Leitura todo dia: semana 38

30 de outubro de 2017

Semana começando, aliás - que seja boa para todos nós, e sigo na meta de manter o blog atualizado e com os posts em dia. Por isso, o papo hoje é com o resumo dos livros lidos entre 18 a 24 de outubro, a semana 38 do projeto Leitura todo dia. O ritmo continuou lento, mas as leituras seguem, mesmo que devagar. Essa semana, assim como a que comentei no post anterior, também começou sem páginas lidas na quarta.

Durante a semana 38 eu continuei e conclui o livro A noite dos mortos vivos de John Russo. Eu não sou entusiasta de zumbis, mas eu adorei essa história principalmente porque tem muitas coisas nas entrelinhas da sobrevivência humana, dos limites da mente com fatos que não podem ser explicados ou assimilados e como  um ser subjuga o outro. Estou curiosa para conhecer o filme e espero que seja interessante também.

Saga de Érico Veríssimo continua aparecendo por aqui e na semana 38 eu li mais dois capítulos da história. Agora sim o enredo chegou num ponto crucial - onde os personagens enfim viajaram ao campo de batalha e o questionamento que antes era sobre o combate agora é sobre porque abandonaram suas vidas para viver a experiência horrível da guerra.

Na reta final da semana 38 eu voltei para o Kindle e para um dos meus autores favoritos. Li Cinco mulheres e Elogio da vaidade, ambos de Machado de Assis. O primeiro foi ok, uma história com várias mulheres de personalidade diferente, mas não marcante. Já a segunda experiência foi ótima, já que Machado de Assis coloca a vaidade como protagonista e argumenta com a modéstia porque é mais importante na vida das pessoas do que a outra. Peculiar e reflexivo, vale muito a pena conhecer. E vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 38 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
A noite dos mortos vivos de John Russo (compre na Amazon)
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Cinco mulheres de Machado de Assis (baixe na Amazon)
Elogio da vaidade de Machado de Assis (baixe na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 37

28 de outubro de 2017

Atrasado é pouco para definir as edições do projeto Leitura todo dia que eu deixei para trás aqui no blog. Então, para mudar as coisas, vou aproveitar o sábado para atualizar as colunas pendentes, começando pela semana 37, que rolou entre os dias 11 a 17 de outubro e começou com leitura zero no primeiro dia. Depois de algumas semanas de boa leitura, o ritmo diminuiu.

A semana 37 também teve minha volta para Saga de Érico Veríssimo, livro que infelizmente leio poucos capítulos sempre que pego. Toda vez que eu planejo dedicar algumas horas para obra algo inesperado acontece e muda meus planos. A história chegou em um ponto crucial, já muito próximo a guerra, e com as dilemas sérios sobre a vida. Espero sinceramente concluir a história em breve.

A primeira leitura da bolsa da semana 37 foi Otelo de William Shakespeare e também foi o livro concluído do período. Adorei a peça, principalmente por tratar de temas como a manipulação e calúnia e por apresentar um personagem que para a guerra e entre os companheiros é tão admirável e valente, mas que a ideia de uma traição se transforma em um assassino. Em breve vou comentar mais sobre Otelo no Estante da Nine e deixo desde já a recomendação.

A semana 37 encerrou com uma nova escolha para a bolsa e a opção da vez foi A morte dos mortos vivos de John Russo, história de suspense que eu tirei da estante principalmente porque muitas pessoas que eu acompanho estão fazendo projetos de leitura temáticos para esse mês e fui influenciada a escolher algo sombrio. A primeira impressão da história foi positiva e sigo contando sobre a experiência nos próximos resumos. E vocês, o que leram?

Assista ao vlog da semana 37 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Otelo de William Shakespeare (compre na Amazon)
A noite dos mortos vivos de John Russo (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Na época do ragtime - dirigido por Milos Forman

25 de outubro de 2017




Na época do ragtime
(Ragtime)
Direção: Milos Forman
Produção: Dino De Laurentiis Company
Ano: 1981
Duração: 155 minutos
Filmow | IMDb

LEIA TAMBÉM
Ragtime de E.L. Doctorow

Que eu viciei na trilha sonora de Na época do ragtime (apenas Ragtime no original), vocês já sabem, então para fechar meu ciclo com essa história tão marcante hoje vou compartilhar no Estante da Nine como foi a experiência com o filme, dirigido por Milos Forman. Antecipo que vale a pena assistir, mas sem dúvida a história do livro é mais rica e completa.

No filme, assim como na obra de E.L. Doctorow, o roteiro acompanha três famílias e alguns outros personagens secundários que também são representativos no decorrer na trama. A diferença é que a adaptação é mais recortada e o contexto e as conexão que fazem com que todos se interliguem não é tão explorada e nem tão explicada. Não cheguei a considerar os personagens fúteis, mas alguns parecem mais incompreendidos que outros. 

Diferente do livro que dá um bom espaço para cada uma das famílias, o filme centra a ação em duas delas, que se ligam por um fato trágico e que têm caminhos diferentes e com consequências severas, mais chocante que a situação que os interligou. O racismo, o orgulho, o poder, tudo isso é bem representado no filme de Milos Forman. O drama presente em cada um das famílias também.

Assim como no livro, o roteiro utilizou bem os aspectos históricos e o cenário urbano da Nova York do início do século XX para enriquecer o contexto e o pano de fundo da história. Inclusive eu gostei mais desse elemento na adaptação, que além de ter o recurso visual como principal diferencial, torna esses momentos mais dinâmicos. Certos trechos no livro foram enfadonhos.

É incomodo acompanhar como a vida de certos personagens é desgraçada por atitudes intolerantes ou provocativas. Na época do ragtime consegue retratar com clareza como era a realidade da elite dominante, em contrapartida com a discriminação racial contra negros e imigrantes e o que isso acarretava no dia a dia, nas condições de vida e trabalho. A terra das oportunidades na verdade impôs verdadeira luta pela sobrevivência entre os que não eram abastados. 

Um ponto negativo na adaptação é que eu não gostei do personagem masculino escolhido como de primeiro plano. Principalmente porque no livro ele é mais complexo do que apresentado no filme, e também porque Coalhouse Walker Jr. (foto acima) rouba a cena e o outro de jeito nenhum deveria estar ao lado dele. Além disso, outro personagem masculino que merecia destaque foi mau aproveitado na trama.

Uma personagem feminina extremamente importante no livro foi deixada de fora e com ela toda uma mensagem, mas de uma forma geral as outras duas protagonistas representam mulheres opostas e que na mesma proporção se decepcionam com os homens. Sem dúvida a época retratada no filme ao mesmo tempo que é repleta de excessos é dominada por preconceitos e isso é visto no decorrer dos 155 minutos. 

Apesar de não ser uma adaptarão favorita, é um bom filme. O visual, os cenários, a trilha - sonora que já recomendei no blog e o figurino, que estou apaixonada, são alguns dos méritos da direção de Milos Forman. Também é uma ótima alternativa para conhecer a história de E.L. Doctorow e assistir a um filme de época. 100 anos se passaram e tudo que é discutido na história é extremamente atual, então vale a dica, né? Vocês conhecem Ragtime?

Beijos!

Fotos: Divulgação

Ragtime de E.L. Doctorow

24 de outubro de 2017



Ragtime
Autor: E.L. Doctorow
Editora: Abril Cultural
Edição: 1983
Páginas: 248
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA TAMBÉM
Em algum lugar do passado de Richard Matheson
A história de três famílias: uma de brancos protestantes, outra de judeus emigrados e uma terceira de negros. O autor entrelaça livremente fatos reais e imaginários ocorridos nos Estados Unidos nos primeiros anos do século XX, apresentando figuras e acontecimentos que foram notícia na época e criando um perfil de um país em formação, incerto ainda em seus rumos, mas extremamente dinâmico e rico em contrastes violentos.

A incrível trilha sonora de Ragtime

23 de outubro de 2017

Ragtime de E.L. Doctorow chegou na minha estante no mesmo dia que encontrei uma edição da coleção Grandes Sucessos da Abril Cultural no sebo. Pouco tempo depois, também motivada pela nova versão lançada pelo clube de assinaturas TAG - Experiência Literárias, eu resolvi tirar a história da estante e ler, e de lá para cá tive algumas boas surpresas envolvendo Ragtime. O título do post entrega, não é?!

Antes de escrever sobre o livro e também sobre a adaptação dirigida por Miloš Forman (assina o feed para receber as atualizações por e-mail e saber quando tudo isso estará no ar), eu resolvi compartilhar algo diferente por aqui. Algo que só recentemente, e por assistir muitos filmes de época, eu me apaixono cada vez mais: trilha sonora. Eu nunca fui atenta a isso, confesso, mas é impossível ignorar a bela trilha de Ragtime composta por Randy Newman.

O que eu mais gostei sobre a trilha de Ragtime é que ela realmente conseguiu me transportar para a época em que se passa o livro e o filme, aspecto que tive certa dificuldade no início da leitura e teria me ajudado imensamente ouvir essa seleção quando comecei a história de E.L. Doctorow. Outro ponto interessante é a variação de ritmo e intensidade, como algumas músicas são sinistras, outras animadas e outras ainda dançantes, perfeitamente de acordo com os vários momentos da adaptação.

Infelizmente eu não encontrei todas as informações sobre a trilha sonora em uma fonte confiável, mas usei como referência um vídeo no Youtube (incorporado abaixo), com as músicas do CD e também a lista de canções compostas por Randy Newman para Ragtime, resultado da pesquisa do Google. Então antes de conversamos sobre livro e filme, vamos entrar no clima das primeiras décadas dos anos 1900?

Trilha sonora de Ragtime disponível no Youtube

TRILHA SONORA (lista do Google)
  1. Main Title
  2. Newsreel
  3. I Could Love a Million Girls
  4. Train Ride
  5. Tateh's Picture Book
  6. Lower East Side
  7. Delmonico Polka
  8. Coalhouse and Sarah
  9. Waltz for Evelyn
  10. One More Hour
  11. Sarah's Responsibility
  12. Change Your Way
  13. Clef Club No. 1
  14. Atlantic City
  15. Clef Club No. 2
  16. Sarah's Funeral
  17. Denouement
  18. Ragtime
  19. Ragtime Theme

Beijos!

Sobre combinar livros e marcadores de página

22 de outubro de 2017

Todos nós leitores temos manias e hábitos em relação aos livros e leituras. No post de hoje eu vou compartilhar com vocês o meu vício de 2017: combinar marcadores de página com a edição, o tema do livro ou o autor. Eu fiquei muito empolgada para postar esse bate-papo principalmente porque cada um de nós se relaciona de forma diferente com os livros e mesmo compartilhando hábitos em comum, nem todos coincidem, não é?!

Há muito tempo eu tento combinar o marcador com o livro. Quando encontro o equivalente com a capa eles se unem para não se separar mais, hehehe. Mas nem sempre é possível realizar essa primeira opção e como há pelo menos 10 anos eu mantenho o hábito de ter um livro na bolsa, notas de mercado, loja ou farmácia, assim como folhetos de propaganda, se tornam marcadores de páginas.

A minha coleção de marcadores diminuiu nos últimos anos, mas ainda tenho uma boa quantidade de itens e assim, quando não tenho o marcador do livro, eu combino com algum outro que seja do mesmo gênero, coleção ou da mesma editora. Em alguns casos, como as séries e sagas, eu também tento combinar o marcador, mesmo seja de um volume diferente daquele que estou lendo.

Por fim, a minha coleção de marcadores tem uma seção especial com aqueles itens que são artesanais, de formato diferente, como ímã ou cordão, e também os marcadores que eu crio ou customizo (pretendo compartilhar alguns por aqui e no canal). Confesso que os meus marcadores favoritos são difíceis de desapegar e alguns ainda estão a espera do livro especial, outros já encontrarem seus pares. E vocês, combinam marcadores e livros ou não?

Se preferir assista ao vídeo publicado no canal do Estante da Nine no Youtube

Beijos!

Isla e o final feliz de Stephanie Perkins

21 de outubro de 2017




Isla e o final feliz
Autora: Stephanie Perkins
Editora: Intrínseca
Edição: 2015
Páginas: 304
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA TAMBÉM
Lola e o garoto da casa ao lado
Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, quando muito. Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto ao futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes.

Leitura todo dia: semana 36

15 de outubro de 2017

Semana boa de leituras: tem sim! Ou melhor, eu li bastante, os livros é que foram, de certa forma, decepcionantes. O caminho para a perfeição, livro de yoga, me chamou atenção no sebo e eu trouxe para casa. Escolhi como opção da bolsa na quarta, dia 4 de outubro, mas após 25 páginas resolvi desistir e pesquisar mais sobre o assunto antes de retomar a leitura. Nesse resumo da semana 36 do projeto Leitura todo dia eu vou comentar sobre os livros lidos até 10 de outubro.

Isla e o final feliz de Stephanie Perkins foi o primeiro livro concluído da semana 36. Depois de alguma demora cheguei ao final da história que pareceu mais empolgante no começo, e ao final eu senti falta de um conflito significativo, algo que mais pessoas pudessem se identificar, e também não tive a empatia necessária para gostar e torcer pelos personagens. Não foi uma experiência ruim, eu é que esperava mais. Criei uma expectativa que não se confirmou!


A segunda leitura finalizada da semana foi A escolha de Nicholas Sparks, livro que me empolgou no começo, mas da metade para o final virou decepção. Eu sei o que esperar das histórias do autor, mas a estrutura desse enredo não funcionou comigo, nem o ponto de virada da história, que trata de um tema sério e romantiza a situação de uma forma que não concordei. Duas estrelas no Skoob e na pilha de troca, o livro não vai voltar para a estante. E  vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 36 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Isla e o final feliz de Stephanie Perkins (compre na Amazon)
A escolha de Nicholas Sparks (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Como quebrar a maldição de um dragão de Cressida Cowell

14 de outubro de 2017



Como quebrar a maldição de um dragão
#4 Como treinar seu dragão
Autora: Cressida Cowell
Editora: Intrínseca
Edição: 2010
Páginas: 240
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA MAIS
Soluço Spantosicus Strondus III
Soluço Spantosicus Strondus III foi um extraordinário Herói Viking. Chefe guerreiro, mestre no combate com espadas e naturalista amador, era conhecido por todo o território viking como "O encantador de dragões", devido ao poder que exercia sobre as terríveis feras. Será que Soluço vai encontrar o antídoto para a picada da Vorpente Venenosa e ainda por cima derrotar o assustador Garra da Destruição? E ele conseguirá vencer o perigoso machado de Norberto, o Demente, para mais uma vez ser o herói da história?

5 livros perturbadores

12 de outubro de 2017

Eu não sou a leitora mais organizada com datas ou comemorações, mas há algum tempo pensei no tema dessa lista e outubro pareceu o mês ideal para gravar (afinal o tema já estava na fila há dois meses). O rascunho original certamente chegava em 10 opções de leitura, mas para deixar o vídeo e o post mais dinâmicos (e quem sabe gravar uma 2ª edição), selecionei cinco dos livros mais perturbadores da estante

Memórias da casa dos mortos de Fiódor Dostoiévski é um dos meus livros favoritos da vida e também leitura pesada. A história retrata uma prisão siberiana de trabalhos forçados do século XIX e disseca a vida dos presos, seus crimes e personalidades, as condições em que vivem, os trabalhos, as limitações. Por mais que o leitor se depare com figuras horríveis ao longo da narrativa, o livro causa incomodo porque nos perguntamos se pessoas, por piores que sejam, mereçam viver em tais condições. O livro também mostra que tudo, tudo mesmo, tem dois lados, mais de uma perspectiva.

A lista do nunca de Koethi Zan é daqueles livros perturbadores e realistas. O enredo retrata a vida de algumas mulheres que foram sequestradas e anos depois, com o agressor prestes a ser liberto pela justiça, se encontram novamente em situação delicada, afinal o homem, apesar de preso, se manteve presente na vida de algumas vítimas e o medo é de que ele saia para se vingar. Mesclando passado e presente acompanhamos as personagens em buscas de respostas e até superação, afinal é o tipo de trauma que marca a vida para sempre.


Ratos de Gordon Reece é uma leitura de 2017 e entrou para a lista dos livros surpreendentes (além de perturbadores). O leitor acompanha a mudança da vida de uma mãe e uma filha que sofreram diferentes abusos e finalmente estão recomeçando suas vidas. Logo após a mudança, no entanto, uma situação grave acontece e a transformação que as duas mulheres passam trará uma nova vida a elas. Antes submissas, essas personagens se transformam em algo realmente assustador e não necessariamente melhor.

Escuridão total sem estrelas de Stephen King é um ótimo livro de contos. Minha recomendação de hoje é a primeira história, 1922, que retrata um crime doméstico por conta de uma herança e a partir da morte de um dos personagens os dois protagonistas envolvidos começam a viver num inferno, sofrendo de alucinações, sensações físicas e até uma realidade distorcida. Apesar de retratar uma época diferente, a situação do livro é cotidiana e familiar, e isso já é muito assustador. O desfecho para a ação macabra também cobra seu preço.

Viva para contar de Lisa Gardner é minha última recomendação da lista de hoje e o tema perturbador do livro é crianças psicopatas. A história de investigação acompanha alguns temas diferentes que em determinado momento vão se conectar. Todos eles giram em torno de crianças, especialmente daquelas que precisam de atenção especial, e como é a rotina de suas famílias ou cuidadores. Também tem crime, é claro, e apesar de tudo parecer surreal e distante, esse tipo de coisa está acontecendo agora, talvez próximo de nós, e nem imaginamos. Imagina então ser mãe/ pai de uma criança psicopata?

Assista a lista em vídeo publicada no canal
do Estante da Nine com os 5 livros perturbadores

LIVROS
Memórias da casa dos mortos de Fiódor Dostoiévski (opinião | compre na Amazon)
A lista do nunca de Koethi Zan (opinião | compre na Amazon)
Ratos de Gordon Reece (opinião | compre na Amazon)
Escuridão total sem estrelas de Stephen King (opinião | compre na Amazon)
Viva para contar de Lisa Gardner (opinião | compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 35

10 de outubro de 2017

A semana 35 do projeto Leitura todo dia foi a melhor em tempos. Pensando agora, pelo número de páginas, acho que foi o melhor período desde que comecei a gravar a coluna. Como quebrar a maldição de um dragão de Cressida Cowell foi minha primeira escolha da bolsa para semana e também o livro que conclui logo nos dois primeiros dias (logo tem comentário no blog). Nesse resumo 35 eu vou comentar sobre as leituras entre 27 de setembro a 3 de outubro!

Saracusa. com de Eliene Narducci foi a segunda leitura da bolsa da semana e história também finalizada. Eu gostei desse enredo de mistério, principalmente pelo cenário e tema familiar. O livro é curto, a narrativa envolvente e apesar dos clichês, que me incomodaram em vários momentos, eu precisei continuar na leitura para conhecer o desfecho e não me arrependi.

Saga de Érico Veríssimo é uma das leituras em andamento e na semana 35 avancei poucas páginas. Eu deixei acumular algumas coisas em casa e durante o final de setembro e o início de outubro eu aproveitei para tentar organizar tudo e isso afetou minhas leituras. No entanto, pretendo terminar a história ainda nesse mês e conto nos próximos resumos do projeto como tem sido. 

Isla e o final feliz de Stephanie Perkins era outra leitura parada na semana 35 e que vou falar mais no resumo 36 porque foi quando eu conclui (sai amanhã no canal). No geral foi uma leitura leve e despretensiosa, que o começo pareceu mais promissor, mas que ao final eu não fiquei tão empolgada assim. Faltou um conflito mais complexo e um casal mais envolvente. E vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 35 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Como quebrar a maldição de um dragão de Cressida Cowell (compre na Amazon)
Saracusa. com de Eliene Narducci (compre na Amazon)
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Isla e o final feliz de Stephanie Perkins (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Meta da semana: 8 a 14 de outubro

8 de outubro de 2017

Voltar com a meta da semana no domingo passado deu tão certo que eu resolvi atualizar a coluna para os próximos dias. Conclui dois dos três livros que inclui na lista e isso me deixou animada para conciliar a meta da semana com as atualizações do projeto Leitura todo dia. Saracusa.com de Eliene Narducci foi uma história rápida e envolvente, que me ajudou a manter o ritmo de leitura principalmente por se passar no Brasil e ter o enredo realista e viciante, apesar de alguns clichês.

Isla e o final feliz de Stephanie Perkins foi a segunda leitura da meta concluída. O começo da história me passou uma sensação mais empolgante e jurei que curtiria mais o livro do que realmente curti. Apesar de achar a história realista, faltou um conflito mais envolvente e até empatia pelos personagens, que não achei ruins nem bons, e também não torci por eles.

Para a próxima semana, que começa hoje, domingo 08 de outubro e segue até sábado, dia 14, eu resolvi manter na meta Saga de Érico Veríssimo, que li poucas páginas nos últimos dias por falta de tempo mesmo e espero dedicar algumas horas para ele durante a semana. Eu adorei o personagem principal e talvez por isso eu queira tanto continuar apesar da rotina truncada. E também porque é Érico Veríssimo, claro! Não vejo a hora de incluir outros livros do autor na meta.

O enredo que volta para minha cabeceira é O vermelho e o negro de Stendhal, história que comecei há algum tempo, cheguei na página 100, e não dei sequência. Já comentei outras vezes que não quero começar outro calhamaço com um ainda em andamento, então espero avançar nessa leitura em outubro para escolher outro livro já no próximo mês. Durante a semana pode rolar leitura da bolsa nova, então é sempre legal acompanhar nas redes sociais e os vídeos do projeto Leitura todo dia para saber o que mudou e o que rendeu. E vocês, o que vão ler na próxima semana?

LIVROS
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)

Beijos!

Foto: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

A cor púrpura - dirigido por Steven Spielberg

7 de outubro de 2017



A cor púrpura
(The Color Purple)
Direção: Steven Spielberg
Produção: Amblin Entertainment
Ano: 1985
Duração: 154 minutos
Filmow | IMDb
Compre o DVD no Submarino

LEIA TAMBÉM
A cor púrpura de Alice Walker

Durante a leitura de A cor púrpura de Alice Walker eu já me perguntava como seria o filme. As indicações do livro são sempre muito entusiasmadas e a adaptação não fica atrás. O enredo original entrou para a lista de leituras favoritas do ano e a versão de Steven Spielberg, a segunda que comento esse ano no blog, também ganhou um lugar especial entre as adaptações literárias preferidas.

Assim como no livro a história acompanha Celie, uma jovem negra moradora da área rural do sul dos Estados Unidos no início dos anos 1900. Na adaptação, diferente da história original que é contada através de cartas, o roteiro se desenvolve a partir de trechos narrados pela personagem enquanto os acontecimentos principais dominam as cenas do filme. Em muitos aspectos é mais fácil se identificar com a protagonista e entender o contexto histórico através da adaptação, mas as cartas guiam o roteiro do filme como o enredo do livro.

Steven Spielberg consegue contar uma história fiel dentro das possibilidades de uma maneira sensível e sem ocultar os acontecimentos importantes que compõem a obra original de Alice Walker. Logo nos primeiros minutos de A cor púrpura temas como pobreza, abuso, racismo e machismo são apresentados e a partir daí acompanhamos uma adolescente que desde cedo precisou lidar com um padrasto abusivo, uma mãe negligente e uma irmã mais nova sempre ameaçada pelo estupro

Enquanto no livro a fase inicial da vida de Celie me pareceu mais difícil, sofrida e marcante, no filme eu fiquei mais impressionada com o rumo da personagem após seu casamento principalmente porque ficou claro que além de aceitar um marido que a queria apenas como servente, Celie terá que lidar com uma família e crianças que não são suas. Durante todo relacionamento Senhor desdenha de Celie, mas a vida tem surpresas e como na história de Alice Walker a adaptação de Steven Spielberg transborda um tanto de esperança.

No filme a transformação de Celie me pareceu mais gradual e me conectei mais com ela na versão de Steven Spielberg. No livro eu tive dificuldade de enxergar o ponto de virada quando as primeiras pistas surgiram e depois de algum tempo é que eu comecei a ver uma saída, alguma esperança para a vida da protagonista e sua família. Na adaptação o empoderamento de uma mulher para outra também é significativo, principalmente se considerarmos a época e o local (e como tragicamente isso parece se repetir em todas as culturas por todo mundo). Em certo ponto as coisas começam a melhorar para Celie e quem assiste pode respirar um pouco mais aliviado.

Eu gostei muito do filme de Steven Spielberg embora ele reduza vários trechos da obra. A escolha do elenco, o cenário, a semiótica por trás de alguma cenas, tudo foi muito digno do livro, sabe? Eu sei que adaptações literárias são controversas, mas neste caso eu acho que filme e livro conversam bem, estão em harmonia, e retratam o tipo de história com temas que até hoje são tabus e que por isso mesmo precisam ser debatidos. É claro que eu recomendo A cor púrpura. Vocês já assistiram?

Beijos!

Fotos: Divulgação
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

A cor púrpura de Alice Walker

5 de outubro de 2017




A cor púrpura
Autora: Alice Walker
Editora: José Olympio
Edição: 2016
Páginas: 336
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA MAIS
Projeto 1001 livros
A cor púrpura retrata a dura vida de Celie, uma mulher negra no sul dos Estados Unidos da primeira metade do século XX. Pobre e praticamente analfabeta, Celie foi abusada, física e psicologicamente, desde a infância pelo padrasto e depois pelo marido. Um universo delicado, no entanto, é construído a partir das cartas que Celie escreve e das experiências de amizade e amor, sobretudo com a inesquecível Shug Avery. Apesar da dramaticidade de seu enredo, A cor púrpura se mostra muito atual e nos faz refletir sobre as relações de amor, ódio e poder, em uma sociedade ainda marcada pelas desigualdades de gêneros, etnias e classes sociais.

Resumo de agosto (2017) - Cosmos, Game of Thrones e mais!

4 de outubro de 2017

A meta de colocar os posts em dia segue e hoje o papo é sobre os filmes e séries assistidos em agosto. A coluna resumo do mês começa com Uma manhã gloriosa, filme que assisti na Netflix e adorei. A história acompanha uma produtora de TV que perde o emprego e depois de muitas tentativas recebe uma nova proposta. O problema é que esse trabalho é um verdadeiro caos e além dos desafios profissionais, a protagonista precisa lidar com algumas frustrações pessoais também. Como jornalista me identifiquei em vários momentos e indico para quem gosta de filmes que falam sobre comunicação com doses de drama, humor e romance.

As séries de agosto são Cosmos, que estou assistindo na Netflix e amando, bem produzida e envolvente para quem gosta de universo e ciência como eu; e Game of Thrones, a única série atual que eu acompanho sempre que sai episódio novo. Não posso dizer que fiquei decepcionada com a 7ª temporada, mas alguns momentos que eu gostaria de ver melhor explicados passaram num piscar de olhos. Apesar disso, a season entrega muito do que eu queria ver em Game of Thrones há anos. Gostei e sigo fã.

Os filmes extras de agosto, aqueles que já assisti incontáveis vezes e adoro são três. Miss simpatia é um clássico da minha vida e sempre que bate uma bad eu assisto para dar risadas e passar aquela sensação ruim. Eu adoro Sandra Bullock (confira uma lista com filmes da atriz), e já espiei na Netflix vários filmes dela que ainda não assisti, mas com certeza vão aparecer no Estante da Nine nos próximos meses. Aliás, aceito recomendações

10 coisas que eu odeio em você também é um dos meus filmes favoritos, principalmente sobre a época de escola e adolescência. Essa recomendação já apareceu em uma lista aqui no blog. Como perder um homem em 10 dias é uma das comédias românticas mais legais e divertidas da minha lista porque mistura algumas das minhas coisas favoritas: comunicação, esporte, amizade e família! Ambos recomendadíssimos. E vocês, o que assistiram nos últimos tempos?

Assista ao vídeo da coluna resumo do mês de agosto

FILMES
Uma manhã gloriosa

SÉRIES

FILMES EXTRASMiss Simpatia
10 coisas que eu odeio em você
Como perder um homem em 10 dias

Beijos!

Leituras de agosto (2017) - Virgínia Woolf, Tolkien e mais!

3 de outubro de 2017

Demorou, mas chegou a hora de conversarmos sobre as leituras de agosto, coluna mensal que eu não consegui publicar a tempo em setembro, mas que estou colocando no ar nestes primeiros dias de outubro. No geral o oitavo mês do ano não foi tão produtivo quanto poderia ter sido, mas mantive a média de leituras e conclui algumas histórias que há tempos estavam em andamento. Apesar da minha expectativa não confirmada, o saldo geral foi bom.

O primeiro livro do mês foi A cor púrpura de Alice Walker que em breve vai ganhar uma resenha aqui no Estante da Nine. Essa foi uma história que eu comecei com grandes expectativas e não me decepcionei. Através de uma personagem sofrida o leitor acompanha toda a transformação de uma vida (várias, na verdade), e como o racismo, preconceito, falta de educação e cultura são prejudiciais na formação de uma pessoa. Leitura impactante e recomendada.

Recomeço de Henri B. Neto foi a minha segunda leitura de agosto no Kindle. Não é segredo para quem acompanha o blog e o canal o quanto eu admiro e gosto do trabalho do Henri, independente da nossa amizade. Nesse romance protagonizado por dois garotos, o autor desenvolve um relacionamento que já passou por momentos conturbados, mas que ainda significa algo para ambos. Sem exageros, Henri B. Neto conta uma história que poderia ser nossa e apesar de não concordar de todo, entendemos sim e nos colocamos no lugar dos personagens sobre o porquê de muitos relacionamentos merecerem uma segunda chance.

O retorno do rei de J.R.R. Tolkien é outra das leituras concluídas no mês oito e como publiquei todas as atualizações do diário de leitura não vou me estender nos comentários. Quero ressaltar que sim, valeu muito a pena ter lido a trilogia O Senhor dos Anéis e sem dúvida foi uma das experiência de leitura mais interessantes e desafiadoras que eu já tive. Em breve vai rolar comentário sobre o filme para finalizar de vez o projeto!

O mês de agosto fechou com a leitura de As ondas de Vírginia Woolf, outra ótima experiência com a autora apesar das dificuldades iniciais. Livro que conversou muito comigo pelo tom melancólico e pela sensação de desejos não cumpridos, expectativas não alcançadas, sentimento que imagino ser presente na vida de quem é ansioso. Em breve vai rolar vídeo e texto sobre essa experiência de leitura, então assina o feed do blog (barra lateral direita, no topo) para acompanhar tudo. E vocês, o que leram em agosto?

Assista ao vídeo com as leituras de agosto

LIVROS
A cor púrpura de Alice Walker (compre na Amazon)
Vou cuspir no seu túmulo de Boris Vivan (compre na Amazon)
Recomeço de Henri B. Neto (compre na Amazon)
O retorno do rei de J.R.R. Tolkien (compre na Amazon)
As ondas de Vírginia Woolf (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 34

2 de outubro de 2017

A semana 34 do projeto Leitura todo dia foi devagar, mas a meta de um livro concluído foi alcançada, ainda bem. A primeira história desse resumo sobre o que eu li entre 20 e 26 de setembro é Saga de Érico Veríssimo, livro que inclui na meta do ano e esperei até esse mês para começar por conta da importância histórica de setembro para o Rio Grande do Sul. Li os primeiros capítulos e já adorei o personagem principal que viaja para a Espanha rumo a guerra. Espero falar mais sobre o livro nas próximas semanas e também concluí-lo em breve. 

A leitura predominante da semana 34, e que felizmente eu conclui, é Ragtime de E.L. Doctorow. O livro foi muito mais interessante do que eu podia esperar e apesar de retratar um período histórico e específico dos Estados Unidos, funciona como analogia para muitas sociedades que estão firmadas nos pilares de ricos mandam em pobres e ao longo da narrativa o leitor percebe diversas situações graves que se repetem socialmente, desta vez independente da classe social. Em breve tem comentário e indicação do livro aqui no Estante da Nine. E vocês, o que leram nos últimos dias?

Assista ao vlog da semana 34 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Ragtime de E.L. Doctorow (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Meta da semana: 1º a 7 de outubro

1 de outubro de 2017

Outubro está começando e para aproveitar esse domingo, o primeiro do mês, eu resolvi compartilhar com vocês a minha meta da semana. Já faz algum tempo que não rola a coluna aqui no Estante da Nine e quem acompanha os vlogs do projeto Leitura todo dia deve ter percebido que os últimos meses foram confusos e atrapalhados, de poucos livros lidos, e por isso não animei em organizar metas semanais. Agora, já com as coisas em ordem achei que a oportunidade era propícia e espero manter a meta da semana mais presente por aqui.

Saracusa. com de Eliene Narducci é minha leitura da bolsa, escolhida na última sexta, dia 29 de setembro, e como o livro é curto e a história de mistério me envolveu nos primeiros capítulos é provável que eu tente terminar ainda neste domingo. O cenário é o submundo das drogas e prostituição do Rio de Janeiro e um assassino anda a solta, matando inclusive gringos. A protagonista sumiu e a polícia precisa trabalhar rápido para resolver o caso. Curiosa desde já para conhecer o desfecho do livro.

Saga de Érico Veríssimo me surpreendeu também nos primeiros capítulos porque eu esperava uma leitura mais truncada, talvez até mais lenta, mas estou devorando as páginas sempre que tiro um tempo para ler. Por uma coincidência bizarra o livro anterior do autor que eu li, Clarissa, tenho quase certeza faz conexão com o personagem principal de Saga e já quero ler tudo tudo do Veríssimo. O livro é meta para a próxima semana.

Uma última menção para outra leitura em andamento, Isla e o final feliz de Stephanie Perkins, que estou lendo no Kindle e alguns dias não avanço no enredo. Por enquanto o problema não é com o livro, mas porque eu comecei várias histórias ao mesmo tempo e estou indecisa, no pouco tempo que tenho, sobre qual continuar. Espero que essas incertezas passem e eu possa concluir algumas histórias no próximos dias. E vocês, o que querem ler?

LIVROS
Saracusa. com de Eliene Narducci (compre na Amazon)
Saga de Érico Veríssimo (compre na Amazon)
Isla e o final feliz de Stephanie Perkins (compre na Amazon)

Beijos!

Foto: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine