Flannery de Robert Campbell

12 de março de 2018




Flannery
Autor: Robert Cambpell
Editora: Art
Edição: 1988
Páginas: 159
Skoob | Compre no Estante Virtual

LEIA TAMBÉM
O salário do medo de Georges Arnaud

Jimmy Flannery é filho de irlandês, mora em Chicago e poderia passar despercebido se não fosse protagonista do livro, é claro, e principalmente por não deixar para trás um assunto não resolvido. Tudo começa com uma explosão em uma clínica de aborto no distrito que Flannery coordena e a obstinação do protagonista leva o leitor a máquina de poder de Chicago (e de qualquer cidade do mundo).

Narrado em primeira pessoa, imediatamente o personagem principal apresenta ao leitor um contexto da sua vida e de como se encaixa na máquina política. Com a justificativa de descobrir e punir os responsáveis pelo acidente em seu distrito, e mandar um recado para que os rivais não tentem roubar seu espaço, Flannery cada vez mais parece descobrir as camadas que existem na troca de favores.


É impossível largar o livro até descobrir o desfecho da história. Com o avançar dos capítulos é possível fazer várias predições, mas a verdade é que queremos, assim como Flannery, descobrir o que aconteceu de verdade e porque as pessoas poderosas parecem ignorar o acontecimento. As ameaças são constantes e a vida de Flannery parece que não vai durar muito.

Um romance se desenvolve no decorrer da trama e não ofusca o tema principal, mas mostra o tipo de perigo que pessoas envolvidas com política vivem e quem está relacionadas a elas também. Flannery é uma figura simpática no geral e parece dominar seu distrito, mas é subestimado em vários momentos do livro e dúvidas sobre sua atitude e escolhas são frequentes. 





Por fim, principalmente porque o livro é curto, quero destacar a relação de pai e filho. No decorrer de Flannery é possível perceber a influência do pai do protagonista na vida e nos negócios do jovem e como ele também parece duvidar da capacidade do personagem, ou do tipo de ideias que ele defende. Chicago tem vários distritos étnicos e o desejo de que o filho encontre uma mulher irlandesa é expresso em vários trechos do enredo. O filho não dá bola pra isso. 

Não há um ser humano vivo que não tenha cometido um ou dois erros em cada dia da existência, seja homem ou mulher. Alguns erros não são importantes - são rapidamente superáveis - mas outros têm que ser pagos para sempre.
página 50

Sem dúvida Flannery é um misto de herói e anti-herói e talvez por isso eu tenha gostado do personagem e devorado o livro. Para os leitores que curtem tramas políticas com doses de drama, sarcasmo, vida urbana e temas sociais, além de edições antigas, claro, vale dar uma chance para o livro de Robert Campbell. O cenário é Chicago, mas a política do enredo é mundial.

Beijos!

Foto: Nine Stecanella