O Morro dos Ventos Uivantes - dirigido por Peter Kosminsky

29 de junho de 2017




O Morro dos Ventos Uivantes
(Wuthering Heights)
Direção: Peter Kosminsky
Produção: Paramount Pictures
Ano: 1992
Duração: 105 minutos
Filmow | IMDb

 LEIA MAIS
O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brönte

Dia desses no início da semana, segunda se não me engano, estava trocando os canais da TV quando me deparei com O Morro dos Ventos Uivantes começando no canal Paramount. Curiosa, adiei os planos de leitura para acompanhar a adaptação, uma das muitas, do livro de Emily Brönte. E não me arrependi.

Acho importante ressaltar que li O Morro dos Ventos Uivantes há alguns anos, então não sei dizer em detalhes as diferenças do enredo e roteiro, mas achei o filme de Peter Kosminsky fiel as características originais do livro. A história conta a relação impossível entre dois jovens que foram criados juntos desde pequenos, mas que por questões sociais e preconceitos da época, e suas próprias decisões, nunca puderam viver uma história de amor



Juliette Binoche e ralph Fiennes representaram muito bem Cathy e Heathcliff. Embora eu esperasse um protagonista masculino com características mais mestiças, afinal ele é decente de ciganos do livro, e esse aspecto é motivo de preconceito, as personalidades foram fiéis. Ela é mesquinha e egoísta, entende seu coração, mas prefere manter as aparências. Ele é orgulhoso e vingativo e se transforma num vilão dos mais temíveis. 

O contexto e costumes da época também são temas de destaque no filme. Embora não tenham a mesma relevância que no livro, porque afinal é uma história bem detalhada resumida em um par de horas, o roteiro consegue incluir temas importantes é que formam um bom cenário para quem não conhece a sociedade do século XIX e os hábitos ingleses.

Um dos pontos altos do livro, e que no filme eu também adorei, é o cenário. Muito do clima sombrio da história é por conta do local, da casa, O Morro dos Ventos Uivantes, que é sinistra e fica em um terreno sem nada por perto. Também tem as colinas com neblina e o tempo chuvoso. Tudo no visual do filme me agradou. Provavelmente seja meu ponto favorito dessa adaptação.

Sem planejar eu assisti uma adaptação literária que me deixou muito feliz, principalmente depois da experiência nada boa com Madame Bovary. Minha nota para O Morro dos Ventos Uivantes dirigido por Peter Kosminsky foi de 3.5 estrelas no Filmow. Gostei do filme, dos atores, do cenário e da fotografia, mas ainda tem muitas adaptações desse livro pra conferir, talvez alguma me agrade mais.

Então gente é isso por hoje. Acordei cedo nessa quinta para escrever sobre o filme porque assisti na semana e não queria deixar passar tanto tempo para falar sobre ele. O Morro dos Ventos Uivantes foi uma boa surpresa e recomendo o filme para quem leu e também quem não leu, hehehe. Vocês já assistiram a alguma adaptação do livro de Emily Brönte?

Beijos!

Fotos: Divulgação

Leitura todo dia: semana 20

27 de junho de 2017

O Leitura todo dia semana 20 atrasou incrivelmente, aliás as últimas semanas estão estranhas, mas finalmente saiu. O resumo da vez é com os livros e ebooks lidos entre 14 a 20 de junho. Começo citando Tubarão de Peter Benchley, leitura que predominou os dias dessa etapa e que foi uma boa experiência. Provavelmente eu não vou mais entrar no mar com a empolgação de antes e estou curiosa pelo filme, que em breve quero assistir.

Outra leitura da semana 20, dessa vez no Kindle, foi A rainha da primavera de Karen Soarele, história que faz parte do mundo de Myríade, que eu inclusive já li um outro livro, Línguas de fogo. Outra boa experiência com uma fantasia de autora nacional, que apresenta um universo rico e uma protagonista forte e determinada. Fica a dica de leitura para quem gosta do tema.

Outra leitura que me acompanhou durante a semana foi O retorno do rei de J.R.R. Tolkien, livro que há dois meses estava por aqui e em junho finalmente a combinação de vontade + tempo aconteceu. Li os primeiros capítulos e a história não começou exatamente no ponto em que eu imaginava, mas está interessante. O autor explica muito bem o contexto e a importância de cada personagem.

O Kindle aparece de novo no resumo porque li Livro das máguas de Florbela Espanca, meu segundo contato com a autora e outra experiência sensacional e melancólica. Também no e-reader peguei para ler História de uma lágrima de Machado de Assis, conto que não foi favorito, mas trata de um tema que eu gosto, que é a melancolia e a desgraça da vida pelas escolhas que não puderam ser feitas. O que vocês leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 20 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Tubarão de Peter Benchley
A rainha da primavera de Karen Soarele (compre na Amazon)
Livro de máguas de Florbela Espanca (baixe na Amazon)
História de uma lágrima de Machado de Assis (baixe na Amazon)

Beijos!

Diário de leitura: O retorno do rei #2 - Aragorn salva o dia!

26 de junho de 2017

Demorou, mas saiu. Eu finalmente li os primeiros capítulos de O retorno do rei de J.R.R. Tolkien e o diário de leitura de O Senhor dos Anéis que ficou parado muito tempo, está de volta. Publiquei o vídeo há alguns dias no canal e hoje vou reproduzir no blog, em texto, as minhas impressões sobre os primeiros seis capítulos do livro.

Ao terminar As duas torres tive a impressão, não sei bem porque, de que O retorno do rei começaria já com a guerra. E de fato ela é presente, mas Tolkien explica em detalhes, no decorrer dos primeiros capítulos, a situação de cada povo, foco nos humanos, e como está cada um em relação a guerra. O poder de Sauron parece imbatível nesse começo do livro e o autor trabalha muito bem o clima sombrio e sem esperança que todos os personagens parecem sentir, sem exceção

Demorei um bom tempo para entender, ou pelo menos especular, o real significado de Frodo para a história. Neste primeiro terço do livro ele não aparece, apenas é citado pelos outros personagens que também não sabem do seu paradeiro. No entanto, com a guerra em ação, o foco é o combate - e fica no ar aquela dúvida sobre onde os hobbits estão.

E por falar em hobbits, Pippin e Merry, que por boa parte dos livros anteriores foram figuras atrapalhadas e por vezes fora de contexto, têm importância significativa nos primeiros capítulos de O retorno do rei. Eu que sempre subestimei a presença deles na jornada entendo agora porque Gandalf foi até o Condado em busca de figuras tão peculiares.

Gandalf segue com a imagem do portador de más notícias, mas se mostra um grande estrategista, e espero que isso realmente se confirme sobre meu personagem favorito. Aragorn faz um caminho alternativo, caminho esse que ninguém acha possível realizar, sombrio e desafiante, mas salva o dia assim que os capítulos dessa primeira parte do diário de leitura terminam. Apesar de ter imagino um contexto diferente, minha expectativa é alta para o desfecho de O retorno do rei. Será que vou gostar?

Se preferir, assista ao vídeo com as impressões da 1ª parte de O retorno do rei

Beijos!

Resumo de maio (2017) - Friends, Bones e TVD!

23 de junho de 2017

Em maio não rolou nenhum filme inédito para entrar na lista do resumo do mês, por isso a coluna começa com Friends. Assisti a 9ª e 10ª temporadas e adorei ter essa experiência tão intensa com a série. Pensando sobre tudo, não sei se fiquei satisfeita com o final, o desfecho de várias situações foi rápido e pouco trabalhado e a empolgação de escrever sobre Friends passou. Vocês acham que vale texto e/ou vídeo?

Bones, uma das minhas séries favoritas, voltou pra vida e em maio assisti a 10ª temporada, a última disponível na Netflix. Apesar dos altos e baixos, o que acontece com todo seriado longo, Bones me atrai pela parte investigativa e também pela vida e evolução de cada personagem. Para quem gosta de séries sobre crime é recomendação certa, mas como eu adoro reforço que vale tentar pelo menos para conhecer.

Bateu saudade de The Vampire Diaries e eu arrisquei assistir alguns episódios na Netflix. Quando a série foi lançada eu adorava e acompanhava sempre, mas no final da 4ª temporada eu desanimei. Comecei a quinta e depois de quatro episódios a motivação para continuar não apareceu. Talvez eu tente uma maratona de The Originals, que sempre me envolve mais, e depois volte para The Vampire Diaries. O que vocês assistiram nos últimos tempos?

Assista ao vídeo da coluna resumo do mês de maio

SÉRIES

Beijos!

Medo de ler clássicos

19 de junho de 2017

Desde que li Madame Bovary de Gustave Flaubert fiquei com vontade de conversar sobre clássicos da literatura por aqui. Para muitos leitores ainda é um desafio tirar um livro da estante que tenha esse peso de clássico, mas com o passar do tempo imagino que é natural se aventurar pelo gênero. Eu tenho me envolvido cada vez mais com as histórias antigas e é por isso que quero dizer pra ti: dá uma chance!

O meu primeiro medo em relação aos clássicos, quando tive os primeiros contatos lá em 2012/2013 por vontade minha era de não entender as histórias. Claro que alguns livros exigem pesquisa, principalmente se é de um país ou região que tu sabe pouco ou quase nada, mas no geral clássicos são livros com temas ainda muito atuais (por isso também considerados clássicos), então conseguimos fazer conexão com situações do dia a dia, da vida mesmo.

Outro desafio pessoal no contato com os clássicos, e tema da conversa de hoje, é a obrigação de gostar do livro porque ele é clássico. Algumas histórias foram tão contraditórias que não tive coragem de escrever post pro blog ou gravar vídeo no canal por medo das críticas ou de comentários como: "Tu não gostou porque não entendeu".

Com o passar do tempo, no entanto, eu percebi que entender a relevância histórica do livro ou sua representatividade dentro da literatura é diferentes de gostar de verdade da obra. Como leitores temos, quase sempre, uma opinião final sobre o livro, que pode ser positiva ou negativa, e com os clássicos não é diferente. Hoje tenho uma relação mais saudável com essas leituras, sem pressão ou coisas do tipo.

Se tu tem curiosidade por um clássico da literatura tente sem medo. Pesquise sobre o livro, leia ou assista outras opiniões sobre ele e tire tuas próprias conclusões. Livros clássicos são uma forma de entender a sociedade que nos precedeu e isso é o que tem me motivado a continuar com essas leituras. Dá pra entender muita coisa sobre política, sociedade e cultura lendo livros do passado e contemporâneos, do nosso país ou de uma nação do outro lado do mundo. Aventure-se com algum clássico e depois me conta como foi.

Vídeo sobre o medo de ler clássicos para o canal do Estante da Nine

Beijos!

Leitura todo dia: semana 19

17 de junho de 2017

A semana 19 do projeto Leitura todo dia começou ruim, ruim mesmo. Nos três primeiros dias, entre a quarta-feira, 07 de junho - até a sexta, 09 - eu não li nada. Verdade que fiz outras coisas, mas mesmo assim eu fiquei chateada por não ter pego nenhum livro. Bateu um medo de que essa ressaca literária fosse permanecer por mais tempo, mas felizmente as coisas estão voltando ao normal.

O mandarim de Eça de Queirós foi a leitura que me tirou da ressaca literária. Esse foi meu primeiro contato com o autor e eu adorei essa história de realismo fantástico, sobre um jovem português ambicioso que cobiça uma herança e após uma espécie de pacto consegue o dinheiro. Apesar de vida de extravagâncias, o personagem é assombrado pelo fantasma do mandarim rico morto por seu desejo e o leitor acompanha sua batalha para compensar o erro do passado. Adorei e recomendo.

A minha leitura da bolsa durante a semana 19 foi Tubarão de Peter Benchley. Os primeiros capítulos foram sem grandes informações, mas a partir do 3º as coisas ficaram interessantes. Tenho alguns palpites sobre o rumo do enredo e tenho a sensação que vou gostar muito do livro. Na próxima semana eu sigo com ele e comento mais nas redes sociais.

Nos últimos dias eu também continuei O retorno do rei de J.R.R. Tolkien, que finalmente está rendendo e o diário de leitura de O Senhor dos Anéis vai continuar. Eu esperava mais ação nos primeiros capítulos, mas me enganei. Frodo e Sam continuam sem aparecer, mas Aragorn salvou o dia mais uma vez. Enfim, está interessante acompanhar o desfecho da trilogia e espero gostar. O que vocês leram nos últimos tempos?

Assista ao vlog da semana 19 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
O mandarim de Eça de Queirós (baixe na Amazon)
Tubarão de Peter Benchley
O retorno do rei de J.R.R. Tolkien

Beijos!

TAG de A a Z

16 de junho de 2017

Um inscrito pediu através dos comentários para que eu respondesse a TAG de A a Z. Eu não encontrei o vídeo do pedido, mas anotei o tema para começar o especial de aniversário de 7 anos do canal (e 8 do anos do blog), que é justamente uma sugestão de quem acompanha o Estante da Nine. Quando gravei o vídeo eu esqueci de incluir alguns itens, por isso aqui no post eu conferi tudo e vou responder todos os tópicos, hehehe. Desculpa pela mancada pessoal. Vamos lá?!


TAG de A a Z 

Autor preferido: Jane Austen e Machado de Assis
Bebida preferida durante a leitura: café, sempre, e quando não dá chá
Citação literária preferida: "Não é o tempo nem a oportunidade que determinam a intimidade, é só a disposição" - Razão e sensibilidade de Jane Austen
Detestaste ler: A máquina de contar histórias
Estás a ler: O retorno do rei
Feliz por teres dado uma oportunidade: Um gato de rua chamado Bob
Género literário que não lês: até que leio de tudo um pouco
Hardcover ou paperback? Paperback
Internet ou livrarias físicas? Internet, na maioria das vezes
Julgas um livro pela capa? Julgo sim, e muito em certos casos, hehehe
Kobo ou Kindle? Kindle
Livro mais longo que já leste: Abusado e Chatô, o rei do Brasil
Momento mais importante na tua vida literária: ter trabalhado em uma editora
Número de estantes que possuis: duas
Obsessão literária: procurar mais informações sobre algum tema citado no livro
Personagem que provavelmente terias namorado na escola: Percy Jackson, hehehehe
Quantos livros tens por ler? Talvez uns 150 (fora os ebooks)
Ressacas literárias. Quando foi a tua última? Na semana que passou (a ainda bem que já foi)
Série que começaste e precisas de acaba: Eragon
Três dos teus livros preferidos de sempre: O hobbit, Razão e sensibilidade e Memórias da casa dos mortos
Último livro que leste: O mandarim
Voltarás a ler: A química
Wishlist literária. Qual o último livro que adicionaste à tua wishlist? Jane Eyre
X marca o lugar. Qual o 24º livro da tua estante? No vídeo eu respondi com o 4º, A menina que roubava livros, então o 24ª é Entre o amor e a paixão
Ya ou livros adultos? Livros adultos
Zzzz...Qual o último livro que te manteve acordada até tarde? Morte em Veneza, Um gato de rua chamado Bob e Bela distração

Também respondi a TAG de A a Z no canal do Estante da Nine no Youtube


Beijos!

Madame Bovary de Gustave Flaubert

15 de junho de 2017



Madame Bovary
Autor: Gustave Flaubert
Editora: LePM Pocket
Edição: 2014
Páginas: 334
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino | Amazon

LEIA TAMBÉM
O amante de Lady Chatterley de D. H. Lawrence
Emma é uma mulher sonhadora, uma pequeno-bur­guesa criada no campo que aprendeu a ver a vida através da literatura senti­men­tal. Bonita e requintada para os padrões provincianos, casa-se com Charles Bovary, um médico interiorano tão apaixonado pela esposa quanto entediante. Nem mesmo o nascimento de uma filha dá alegria ao indissolúvel casamento no qual a protagonista sente-se presa. Como Dom Quixote, que leu romances de cavalaria demais e pôs-se a guerrear com moinhos, ela tenta dar vida e paixão à sua existência, escolha que levará a uma sucessão de erros e a uma descida ao inferno.

Os cérebros prateados de Fritz Leiber

12 de junho de 2017




Os cérebros prateados
Autor: Fritz Leiber
Editora: FC Hemus
Edição: 1979
Páginas: 220
Skoob | Goodreads
Compre no Estante Virtual

LEIA TAMBÉM
Fahrenheit 451 de Ray Bradbury
Num futuro indefinido, os escritores não mais existem, com os livros sendo produzidos por máquinas sob o controle de homens que são chamados de escritores, mas que não criam verdadeiramente nada. São obrigados a vestir-se e agir de acordo com a publicidade imaginada pelos editores, enquanto as máquinas despejam milhares de livros por dia. Os escritores revoltam-se e demolem todas as máquinas, exigindo o direito de escrever suas próprias histórias, mas quando a revolução triunfa, percebem que não têm o que dizer, e se tiverem, não sabem como transformar em livros. Os editores surgem então com a ideia de utilizar os cérebros – literalmente, cérebros de escritores do passado mantidos vivos – para criar as histórias. Ainda que o enredo não esteja entre os melhores, é uma boa sátira ao mundo editorial, com humor bem elaborado, e farpas sobrando para todos.

Leitura todo dia: semana 18

9 de junho de 2017

A semana 18 do projeto Leitura todo dia foi muito boa e aquela alegria das boas leituras voltou. O resumo dos dias 31 de maio a 06 de junho começa com Morte em Veneza de Thomas Mann, leitura da bolsa que foi muito interessante, principalmente porque foi meu primeiro contato com o autor. A história de um escritor resignado que se apaixona por um jovem é tão envolve e polêmica que conclui o livro em poucos dias. O cenário é um bônus e provavelmente eu vou comentar sobre o livro em breve por aqui.

Minha segunda leitura da semana também foi um livro da coleção Saraiva de Bolso, Poemas e cartas a um jovem poeta de Rainer Maria Rilke. Adorei a edição especialmente pelas cartas, já que sempre tive curiosidade para conhecer o trabalho do poeta e anteriormente li apenas uma pequena carta dele no Kindle. Sem dúvida quero expandir meu contato com Rilke no futuro.

Teve clássico brasileiro e leitura no Kindle de volta na semana 18 e a escolha foi o conto O esqueleto de Aluísio Azevedo, autor que tem aparecido cada vez mais por aqui. Novamente tive uma ótima experiência, principalmente porque a história traz como um dos personagens principais D. Pedro I, e também porque aborda vários temas importantes, do estupro as figuras nada honradas que chegaram no Brasil junto à corte portuguesa. Livro de domínio público (link abaixo para download) e recomendação certa.

Eu finalmente comecei O retorno do rei de J.R.R. Tolkien e essa é a grande vitória do mês do projeto Leitura todo dia, hehehe. Li apenas dois capítulos, mas já deu pra sentir que a história vai demorar um pouco mais para se desenvolver do que eu esperava, mas tudo bem - quando comecei a trilogia sabia que era descritiva e bem rica em detalhes, então há capítulos e capítulos, não é?. Espero concluir esse mês e continuar o diário de leitura. O que vocês leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 18 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Morte em Veneza de Thomas Mann
Poemas e cartas a um jovem poeta de Rainer Maria Rilke
O esqueleto de Aluísio Azevedo (baixe de graça na Amazon)
O retorno do rei de J.R.R. Tolkien 

Beijos!

O colar de veludo de Alexandre Dumas

8 de junho de 2017




O colar de veludo
Autor: Alexandre Dumas
Editora: LePM Pocket
Edição: 1997
Páginas: 238
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino | Amazon

LEIA MAIS
O amante de Lady Chatterley de D. H. Lawrence
O Colar de Veludo trata-se de um romance de ação trepidante, ambientado na agitada Paris dos anos imediatamente após a Revolução Francesa. É a história de Hoffmann que deixa a Alemanha para viver o sonho de morar em Paris, a Cidade Luz. Lá ele encontra paixões arrebatadoras, a violência revolucionária e o estranho fascínio da bailarina Arsène, a dama do colar de veludo. Um livro para ler de um só fôlego e experimentar o mágico encantamento que a melhor literatura sempre reserva para os leitores.

Meta de leitura: junho (2017) - Tolkien, Paul Auster e Peter Benchley!

7 de junho de 2017

Junho começou e para aproveitar essa primeira semana com as colunas fixas eu gravei leituras de maio e meta. Alguns livros ficaram para trás, por isso O retorno do rei de J.R.R. Tolkien e O caçador de pipas de Khaled Hosseini são os dois primeiros livros a aparecer por aqui. Mês passado foi estranho porque durou uma eternidade e não rendeu tanto assim, por isso essas histórias ficaram para meta de junho.

Os sete de André Vianco foi o livro sorteado na edição recente da TBR jar e também não consegui pegar em maio. Faz tanto tempo que não leio nada do autor, que foi um dos primeiros escritores brasileiros que eu gostei, e estou com certo receio de ter uma impressão muito diferente do que foi lá nos primeiros anos de Estante da Nine. Vou comentar sobre a experiência nas redes sociais e durante o projeto Leitura todo dia.

Tubarão de Peter Benchley aparece na meta de leitura porque eu queria algo do sebo durante o mês e também porque estou escolhendo histórias da TAG 12 livros para 2017. Também entre os livros escolhidos para ler em 2017 está a Trilogia de Nova York de Paul Auster, muito recomendado por vários leitores e parado na estante há alguns anos. O que vocês escolheram para ler em maio?

Se preferir assista o vídeo com a meta de leitura para junho

LIVROS
O retorno do rei de J.R.R. Tolkien
O caçador de pipas de Khaled Hosseini
Os sete de André Vianco
Tubarão de Peter Benchley
A trilogia de Nova York de Paul Auster

Beijos!

Emboscada no Forte Bragg de Tom Wolfe

5 de junho de 2017




Emboscada no Forte Bragg
Quando a rede poderosa de televisão se confronta com os lordes da testosterona, alguém vai acabar se dando mal
Autor: Tom Wolfe
Editora: Rocco
Edição: 1998
Páginas: 154
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino | Amazon
Discutindo os limites entre verdade e ilusão, documento e manipulação, nos telejornais, abordando temas como homofobia e as milícias privadas, tão ao gosto das direitas, em todo mundo, Tom Wolfe prova nesta novela, publicada originalmente em capítulos na revista Rolling Stone, por que foi o papa do new journalism e é comparado aos grandes romancistas do século XIX, em sua abordagem de temas sociais.

Leituras de maio (2017) - Tom Wolfe, Fritz Leiber e Alexandre Dumas!

Maio foi infinito e eu tinha certeza de não ter lido quase nada. Quando conferi a lista tive a surpresa e até que foi bom, sabe? A primeira leitura concluída no mês foi Bela distração de Jamie McGuire, sorteado na TBR jar, e uma boa opção para ler algo rápido e descontraído. Eu não tenho proximidade com gênero novo adulto, mas todas as minhas experiências com a autora até agora foram positivas.

Em maio segui com Emboscada no Forte Bragg de Tom Wolfe, escritor importante para o new journalism e que eu não dei a devida atenção durante a faculdade. Eu adorei o livro principalmente porque mostra com muita clareza o que a mídia é capaz de fazer por uma grande notícia, mesmo que para isso ela quebre a individualidade e muitas leis. Em breve opinião no blog.

O clássico do mês foi O colar de veludo de Alexandre Dumas, história interessante sobre a juventude e algumas expectativas que nós logo nos desiludimos em certa idade. A minha ideia era ler Os três mosqueteiros antes, mas esse primeiro contato com o autor me deixou muito empolgada para conhecer mais de sua obra.

Os cérebros prateados de Frittz Leiber me acompanhou durante algum tempo, quem assistiu os vídeos do projeto Leitura todo dia deve ter percebido, e apesar da demora foi outra ótima experiência. O livro critica o mundo editorial e os próprios autores, a competição desenfreada, o uso de robôs e a visão do empresário. A história é ótima e merecia uma nova edição. Em breve tem post sobre ele no Estante da Nine.

Em maio eu retomei as leituras no Kindle e li Z de Manuel Alves, conto de ficção científica que debate especialmente criatura e criador. Para quem gosta do tema e procura uma leitura rápida vale a recomendação. Também no e-reader selecionei Um gato de rua chamado Bob de James Bowen, escolha para o Desafio livros e seus filmes e livro que me surpreendeu além do que esperava. Também vai rolar opinião em breve por aqui. O que vocês leram mês passado?

Assista ao vídeo com as leituras de maio

LIVROS
Bela distração de Jamie McGuire (opinião)
O colar de veludo de Alexandre Dumas
Os cérebros prateados de Fritz Leiber
Z de Manuel Alves (compre na Amazon)

Beijos!

Leitura todo dia: semana 17

3 de junho de 2017

A semana 17 do projeto Leitura todo dia começou acompanhada de uma bad e poucas leituras, mas depois de uns tempos ruins as coisas voltaram ao normal. O resumo da vez é com os livros lidos e em andamento entre os dias 24 a 30 de maio, o encerramento do quarto mês do projeto e eu nem acredito que já estamos na metade de 2017!

O livro que me acompanhou por boa parte da semana 17 foi Um gato de rua chamado Bob de James Bowen, escolha da minha lista do Desafio livros e seus filmes 2017 e adorei. Eu não tinha grandes expectativas sobre o livro e provavelmente por isso a surpresa foi tão agradável. É uma história muito interessante sobre uma amizade que salvou gato e homem. Em breve tem comentário sobre ele no Estante da Nine e deixo desde já a recomendação.

A volta para o trabalho foi puxada e escolhi um livro para bolsa durante a semana 17: Morte em Veneza de Thomas Mann, compra recente no site da Saraiva e que conclui logo depois de encerrar esse resumo. Foi um bom primeiro contanto com o autor, adorei a narrativa e o protagonista me deixou muito dividida. Provavelmente eu vou escrever sobre o livro por aqui e já penso em incluir na meta de leitura futura A montanha mágica. O que vocês leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 17 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Morte em Veneza de Thomas Mann

Beijos!