O assassinato e outras histórias de Anton Tchekhov

19 de abril de 2016






O assassinato e outras histórias
Autor: Anton Tchekhov
Editora: Abril Coleções
Edição: 2010
Páginas: 256
Os seis longos contos reunidos neste volume tratam da vida russa do final do séc. XIX. Na última fase de sua obra, o dramaturgo e escritor russo Anton Tchekhov mostra-se observador arguto da vida rural e urbana, dos costumes de mujiques, comerciantes, proprietários de terra e jovens intelectuais.



Oi gente, tudo bem? O post de hoje é para comentar sobre o livro O assassinato e outras histórias de Anton Tchekhov. O autor é um famoso contista russo que ficou conhecido justamente pela maestria em construir histórias envolventes em poucas páginas. Esta foi minha primeira experiência com Tchekhov e, apesar de não ter gostado do primeiro conto – o que me deu uma impressão negativa no início, eu adorei a leitura.

Os contos do livro foram escritos entre 1894 e 1900 e todas as histórias refletem o cotidiano de famílias russas na virada do século, de diferentes classes sociais e regiões. A minha edição é da série Clássicos da Abril Coleções e a seleção e tradução dos contos foi feita por Rubens Figueiredo. Vou comentar sobre cada história abaixo, sem dar detalhes, mas explicando o que eu gostei ou não.



O PROFESSOR DE LETRAS
Esse é o primeiro conto do livro e foi o responsável pela impressão negativa do início. Não que a história seja ruim, mas eu não me envolvi pela trama e a expectativa que eu tinha sobre Tchekhov não se confirmou. Acompanhamos esse professor de letras na cidade em que foi designado para dar aula conquistando espaço entre as famílias mais bem-vistas do lugar. Até que um casamento acontece e o que era pra ficar perfeito, não ficou. Não me identifiquei com o personagem e o dilema do conto não me convenceu. Ainda assim é uma história interessante sobre expectativa x realidade.

O ASSASSINATO
O conto que dá título ao livro é meu favorito. Em O assassinato Tchekhov desenvolve uma trama familiar que envolve crenças, religião e uma herança. Além dos temas importantes abordados na história e que fazem parte do cotidiano até hoje, o autor russo mostra como a compaixão humana e o medo podem transformar uma pessoa. Bem como a verdade, que de uma maneira ou outra sempre aparece.




OS MUJIQUES
Entre as histórias mais perturbadoras do livro está Os mujiques. Neste conto Tchekhov retrata a vida do trabalhador camponês da Rússia e como a realidade rural já apresentava muitas diferenças da urbana. Um homem resolve voltar a sua terra natal com a família já que uma doença o impediu de trabalhar na capital. No entanto, logo ao chegar, o protagonista percebe o erro que cometeu ao visualizar sua grande família viver na miséria, realidade que não só ele, como sua filha e mulher passam a fazer parte. Todas as questões mais importantes sobre família e sociedade estão nesse conto, de maneira direta ou nas entrelinhas. Também um favorito.

IÔNITCH
Uma história de amor mal resolvida e aparências que enganam são os temas centrais deste conto. Iônitch, médico, ganha seu posto em uma pequena cidade e entre os ritos tradicionais e sociais da época passa a frequentar a casa da família mais bem-sucedida do local. Uma paixão não correspondida que anos depois volta a tona é o fim condutor do livro, mas também como as pessoas, não importa em que local, dão valor ao dinheiro, as poses, ao invés da personalidade ou inteligência. História extremamente atual.

EM SERVIÇO
Uma história que envolve investigação e morte. É o conto mais misterioso do livro e que deixa muitos temas nas entrelinhas. A atmosfera do conto é sombria, assim como o clima da Rússia nos invernos rigorosos, e o ambiente, assim como a própria personalidade humana, são os traços determinantes para a resolução do caso.




NO FUNDO DO BARRANCO
O conto que encerra o livro é outro da lista dos perturbadores. Não por acaso (eu acredito) também é sobre uma família, mas ao invés da miséria, os temas centrais são riqueza, inveja e até onde o ser humano é capaz de ir por vingança (mesmo que ela não seja justa). Outra história com vários temas pertinentes e atuais e também uma das minhas favoritas.

No geral, e depois da primeira impressão negativa, minha experiência de leitura com Anton Tchekhov foi muito positiva. Gostei da maioria dos contos, pude entender os vários dilemas que o autor apresentou e apesar de terem sido escritas há 100 anos cada história tem características assustadoramente atuais. Minha nota para o livro foi quatro estrelas no Skoob. Sem dúvida Tchekhov entrou para a lista dos autores que pretendo ler tudo. E vocês, gostam de literatura russa?

Beijos!
Fotos: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine