Reiniciados de Teri Terry

17 de abril de 2013





Reiniciados
#1 Reiniciados
Você saberia o que é verdade se sua mente tivesse sido apagada?
Autora: Teri Terry
Editora: Farol Literário
Edição: 2013 (prova antecipada)
Páginas: 432
Skoob | Goodreads
Leia um trecho no Tumblr
Compre no Submarino
As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade?

O cenário desta distopia é Londres, primeiro ponto que o diferencia de outros livros do gênero que costumam ter como pano de fundo os Estados Unidos (ou no que antes foi o país da América do Norte). Outra diferença interessante é que em Reiniciados Londres continua sendo a mesma cidade, alguns anos no futuro (por volta de 2050), com as fronteiras fechadas e um governo super, super, SUPER controlador (de todos os livros que já li até hoje, distópicos ou não, esse foi o que encontrei o governo mais severo que me lembro).

Kyla é a protagonista. A história começa quando a garota de 16 anos está deixando o hospital para viver com sua nova família. O interessante neste início do livro é perceber a estranheza do mundo exterior. Desde o início sabemos que Kyla é especial (afinal de contas ela é a protagonista), porém há alguns segredos que intrigam o leitor e a personagem desde as primeiras páginas. Um recurso interessante que a autora Teri Terry usa e que gostei muito é o de dar várias pistas sobre quem de fato foi Kyla antes de ser uma reiniciada, mas todas elas conduzem para caminhos ou conclusões diferentes. Neste ponto, o livro não é óbvio.

Prefiro não comentar sobre o relacionamento entre Kyla e sua família adotiva porque durante a leitura foi um dos pontos que achei mais interessante. A única pista que escrevo aqui para você que está curioso é: as primeiras impressões de Kyla sobre papai, mamãe e irmã se provam totalmente opostas. Com o passar do tempo, a protagonista vai descobrindo quem são, de fato, essas pessoas, o que faz todo sentido já que o livro tem mais de 400 páginas e o ponto central, além do mistério sobre a personagem, é o desenvolvimento dos relacionamentos.



Os pontos que mais gostei foram a construção da distopia, que fica claro para o leitor como tudo aconteceu e como Londres chegou ao que é cenário do livro (e não extrapola tanto os limites da realidade) e o governo totalmente controlador. Em Reiniciados não há qualquer liberdade de expressão e toda e qualquer manifestação contrária ou considerada errada para o governo, os Lordeiros, é punida severamente. Existe um constante clima de medo e os reiniciados são descriminados pelos jovens "normais". Outro ponto que me deixou muito animada para o próximo livro é o de que fica bastante claro que nem todos os jovens reiniciados foram criminosos... Mais do que isso é spoiler, então tire suas próprias conclusões...

Mas Nine, se você gostou de tantos pontos do livro, como só três estrelas no Skoob? O que me deixou realmente chateada com o desenrolar, especialmente da metade para o final, foi o romance. Por favor, entenda, eu não sou contra romances em livros jovens, pelo contrário. O que não gostei foi de que o relacionamento entre Kyla e Ben começa de uma forma bem sutil, realmente de acordo com a proposta do livro, mas se intensifica rápido demais. Todo o enredo de Reiniciados se passa em poucas semanas após a saída de Kyla do hospital, e o romance avança muito mais rápido que os outros pontos chaves do livro. E há uma mudança bruta de personalidade em um dos personagens, que acaba servindo como o gancho para o livro dois (chamado Fractured em inglês).

Mesmo você, leitor, que cansou de distopias onde o romance toma conta, minha dica é: leia Reiniciados. O livro tem mais pontos positivos e interessantes do que negativos. Se você começar a leitura sem expectativas ou comparações com outros livros do gênero, vai aproveitar muito a história de Teri Terry. Pela prova do livro já posso adiantar que a diagramação e fonte são ótimas e mesmo com mais de 400 páginas a leitura fluí bem. A revisão está boa e não lembro de erros graves. A capa nacional é muito semelhantes com a americana, e mesmo não gostando de rostos de pessoas em destaque, combinou muito com a história. Eu sei, o post ficou enorme, mas espero que você tenha gostado! E deixe seu comentário, claro!

Beijos!
*Livro recebido da editora Farol Literário
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

18 comentários

  1. Oi Nine!
    Estava curiosa pela sua resenha desde ontem! hehe!
    Eu gostei bastante da história, achei bem interessante e original. Mesmo tendo um romance muito rápido acredito que isso não tenha comprometido a história neh? pq os outros pontos chaves do livro não foram prejudicados!
    Fiquei super curiosa para ler o livro!
    Bejos!

    ResponderExcluir
  2. Esse livro já esta no meu carrinho de compras. Esse mês meu carrinho foi todo distópico. ahuahaua
    Fiquei muito curiosa quando li sobre o lançamento desse livro, e depois que li sua resenha, me senti um pouco mais segura nessa compra.

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Estou com muita vontade de ler este livro, fiquei bem feliz com o que você comentou sobre o cenário ser mais realista e a autora ter explicado como Londres ficou do jeito do livro, uma coisa que me incomodou muito em algumas resenhas de distopias(ainda não cheguei a ler nenhum livro de fato) que li foi a ausência dessa explicação.
    Beijos
    fromafallenangelsheart.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Nossa, fiquei com muita vontade de ler o livro..Acho muito interessantes livros com distopia, é um jeito diferente e inteligente de fazer uma crítica.Quero saber o que acontece com Kyla e do que mais ela é capaz.. :D

    ResponderExcluir
  5. ah, prefiro sorteios com Raflecopter :D

    ResponderExcluir
  6. Bom, como eu só lembro-me de ter lido Jogos Vorazes de distopia, acho que não me sinto enjoada do tema.
    Quando você começou a escrever me passou um flash de V de Vingança, mas a medida que fui lendo vi que é BEM diferente. Como eu sou totalmente cliché, amo romances em qualquer história, desde que consiga fazer tum-tum com meu coração, aceito até os mais bobinhos ^^
    Ps.: como você perguntou lá no facebook, prefiro sorteios por lá, mais pela comodidade do que por qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  7. Estou numa vibe de distopias e essa me chamou bem a atenção. Confesso que me dá preguiça quando o autor se dá ao trabalho de criar toda uma realidade alternativa que tem muitos lados a ser explorada mas fica preso no romance como a Seleção por exemplo (que eu adoro, mas continuo sem saber nada sobre os rebeldes).

    Também prefiro sorteios pelo Raflecopter.

    ResponderExcluir
  8. To doido por esse livro... Parabéns pela resenha e fiquei feliz pela sua nova parceria....Prefiro a promoção via facebook

    ResponderExcluir
  9. oi nine! as distopias me conquistaram, adoro! to muito ansiosa por esse livro, apesar que fiz uma promessa de nao comprar mais livros enquanto nao ler pelo menos 90% dos meus nao lidos rsrsrs essa parte de romance dos livros jovens me irrita um pouco, sempre acho meio forçado. mas mesmo assim, to mto curiosa! otima resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho forçadíssimo Amanda. A menina conhece o cara e 2 dias depois ele só torna o centro da vida dela e vice-versa. Meninas de 15/16 anos encontrando o amor que durará para sempre é realmente muito plausível. sóquenão

      Excluir
  10. Estou lendo bastante distopias ultimamente (dois livros, mas ok rsrs) e me interessei por essa. Gostei do fato de se passar em Londres, e disso de a memória da pessoa ser totalmente apagada e ela começar do zero. Parece ser muito interessante o livro.
    Você falou do relacionamento da protagonista com os pais, fiquei curioso, gosto de histórias familiares e coisas do tipo.
    Enfim, me interessei pelo livro, vai lá pra minha listinha de desejados do skoob.
    Adoro ler suas resenhas Nine, gosto muito do jeito que você escreve *-* e adoro os vídeos também.
    Beeijos!

    ResponderExcluir
  11. PS: Também não gosto de capas com foto de rostos, mas essa ficou muito bonita. E esse olho da menina *--*

    ResponderExcluir
  12. Muitooo curiosa!! Amo distopias, principalmente as do tipo que não se afastam tanto da realidade. Parabéns pela resenha :)

    ResponderExcluir
  13. Muito boa a resenha, mas eu notei que você disse para não ler "comparando" com outros livros. Porém, quando eu fiquei sabendo desse livro, não pude deixar de pensar se não era um pouquinho parecido com Feios, ou Divergente ou muitos desses novos livros que estão sendo lançados e tem uma proposta semelhante: o futuro e uma sociedade diferente (apesar de serem totalmente diferentes quanto ao desenrolar da história e tudo mais)... Mas de qualquer jeito, estava (estou) ansiosa para ler tal livro, acredito que deve ser bom!

    ResponderExcluir
  14. Curiosa! Não sabia que a distopia se passava em Londres, o que me lembrou 'V de Vingança', já assistiu? É bem legal, passa uma mensagem muito bacana.
    Já estava na minha lista de "vou ler", e juro que não esperava tanto do livro! Lerei assim que possível!
    Bjs!
    s2

    ResponderExcluir
  15. Tô bem curiosa e animada por esse livro, sua resenha contribuiu pra expectativa! Mas broxei um pouco nesse negócio do romance. Eu entendo e gosto de romances em distopias (tanto que adoro Delírio e Destino, e essas duas séries se baseiam muito mais em romance do que em distopia mesmo), mas é incrivelmente frustrante quando uma série se vende como distópica, e só foca no romance. Quer dizer, né por nada não, mas se fosse eu no lugar das protagonistas desses livros, ia me concentrar muito mais em FICAR VIVA do que em escolher entre Mocinho 1 e Mocinho 2.

    ResponderExcluir
  16. Nossa quando li a sinopse pensei nossa outra distopia apesar de adorar , já estava meio cansada, mas lendo a resenha fiquei super interessada e com certeza sera uma das minhas próximas compras.
    Mas uma vez amei sua resenha.

    Beijinhos

    http://amantedaleiturabydrika.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Apesar de não curtir distopia, eu to bem curiosa pra ler esse livro também, achei a história bem interessante e pela sua resenha parece ser de leitura rápida e bem estruturada, né? Ele já está na minha lista!

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Olá! Deixe sua opinião. ;)