As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender de Leslye Walton

17 de março de 2015



As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender
Autora: Leslye Walton
Editora: Novo Conceito
Edição: 2014
Páginas: 304
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro. Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante.

O tema do post de hoje é outra leitura mais do que amada do ano. Está empolgante escrever sobre tantos livros que tenho gostado. E apesar de difícil, vou tentar expressar meus sentimentos sobre o incrível As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender da autora Leslye Walton, lançado pela Novo Conceito. Vocês já sabem que, quando útil, eu uso a sinopse do Skoob para pular o resumo, então vamos para as minhas impressões.


Devo dizer, em primeiro lugar, que não sabia o que esperar de As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender quando o escolhi na estante. Não lembro de ter lido resenhas ou assistido a vídeos, apenas de um comentário do Henri quando ele terminou de ler, mas sem muitos detalhes sobre a trama. Sendo assim, foi com surpresa que percebi, logo nas primeiras páginas, como o livro me envolveu.

A história trata da relação desastrosa entre os membros da família Roux e o amor. Apesar de Ava ser a narradora e protagonista, Leslye Walton conta a história desde o ponto de partida da linhagem da família, ou seja, conhecemos gerações amaldiçoadas de Roux até chegar a jovem que conta a história e resolve, de alguma forma, entender porque amar para eles é algo relacionado a tragédia e tristeza.

(...) - o que serve apenas para mostrar que alguns sacrifícios não valem a pena. Inclusive - ou talvez principalmente - aqueles feitos por amor.
página 23

Não vou mentir que os primeiros capítulos do livro me causaram estranheza, tanto por não saber quase nada do enredo (não li a sinopse e tenho preferido começar as leituras assim), quanto por imaginar que seria uma história jovem adulta, sem elementos fantásticos e contemporânea. Errei feio, hehehehe. Mas é justamente pela combinação de aspectos inusitados que As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender deve ser lido.

Leslye Walton não aborda apenas o amor romântico, aquele entre casais, mas o amor em todas as esferas da vida e como ele (ou a falta dele) pode afetar profundamente as pessoas. A história se passa, em grande parte, na metade inicial do século XX, o que diretamente traz para história aspectos culturais e sociais que gostei muito, além de algumas discussões pertinentes até os dias de hoje. Por fim, os elementos fantásticos são metáforas para temas contemporâneos importantes e o grande diferencial do livro.


Além da surpresa que tive ao começar a leitura, credito a forma criativa da autora pelo resultado final: eu adorei o livro, MESMO, e, apesar de saber que não é aquele tipo de história que vai arrebatar centenas de leitores (principalmente pela estranheza), faço campanha para que todos vocês leiam.

Para resumir toda a ideia: se As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender fosse escrito, vamos supor, no contexto contemporâneo e sem os elementos fantásticos, ele seria só mais um jovem adulto na prateleira da sua casa (ou da livraria). A graça do livro está justamente nas analogias fantásticas e no fato de ser de época, além, é lógico, da mensagem final (que sob vários aspectos é ambígua).


A leitura fluí com rapidez. Terminei de ler em dois ou três dias, que em horas completaria uma tarde ou um pouco mais. A Novo Conceito manteve a capa da edição americana que eu gosto muito pela combinação de cores e elementos que representam a história, sem poluir o visual do livro. Para guiar o leitor, a edição também apresenta a árvore genealógica da família Roux. A diagramação é simples, com boa fonte e entrelinha. As folhas são amareladas (não encontrei o crédito do tipo de papel). Não destaquei nenhum erro gravíssimo de revisão.

Depois desse textão ficou bem claro o quanto gostei do livro?! Como escrevi alguns parágrafos acima, entendo que não é a história que vai agradar a todos, mas pela diferença e grande significado que teve na minha experiência de leitura, recomendo demais que todos vocês conheçam As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender de Leslye Walton. Gostaram do post de hoje? Participe com seu comentário!

Beijos!
Fotos: Nine Stecanella
*Livro recebido da editora Novo Conceito
**Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine