorow!

22 de novembro de 2017

Apesar da demora, e principalmente porque eu gosto de manter as colunas mensais em dia e a playlist/ marcador com todos os vídeos/ posts correspondentes a cada mês, hoje o papo é sobre as leituras de setembro, sim, tão atrasado assim. Esse final de ano não tem sido tão produtivo quanto eu esperava, e são muitos livros começados e pouco tempo para ler. Mas no geral não posso me queixar.

Setembro começou com duas leituras no Kindle: Canção do exílio de Casimiro de Abreu, um poema lindo e melancólico sobre estar longe da terra que se ama e pedir a Deus para ter a chance de revê-la antes de morrer; e Sal - um prólogo de Leticia Wierzchowski, ebook que realmente despertou meu interesse pelo romance Sal, que ganhei de uma leitora do Estante da Nine (obrigada!!!), principalmente por retratar a história de uma grande família e como cada um seguiu um rumo diferente. Espero gostar.

Em algum lugar do passado de Richard Matheson foi a primeira escolha do mês da coleção Grandes Sucessos e fiquei num misto de sentimentos com esse livro (confira a resenha clicando no nome do livro acima). Ao mesmo tempo que adorei os vários temas abordados pelo autor, tanto sobre o dilema pessoal do protagonista, quanto da sociedade da época, não gostei da viagem no tempo, um dos elementos principais da história.

Angus - Origens de Orlando Paes Filho foi uma boa leitura de respiro e a fantasia do mês. Adorei acompanhar a guerra, as questões políticas e religiosas e como tudo tem dois lados e numa guerra as perdas são enormes. O mês encerrou com Ragtime de E.L. Doctorow, uma ótima experiência da coleção Grandes Sucessos, que já ganhou resenha no blog (clique no nome do livro para ler), e em breve vai ganhar também um comentário em vídeo para o canal porque a história está recomendada no 1001 livros para ler antes de morrer! E vocês, o que leram nos últimos tempos?

Assista ao vídeo com as leituras de setembro

LIVROS
Canção do exílio de Casimiro de Abreu (baixe na Amazon)
Sal - um prólogo de Leticia Wierzchowski (baixe na Amazon)
Em algum lugar do passado de Richard Matheson (opinião | compre na Amazon)
Angus - Origens de Orlando Paes Filho (baixe na Amazon)
Ragtime de E.L. Doctorow (opinião | compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 41

Eu já não sei mais como começar os posts do projeto Leitura todo dia além do clichê: li pouco, mas ainda bem que depois de tempos conclui um livro. O resumo da semana 41 é sobre as leituras entre 8 a 14 de novembro e por enquanto esse final de ano não está tão produtivo quanto eu imaginei (e gostaria). Faz parte, né?

Giovanni de James Baldwin foi o livro que predominou na semana e também a leitura concluída no período. A história foi outra ótima experiência com a coleção Grandes Sucessos e sem dúvida o enredo faz refletir sobre o incomodo que se é não fazer parte do socialmente aceito ou suprir as expectativas criadas pela família. O vídeo de opinião já está no canal e logo tem versão em texto no blog.



Saga de Érico Veríssimo foi o segundo livro que ganhou espaço na semana 41 e mesmo mantendo a leitura constante ainda não consegui concluir a história. Acredito que a parte mais impactante do enredo tenha passado, mas estou curiosa para saber como o autor vai construir o desfecho do personagem, da história e aproximar seu contato com a família. Em breve tem rola opinião por aqui. E vocês, o que estão lendo?

Assista ao vlog da semana 41 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Giovanni de James Baldwin (compre na Amazon)
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Garimpando nos desapegos da sogra!!!

16 de novembro de 2017

Eu adoro mexer com roupas. Gosto de observar minha mãe organizar o guarda-roupa desde criança e lembro que brincava de loja com os sapatos dela, vendendo, comprando e provando todos, hehehe. Desde adolescente eu gosto de procurar por peças diferentes ou que eu não usaria a primeira vista. Na época eu não conhecia brechós, nem outras pessoas que curtiam o tema. A internet certamente me ajudou a entender que o que eu adoro mesmo é garimpar roupas

Para começar essa série no Estante da Nine eu aproveitei os desapegos da minha sogra Fátima para garimpar alguns vestidos. Confesso que dois deles que mostrei no vídeo estou na dúvida real em manter ou não, já que o propósito é usar as roupas, mas no geral tive a oportunidade de testar algumas peças que eu provavelmente não compraria na loja, pelo modelo ou pela estampa.



Também quero comentar com vocês sobre usar roupas usadas. Entendo que muitas pessoas não se sintam a vontade e até não gostam, mas como parte de uma família enorme sempre foi hábito entre as mães e outros parentes trocar roupas entre os primos. Reutilizar roupas, principalmente as de boa qualidade, é uma ação saudável, que exercita a criatividade, e ajuda na reciclagem, na contenção de lixo e no aumento da vida útil da peça. Afinal, roupas e calçados são bem duráveis.

Uma última observação sobre esse novo tema por aqui é que a qualidade do vídeo não ficou como eu gostaria. Na edição percebi que o enquadramento não favoreceu a visão das peças e gravar com os vestidos no corpo certamente acrescenta conteúdo ao vídeo, então para o próximo, garimpando nos desapegos da mãe, estou pensando em uma versão mais completa e interessante. Espero que gostem. Vocês trocam roupas ou compram em brechós e bazares?

Veja minhas escolhas entre os desapegos da sogra

Beijos!

Leitura todo dia: semana 40

14 de novembro de 2017

O que está acontecendo com minha primavera? Eu tinha certeza que leria muito, vários livros legais, mas a realidade está um pouco distante disso, tudo bem. No resumo da semana 40 do projeto Leitura todo dia eu vou compartilhar as histórias que estiveram comigo entre 1º a 7 de novembro, a primeira semana do mês que já alerta para o final do ano.

A quarta-feira, dia que começa uma nova semana do projeto foi de novo de zero leitura. Na quinta eu escolhi uma nova leitura da bolsa, Giovanni de James Baldwin e logo nas primeiras páginas o livro me envolveu, já que aborda como a homossexualidade impediu que David vivesse de verdade sua vida e seus amores. Sexta eu segui na leitura de Giovanni, assim como nos dias finais do resumo, segunda e terça.

O sábado também foi de leitura zero, mas no domingo eu avancei dois capítulos em Saga de Érico Veríssimo. Eu adoro a história a cada novo trecho e é uma pena que eu tenha começado o livro numa época tão inconstante de leituras e cheia de trabalho. Mesmo com a lentidão espero concluir Saga ainda e novembro e é claro que o livro vai ganhar uma recomendação especial (provavelmente em vídeo também). E vocês, o que leram nos últimos tempos?

Assista ao vlog da semana 40 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Giovanni de James Baldwin (compre na Amazon)
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Otelo de William Shakespeare

10 de novembro de 2017



Otelo - o mouro de Veneza
Autor: William Shakespeare
Editora: Nova Fronteira
Edição: 2011
Páginas: 153
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA TAMBÉM
A cor púrpura de Alice Walker
Otelo, o Mouro de Veneza é das mais importantes peças de William Shakespeare. Iago, alferes de Otelo, não suporta ver outra pessoa ocupar o posto de tenente que pretendia. Já Otelo, um nobre mouro a serviço do Estado, não acredita que possui qualidades suficientes para manter ao seu lado uma mulher jovem e bonita como Desdêmona. Iago, tomado pela inveja e sentimentos malévolos, acusa Desdêmona de infidelidade e busca a destruição de Otelo.

Meta da semana: 5 a 11 de novembro

5 de novembro de 2017

Novembro começou no ritmo lento do final de outubro e como eu resolvi não fazer metas mensais até o final de 2017 pensei na boa oportunidade de retomar com a meta da semana. Há praticamente um mês publiquei a última edição dessa coluna e de lá para cá o Kindle salvou as leituras algumas vezes. E não é coincidência que o mesmos dois livros comentados na edição recente estejam aqui novamente.

O principal objetivo desse mês é concluir as leituras em andamento para deixar dezembro totalmente livre para novas escolhas. Saga de Érico Veríssimo está interessante, mas parece que escolho os piores dias para ler, não avanço nem dois capítulos. Assim que concluir essa publicação espero voltar para a leitura, parada na página 133, início do capítulo 12, um pequeno avanço se comparado com o mês passado.

O vermelho e o negro de Stendhal deve estar parado perto de dois meses agora. Eu estava empolgada com a história, mas com o passar dos dias e a falta de algumas horas para dedicar a leitura me afastei do livro. Espero concluir em novembro porque a lista de calhamaços é gigante e muita coisa vai ficar para 2018

Outra leitura em andamento é minha escolha da bolsa, Giovanni de James Baldwin, que devo retomar amanhã e comento parte dessa meta na semana 40 do projeto Leitura todo dia (que sai quarta), e a outra metade no resumo 41. A coleção Grandes Sucessos da qual o livro faz parte tem me proporcionado boas leituras e tem tudo para ser mais um favorito do ano. E vocês, o que pretendem ler essa semana?

LIVROS
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)
Giovanni de James Baldwin (compre na Amazon)

Beijos!

Foto: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 39

4 de novembro de 2017

O resumo 39 do projeto Leitura todo dia começou sem leitura, na quarta-feira dia 25 de outubro e teve ainda um final de semana em branco, mas no geral foi ok. Com três dias sem avançar uma página a verdade é que poderia ser muito pior. O bônus de tudo isso é que realmente certos momentos pedem uma folga e é importante se permitir esse intervalo. 

Demônios das estrelas e O céu em ação de Pat Kovacs foram as leituras de quinta-feira, dia 26 no Kindle. Gostei de ambas histórias, especialmente da 2º, porque trazem mitologia do oriente e uma jornada significativa da protagonista. O contexto do conto, apesar de ficcional, é muito comparável a situações do dia a dia real. 

A volta dos mortos vivos de John Russo foi a leitura finalizada da semana 39, que encerrou dia 31 de outubro, e como aconteceu no resumo anterior devo repetir que fiquei surpresa com o enredo. A segunda história é muito mais sangrenta, violenta e aterrorizante. Além dos mortos-vivos os encurralados precisam julgar o caráter uns dos outros porque grupos de saqueadores estão atacando as casas. Logo tem comentário mais detalhado sobre a história por aqui. E a semana de vocês, foi boa?

Assista ao vlog da semana 39 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
A volta dos mortos vivos de John Russo (compre na Amazon
Demônio das estrelas de Pat Kovacs 
O céu em ação de Pat Kovacs (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

As ondas de Virginia Woolf

2 de novembro de 2017




As ondas
Autora: Virginia Woolf
Editora: Nova Fronteira
Edição: 2014
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA TAMBÉM
Entre os atos de Virginia Woolf
As Ondas é o sexto romance de Virginia Woolf. Seus seis personagens estão imersos em monólogos e articulam-se formando vozes, apresentando suas inquietações e sensações íntimas. A dificuldade de controlar o fluxo do tempo transforma o livro, de ondas ora intensas, ora rarefeitas, num verdadeiro jogo existencial, pois a autora utiliza por analogia elementos como a água e a natureza, evidenciando tensões a partir de temas como a homossexualidade, a traição, o adultério, a amizade e o amor.

Leitura todo dia: semana 38

30 de outubro de 2017

Semana começando, aliás - que seja boa para todos nós, e sigo na meta de manter o blog atualizado e com os posts em dia. Por isso, o papo hoje é com o resumo dos livros lidos entre 18 a 24 de outubro, a semana 38 do projeto Leitura todo dia. O ritmo continuou lento, mas as leituras seguem, mesmo que devagar. Essa semana, assim como a que comentei no post anterior, também começou sem páginas lidas na quarta.

Durante a semana 38 eu continuei e conclui o livro A noite dos mortos vivos de John Russo. Eu não sou entusiasta de zumbis, mas eu adorei essa história principalmente porque tem muitas coisas nas entrelinhas da sobrevivência humana, dos limites da mente com fatos que não podem ser explicados ou assimilados e como  um ser subjuga o outro. Estou curiosa para conhecer o filme e espero que seja interessante também.

Saga de Érico Veríssimo continua aparecendo por aqui e na semana 38 eu li mais dois capítulos da história. Agora sim o enredo chegou num ponto crucial - onde os personagens enfim viajaram ao campo de batalha e o questionamento que antes era sobre o combate agora é sobre porque abandonaram suas vidas para viver a experiência horrível da guerra.

Na reta final da semana 38 eu voltei para o Kindle e para um dos meus autores favoritos. Li Cinco mulheres e Elogio da vaidade, ambos de Machado de Assis. O primeiro foi ok, uma história com várias mulheres de personalidade diferente, mas não marcante. Já a segunda experiência foi ótima, já que Machado de Assis coloca a vaidade como protagonista e argumenta com a modéstia porque é mais importante na vida das pessoas do que a outra. Peculiar e reflexivo, vale muito a pena conhecer. E vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 38 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
A noite dos mortos vivos de John Russo (compre na Amazon)
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Cinco mulheres de Machado de Assis (baixe na Amazon)
Elogio da vaidade de Machado de Assis (baixe na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 37

28 de outubro de 2017

Atrasado é pouco para definir as edições do projeto Leitura todo dia que eu deixei para trás aqui no blog. Então, para mudar as coisas, vou aproveitar o sábado para atualizar as colunas pendentes, começando pela semana 37, que rolou entre os dias 11 a 17 de outubro e começou com leitura zero no primeiro dia. Depois de algumas semanas de boa leitura, o ritmo diminuiu.

A semana 37 também teve minha volta para Saga de Érico Veríssimo, livro que infelizmente leio poucos capítulos sempre que pego. Toda vez que eu planejo dedicar algumas horas para obra algo inesperado acontece e muda meus planos. A história chegou em um ponto crucial, já muito próximo a guerra, e com as dilemas sérios sobre a vida. Espero sinceramente concluir a história em breve.

A primeira leitura da bolsa da semana 37 foi Otelo de William Shakespeare e também foi o livro concluído do período. Adorei a peça, principalmente por tratar de temas como a manipulação e calúnia e por apresentar um personagem que para a guerra e entre os companheiros é tão admirável e valente, mas que a ideia de uma traição se transforma em um assassino. Em breve vou comentar mais sobre Otelo no Estante da Nine e deixo desde já a recomendação.

A semana 37 encerrou com uma nova escolha para a bolsa e a opção da vez foi A morte dos mortos vivos de John Russo, história de suspense que eu tirei da estante principalmente porque muitas pessoas que eu acompanho estão fazendo projetos de leitura temáticos para esse mês e fui influenciada a escolher algo sombrio. A primeira impressão da história foi positiva e sigo contando sobre a experiência nos próximos resumos. E vocês, o que leram?

Assista ao vlog da semana 37 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Otelo de William Shakespeare (compre na Amazon)
A noite dos mortos vivos de John Russo (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Na época do ragtime - dirigido por Milos Forman

25 de outubro de 2017




Na época do ragtime
(Ragtime)
Direção: Milos Forman
Produção: Dino De Laurentiis Company
Ano: 1981
Duração: 155 minutos
Filmow | IMDb

LEIA TAMBÉM
Ragtime de E.L. Doctorow

Que eu viciei na trilha sonora de Na época do ragtime (apenas Ragtime no original), vocês já sabem, então para fechar meu ciclo com essa história tão marcante hoje vou compartilhar no Estante da Nine como foi a experiência com o filme, dirigido por Milos Forman. Antecipo que vale a pena assistir, mas sem dúvida a história do livro é mais rica e completa.

No filme, assim como na obra de E.L. Doctorow, o roteiro acompanha três famílias e alguns outros personagens secundários que também são representativos no decorrer na trama. A diferença é que a adaptação é mais recortada e o contexto e as conexão que fazem com que todos se interliguem não é tão explorada e nem tão explicada. Não cheguei a considerar os personagens fúteis, mas alguns parecem mais incompreendidos que outros. 

Diferente do livro que dá um bom espaço para cada uma das famílias, o filme centra a ação em duas delas, que se ligam por um fato trágico e que têm caminhos diferentes e com consequências severas, mais chocante que a situação que os interligou. O racismo, o orgulho, o poder, tudo isso é bem representado no filme de Milos Forman. O drama presente em cada um das famílias também.

Assim como no livro, o roteiro utilizou bem os aspectos históricos e o cenário urbano da Nova York do início do século XX para enriquecer o contexto e o pano de fundo da história. Inclusive eu gostei mais desse elemento na adaptação, que além de ter o recurso visual como principal diferencial, torna esses momentos mais dinâmicos. Certos trechos no livro foram enfadonhos.

É incomodo acompanhar como a vida de certos personagens é desgraçada por atitudes intolerantes ou provocativas. Na época do ragtime consegue retratar com clareza como era a realidade da elite dominante, em contrapartida com a discriminação racial contra negros e imigrantes e o que isso acarretava no dia a dia, nas condições de vida e trabalho. A terra das oportunidades na verdade impôs verdadeira luta pela sobrevivência entre os que não eram abastados. 

Um ponto negativo na adaptação é que eu não gostei do personagem masculino escolhido como de primeiro plano. Principalmente porque no livro ele é mais complexo do que apresentado no filme, e também porque Coalhouse Walker Jr. (foto acima) rouba a cena e o outro de jeito nenhum deveria estar ao lado dele. Além disso, outro personagem masculino que merecia destaque foi mau aproveitado na trama.

Uma personagem feminina extremamente importante no livro foi deixada de fora e com ela toda uma mensagem, mas de uma forma geral as outras duas protagonistas representam mulheres opostas e que na mesma proporção se decepcionam com os homens. Sem dúvida a época retratada no filme ao mesmo tempo que é repleta de excessos é dominada por preconceitos e isso é visto no decorrer dos 155 minutos. 

Apesar de não ser uma adaptarão favorita, é um bom filme. O visual, os cenários, a trilha - sonora que já recomendei no blog e o figurino, que estou apaixonada, são alguns dos méritos da direção de Milos Forman. Também é uma ótima alternativa para conhecer a história de E.L. Doctorow e assistir a um filme de época. 100 anos se passaram e tudo que é discutido na história é extremamente atual, então vale a dica, né? Vocês conhecem Ragtime?

Beijos!

Fotos: Divulgação

Ragtime de E.L. Doctorow

24 de outubro de 2017



Ragtime
Autor: E.L. Doctorow
Editora: Abril Cultural
Edição: 1983
Páginas: 248
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA TAMBÉM
Em algum lugar do passado de Richard Matheson
A história de três famílias: uma de brancos protestantes, outra de judeus emigrados e uma terceira de negros. O autor entrelaça livremente fatos reais e imaginários ocorridos nos Estados Unidos nos primeiros anos do século XX, apresentando figuras e acontecimentos que foram notícia na época e criando um perfil de um país em formação, incerto ainda em seus rumos, mas extremamente dinâmico e rico em contrastes violentos.

A incrível trilha sonora de Ragtime

23 de outubro de 2017

Ragtime de E.L. Doctorow chegou na minha estante no mesmo dia que encontrei uma edição da coleção Grandes Sucessos da Abril Cultural no sebo. Pouco tempo depois, também motivada pela nova versão lançada pelo clube de assinaturas TAG - Experiência Literárias, eu resolvi tirar a história da estante e ler, e de lá para cá tive algumas boas surpresas envolvendo Ragtime. O título do post entrega, não é?!

Antes de escrever sobre o livro e também sobre a adaptação dirigida por Miloš Forman (assina o feed para receber as atualizações por e-mail e saber quando tudo isso estará no ar), eu resolvi compartilhar algo diferente por aqui. Algo que só recentemente, e por assistir muitos filmes de época, eu me apaixono cada vez mais: trilha sonora. Eu nunca fui atenta a isso, confesso, mas é impossível ignorar a bela trilha de Ragtime composta por Randy Newman.

O que eu mais gostei sobre a trilha de Ragtime é que ela realmente conseguiu me transportar para a época em que se passa o livro e o filme, aspecto que tive certa dificuldade no início da leitura e teria me ajudado imensamente ouvir essa seleção quando comecei a história de E.L. Doctorow. Outro ponto interessante é a variação de ritmo e intensidade, como algumas músicas são sinistras, outras animadas e outras ainda dançantes, perfeitamente de acordo com os vários momentos da adaptação.

Infelizmente eu não encontrei todas as informações sobre a trilha sonora em uma fonte confiável, mas usei como referência um vídeo no Youtube (incorporado abaixo), com as músicas do CD e também a lista de canções compostas por Randy Newman para Ragtime, resultado da pesquisa do Google. Então antes de conversamos sobre livro e filme, vamos entrar no clima das primeiras décadas dos anos 1900?

Trilha sonora de Ragtime disponível no Youtube

TRILHA SONORA (lista do Google)
  1. Main Title
  2. Newsreel
  3. I Could Love a Million Girls
  4. Train Ride
  5. Tateh's Picture Book
  6. Lower East Side
  7. Delmonico Polka
  8. Coalhouse and Sarah
  9. Waltz for Evelyn
  10. One More Hour
  11. Sarah's Responsibility
  12. Change Your Way
  13. Clef Club No. 1
  14. Atlantic City
  15. Clef Club No. 2
  16. Sarah's Funeral
  17. Denouement
  18. Ragtime
  19. Ragtime Theme

Beijos!

Sobre combinar livros e marcadores de página

22 de outubro de 2017

Todos nós leitores temos manias e hábitos em relação aos livros e leituras. No post de hoje eu vou compartilhar com vocês o meu vício de 2017: combinar marcadores de página com a edição, o tema do livro ou o autor. Eu fiquei muito empolgada para postar esse bate-papo principalmente porque cada um de nós se relaciona de forma diferente com os livros e mesmo compartilhando hábitos em comum, nem todos coincidem, não é?!

Há muito tempo eu tento combinar o marcador com o livro. Quando encontro o equivalente com a capa eles se unem para não se separar mais, hehehe. Mas nem sempre é possível realizar essa primeira opção e como há pelo menos 10 anos eu mantenho o hábito de ter um livro na bolsa, notas de mercado, loja ou farmácia, assim como folhetos de propaganda, se tornam marcadores de páginas.

A minha coleção de marcadores diminuiu nos últimos anos, mas ainda tenho uma boa quantidade de itens e assim, quando não tenho o marcador do livro, eu combino com algum outro que seja do mesmo gênero, coleção ou da mesma editora. Em alguns casos, como as séries e sagas, eu também tento combinar o marcador, mesmo seja de um volume diferente daquele que estou lendo.

Por fim, a minha coleção de marcadores tem uma seção especial com aqueles itens que são artesanais, de formato diferente, como ímã ou cordão, e também os marcadores que eu crio ou customizo (pretendo compartilhar alguns por aqui e no canal). Confesso que os meus marcadores favoritos são difíceis de desapegar e alguns ainda estão a espera do livro especial, outros já encontrarem seus pares. E vocês, combinam marcadores e livros ou não?

Se preferir assista ao vídeo publicado no canal do Estante da Nine no Youtube

Beijos!