Percy Jackson e os Olimpianos: O ladrão de raios de Rick Riordan

7 de dezembro de 2010






O ladrão de raios
#1 Percy Jackson e os Olimpianos
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Edição: 2010/ 2ª edição
Páginas: 387
Compre no Submarino

E se os deuses do Olimpo estivessem vivos em pleno século XXI? E se eles ainda se apaixonassem por mortais e tivessem filhos que pudessem se tornar heróis? Segundo a lenda da Antiguidade, a maior parte deles, marcados pelo destino, dificilmente chegavam a adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.

ESSA RESENHA PODE CONTER SPOILERS!

Eu tinha um certo receio em ler Percy Jackson apesar dos muitos elogios. É difícil não pensar em Harry Potter. Mas isso acabou no momento em que comecei a ler. 

Percy Jackson é um garoto bem problemático. Mais do que um adolescente da sua idade. É bem atrapalhado, sofre com a dislexia e o déficit de atenção. Tem uma mãe ótima, mas um padrastro digno de filme de terror. E é claro, nunca na cabeça dele, poderia surgir a idéia de ser um semideus. Mas as coisas começam a mudar quando Percy é acusado de roubar o raio-mestre de Zeus e todas aquelas criaturas bizarras começam a caça-lo. Só então que as coisas começam a fazer sentido. 

Embora o livro dê várias evidências de que Percy é filho de Poseidon, só depois de ir para o Acampamento Meio Sangue e conhecer mais sobre os semideuses, é que Percy descobre a influência da água em sua vida e principalmente sua recuperação e vitalidade. Então começa a juntar as evidência e tudo mais... descobre que é filho de um dos “três grandes” e que é acusado de não só roubar o raio-mestre como também de ser o motivador [pelo roubo] de uma guerra entre eles [Hades, Zeus e Poseidon]. 

Eu gostei do espírito aventureiro do livro e da motivação do Percy em salvar sua mãe do submundo e provar sua inocência. É nesse momento que percebi a maior semelhança com Harry Potter: o trio de amigos. Para mim é o único ponto realmente semelhante e que deve ter sido inspirado no bruxo, fora isso, não encontrei nada de mais óbvio. Annabeth é a versão semideusa da Hermione, sabidona tanto quanto. Entre Grover e Rony isso não seria tão evidente, a não ser o jeitão mais atrapalhado dos dois. E é claro, os heróis adolescentes Percy Jackson e Harry Potter, por motivos diferentes, se superam em coragem. 

Além disso, sem dúvida, o que mais conta no enredo do livro são as pitadas de história e mitologia grega que com certeza fez muitos leitores se interessarem mais por isso [\o/] e ficarem mais atento as aulas de história. E não poderia ser diferente, Rick Riordan foi professor de inglês e história em escolas públicas americanas e aposto que ele pensou: “vou fazer um livro sobre mitologia e provar que essa gurizada pode se interessar mesmo por isso”. Conseguiu Rick.

Depois de ler Ladrão de Raios não ouso fazer mais comparações com Harry Potter a não ser a que falei acima. Embora o público seja o mesmo, os enredos dos livros são bem diferentes. E acredito que as motivações dos autores também. Eu realmente me surpreendi com a história desse semideus maluquinho que é o Percy Jackson. 

Outro grande ponto a favor do livro, além da mitologia, é a narrativa de Rick Riordan. Leve, clara e totalmente fluída. Nada melhor para um livro destinado a um público que não gosta tanto assim de ler [tô falando de pessoas normais, não malucos como nós]. Ladrão de Raios já foi e Mar de Monstros já está na minha cabeceira. 

Vejo vocês em breve.
Beijos!


*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine