Estação jugular de Allan Pitz

18 de abril de 2012




Estação jugular
Autor: Allan Pitz
Editora: Desfecho Romances [Multifoco]
Edição: 2011
Páginas: 98
| SKOOB |
Delirante, frenético e alucinante é o ritmo que Pitz imprime a essa saga do absurdo (mas que tem forte conotação de realidade, pois, apesar de sugerir uma alegoria, é plenamente observável para além da ficção), envolvendo o leitor na claustrofóbica experiência do personagem-narrador, que foge não se sabe de onde e não se sabe para onde vai. Um ônibus que surge inesperado, conduzido por um motorista improvável, rumo a uma estrada desértica, des filando por paisagens vivíssimas e surreais nos faz confrontar com o absurdo contido na própria história da humanidade. Ao embarcar junto com o protagonista e narrador Franz, um técnico de informática em sua aparente fuga do cáustico sol que castiga, o leitor é incitado a uma viagem desconfortável, mas altamente reveladora.

Estação Jugular foi uma experiência diferente. Allan Pitz coloca o leitor na pele do personagem-narrador acompanhando os pensamentos, emoções e sensações pelos olhos de Franz, um cara simples que foge de alguma coisa que não descobrimos e entra em um ônibus rumo ao desconhecido. 

A viagem, o ônibus e o motorista, muito paciente da história de Allan Pitz, são alegorias para apresentar um contexto onde vivemos a mesma experiência que Franz ao longo das páginas. Com texto bem estruturado e escrita envolvente, o autor possibilita que todo leitor também seja o personagem principal de Estação jugular

O ritmo da leitura é intenso e embora o livro seja curto, 95 páginas, Franz - através de sua viagem de ônibus, encontra as cenas mais bizarras possíveis. Isso faz com que o personagem pense em desistir da jornada no ônibus misterioso por muitos momentos. Allan Pitz debate com o leitor até que ponto temos medo do desconhecido e ao mesmo tempo, fascínio. E onde as decisões de Franz (e as nossas) podem levar. 

O final é inesperado e surpreendente. É possível entender cada ponto apresentado durante o livro que por determinados momentos pareciam sem explicação. Acredito que Allan Pitz tenha criado uma história tão incomum para fazer com o que o leitor incorpore as experiências de Franz conforme suas experiências pessoais. Desta forma, para cada um que ler Estação jugular a mensagem será diferente e pessoal.

A capa representa muito bem o caminho pela qual o ônibus segue e o contexto da história. A edição tem boa diagramação e folhas amarelas. Não encontrei problemas de revisão ou concordância. Indico o livro para todos os leitores. 

Beijos!
*Livro recebido do autor Allan Pitz

12 comentários

  1. Eu fiquei interessado em ler ''Estação Jugular'' desde que o vi na Bienal do ano passado... Eu não tinha reparado na época que era tão curto assim! Rsrsr

    Acho que o que mais chamou a minha atenção foi o fato do personagem fugir sem saber para onde... As vezes, naqueles meus momentos de devaneios, já me peguei pensando o que aconteceria se eu fugisse de tudo. Mas nunca foi um pensamento fixo ou concreto, só um momento de ''delírio'' mesmo... É, sou estranho.

    Henri B. Neto
    ''Na Minha Estante''

    ResponderExcluir
  2. Olá :)
    Como vai?
    Adorei a resenha *-*
    Fiquei curioso pra ler a obra *--*

    Beijos e cuide-se
    _______________
    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  3. Querida Nine, Allan Pitz é hoje um dos autores mais badalados e comentados da net. Não li nada do autor e quero me redimir rapidinho. Bela resenha!

    ResponderExcluir
  4. Oi Nine!
    Bom, faz tempo que estou interessada nesse livro, desde que vi em algum video seu (acho que foi seu, uahuah...).
    A trama chama bastante a minha atenção e já estou curiosa para saber pra onde esse ônibus está indo. ;)
    Quero ler e vou participar do sorteio. Vamos ver se eu tenho sorte. ^^

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Fiquei curiosa, quero muito ler o livro. Participando

    ResponderExcluir
  6. Só 95 páginas? Fiquei realmente curiosa. Quero ler. E agora como faz? *-*

    Preciso ganhar nine!

    www.pausaparaumcafe.com.br

    ResponderExcluir
  7. Preciso ler para entender mais a história,mais confesso que por ser um livro com poucas páginas tem um bom enredo.
    Alexandra
    Magiasbook

    ResponderExcluir
  8. Ele parece ser um daqueles livros meio filosóficos, posso estar enganada, mas foi mais ou menos isso que eu entendi. Bom, só lendo mesmo para tirar uma conclusão mais precisa. E com 95 paginas deve ser bem ligeiro de ler.

    Pamela Marloch
    http://milleguas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Tenho esse exemplar, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo, já ouvi muitos elogios ao autor, assim como críticas, mas estou esperando para ver de qual lado irei ficar.

    Gostei da resenha e fiquei pensando qual será o sentido que o livro terá para mim.

    Beijokas elis

    ResponderExcluir
  10. Já tinha lido outras resenhas positivas do livro, mas ainda não tive oportunidade de ler.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia esse livro ainda. Achei interessante o tema. A capa é bem bonita! Anciosa para ler *.*

    ResponderExcluir

Olá! Deixe sua opinião. ;)