Amy & Matthew de Cammie McGovern

7 de abril de 2015




Amy e Matthew
Às vezes, "eu te amo" é o mais difícil de dizer
Autora: Cammie McGovern
Editora: Galera
Edição: 2015 (1ª edição)
Páginas: 336
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.

Hoje é dia de conversarmos sobre Amy e Matthew de Cammie McGovern, lançamento da Galera. A história é sobre… Amy e Matthew, é claro, dois adolescentes que se conhecem desde crianças por conta da escola, mas não se conhecem de fato. Deu pra entender?! Um sempre reparou no outro, mas por motivos que vamos conhecendo ao longo do enredo os dois nunca foram amigos.

Amy é extremamente inteligente, mas vive em conflito com seu corpo. Por conta de uma paralisia cerebral, a protagonista tem seus movimentos limitados, usa um andador para se locomover e a ajuda de um computador de última geração para se comunicar. Do outro lado da equação temos um Matthew com manias compulsivas que tomaram proporções tão grandes em sua vida que o prejuízo é visível em todos os aspectos do seu dia a dia.


Os dois personagens se aproximam quando Amy resolve que quer como auxiliares colegas em vez de adultos. A jovem argumenta com a mãe controladora que, há poucos meses de entrar para a faculdade, é importante que faça amigos. E assim é. Amy passa a contar com a ajuda de colegas, um por dia, fechando a semana com Matthew, que ela pediu especialmente que se candidatasse a uma vaga como auxiliar. E é a partir daí que acompanhamos a história dos dois.

Normalmente, por usar a sinopse do Skoob, eu não faço um resumo no post, mas senti que neste caso era importante para um complementar o outro. E devo ressaltar, desde já, que a leitura não foi tão legal (ou boa) assim. Primeiro porque Amy e Matthew sempre tiveram interesse um pelo outro, desde crianças, e apesar dos obstáculos enfrentados pela garota e o que isso representa no contexto adolescente e do ensino médio, não entendi porque raios eles nunca conversaram.

Aprendi que algumas (pessoas) que parecem bem são mais incapacitadas do que eu, por medos que não conseguem explicar. Outras pessoas são refreadas pela timidez ou pela raiva. Ao fazer amigos, vejo a maneira como  algumas pessoas se colocam em desvantagem. Acredito que existam escolhas a serem feitas por nós todos os dias.
página 88 

Sinceramente, o romance dos dois não me convenceu em momento algum. Por outro lado, a amizade entre Amy e Matthew foi muito inspiradora, principalmente pela sinceridade em momentos importantes. Pode parecer contraditório ter gostado de um aspecto e não do outro já que os dois estão no mesmo “combo”, diríamos assim, mas o romance não me pareceu verdadeiro. Gostaria que o livro tivesse tratado com mais detalhes as amizades.

Apesar de focar em Amy e Matthew, Cammie McGovern também dá espaço para os outros auxiliares de Amy e como cada um deles influencia a vida da personagem e/ou agrega algo novo. O que mais gostei foi a diversidade de alunos e dos motivos que fizeram cada um desses jovens se candidatarem ao emprego junto a protagonista e como, apesar de sutil, todas as histórias estão entrelaçadas. E também como sempre temos a aprender com o outro, mesmo que a primeira vista pareça que não.

A relação de Amy com a mãe que controla (ou tenta) cada minuto de sua vida, do meu ponto de vista, ficou a desejar. Entendo que o foco do livro é a parte “jovem”, mas por conta da relação estremecida entre as duas eu senti falta de entender um pouco mais o lado da mãe e tudo que implica criar um filho com necessidades especiais. De maneira nenhuma concordo com certas atitudes da matriarca, mas seria interessante conhecer o ponto de vista dela. O pai de Amy é quase inexistente nas relações e pouco citado.



Sobre algumas reviravoltas… fiquei de queixo caído e parte delas eu não gostei. Sinceramente, achei desnecessárias várias cenas do terço final. Minha impressão foi de que a autora quis chocar ao invés de colocar em pauta certos temas. A grande verdade é que percebi com Amy e Matthew que talvez seja hora de dar um tempo nos livros jovens (YA) com protagonistas problemáticos. Li muitas histórias com esse perfil nos últimos tempos e estou saturada do estilo.

Avaliei o livro com três estrelas no Skoob e apesar de não ter amado, é uma leitura que vale por muitas discussões sutis e importantes ao longo do enredo. Não me conectei a Amy e Matthew como casal, mas achei a relação de amizade e cumplicidade entre eles ótima e isso valeu pelo livro todo. Se você já leu, compartilhe suas impressões nos comentários!

Beijos! 
Fotos: Nine Stecanella
*Livro recebido da editora Galera Record
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine