Carrie: A estranha (Carrie) – dirigido por Kimberly Peirce

27 de fevereiro de 2015




Carrie:  A estranha
Carrie
Direção: Kimberly Peirce
Estúdio: Metro Goldwyn Mayer
Ano: 2013
Duração: 100 minutos
Filmow | IMBd
Compre no Submarino

O primeiro post desta sexta-feira é curto e rápido para comentar o que achei do remake de Carrie – A estranha, lançado em 2013 e dirigido por Kimberly Peirce. Aproveitei que os canais Telecine estavam abertos na última semana para matar (que trocadilho) a curiosidade sobre a versão contemporânea. Acho importante ressaltar que não li o livro de Stephen King nem assisti a clássica adaptação dos anos 1970. Ou seja, minha opinião é baseada no filme e só nele.

Sem enrolação, o filme é uma grande decepção. Fraco mesmo. Essa foi uma das poucas ocasiões em que fui atualizar minha página no Filmow e concordei com a maioria dos usuários (dos comentários que li, claro). Mas Nine, o que você quer dizer com fraco? Bom, partindo do ponto que a história é baseada no livro de um dos escritores contemporâneos mais importantes, imagino que além do suspense, Carrie – A estranha passe alguma mensagem, certo? (quem leu me conta)


O filme poderia abordar, além da própria realidade adolescente de Carrie, sua relação com a mãe extremamente religiosa e como os jovens encaram a religiosidade hoje em dia, o rigor absurdo no lar, o fato de ser a “esquisita” da escola e, é claro, a telecinesia. No entanto, a adaptação não explora esses temas com o objetivo de trazer um debate. Não! O filme é construído com momentos clichês seguidos de cenas impactantes e sanguinolentas, visualmente bem chocantes, mas que não agregam em nada para o conteúdo da história, para que o enredo tenha um desenvolvimento além da parte fantástica.

Eu gostei da escolha de elenco e das atuações. Infelizmente, pelo roteiro se ater especialmente na parte paranormal da história (e Stephen King é um dos roteiristas), a performance dos atores não parece tão boa assim. Quando Carrie – A estranha terminou eu pensei “Tá, é isso o filme?”. Porque a mensagem final é clara: comenta bullying com a menina com poderes telecinéticos e ela massacrará você no baile. Sim, é só isso que o filme passa.



Cotei Carrie – A estranha com duas estrelas no Filmow. Raramente vocês me verão falar ou escrever isso, mas eu não recomendo o filme. Se você é fã de Stephen King e está curioso, ok. Mas no geral, não é um filme que eu tenha gostado ou tenha valido a pena nem pela parte paranormal e nem por outros questionamentos, porque eles são quase inexistentes. Agora estou em dúvida entre ler o livro primeiro ou assistir ao filme dos anos 1970 para saber se foi melhor adaptado (pelos comentários dos fãs da história, foi sim).

ASSISTA AO TRAILER

Beijos!
Fotos: Divulgação
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine