Notas do subsolo de Fiódor Dostoiévski

29 de novembro de 2010





Notas do Subsolo
Autor: Fiódor Dostoiévski
Editora: LePM Pocket
Edição: 2010
Páginas: 149
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Esta obra, publicada inicialmente na revista Epokha, editada por Dostoiévski e por seu irmão Mikhail, traz em si várias discussões filosóficas. Dividida em duas partes, é um autoflagelante monólogo no qual o narrador, um rebelde contrário ao materialismo e ao conformismo. Discute sua visão negativa do mundo e aborda as principais questões do seu tempo, constituindo uma narrativa de uma intensidade incomum.

Não é fácil falar de Dostoiévski. Livros assim me deixam em dúvida sobre escrever aqui no blog. Mas Notas do subsolo é uma obra incrível. Verdade que não é uma leitura fácil e fluída como outros livros, mas vale a pena.

Para não estender muito, o monólogo é uma crítica clara a sociedade russa [que na verdade, serve para o resto do mundo]. É verdade que Dostoiévski fala através de um personagem, mas na verdade é sua opinião exposta em uma obra que faz pensar sobre nossos atuais valores. 

Um protagonista sádico e idealista, que por vezes faz com que o leitor questione sua sanidade mental, mas que acredita na inteligência em primeiro lugar. É visto como um excluído uma vez que a realidade a sua volta [as pessoas] se preocupam mais com medalhas, aquisições e aparências. 

O mais incrível do livro são as contradições que o protagonista sofre. Embora tenha uma idéia bem particular sobre todas as coisas, por vezes se perde em pensamentos e tenta se incluir em grupos que não querem incluí-lo. Isso faz com que o livro tenha, de certa forma, um humor ácido, já que isso acontece com todos nós, em algum momento. 

Para entender e ter suas próprias conclusão leia o Nota do subsolo. Vale muito a pena já que tudo se aplica aos dias de hoje. 

Beijos!
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Promoção "Wishing a Book"

27 de novembro de 2010



Ano Novo chegando e nada melhor do que renovar a estante.

Para ajudá-lo, 7 blogs se reuniram e criaram uma promoção para agitar o fim de ano, fazendo seu 2011 começar com o “pé” direito.


Cada blog cedeu no mínimo um livro, além da contar com a contribuição dos autores Loraine Pivatto, Roberta Polito, Vanessa Bosso, Claudio Formiga, Eliana Portella, Lycia Barros e José Oliveira.

Quer começar o próximo ano com livros novos? Então participe da promoção: “Wishing a Book”! A promoção sorteará 14 livros. Cada livro terá um ganhador!


Quer saber quais livros você poderá ganhar? Confira a lista abaixo:
1 – Halo
2 – Perfeitos
3 – Interligados
4 – Percy Jackson e o Último Olimpiano
5 – Diários do Vampiro, O Despertar
6 – Fade
7 – Sábado a Noite
8 – Amores Incertos
9 – Perseguição Digital
10 – Bubble Gum
11 – 2012, Uma Aventura no Fim do Mundo
12 – Penitenciária Central
13 – Viciado Carioca
14 – O Réu dos Sonhos


E para completar a wish list, os prêmios incluirão marcadores e brindes!


REGRAS:
1 – Seguir todos os blogs:
Para seguir o blog, basta clicar em SEGUIR na coluna ao lado das postagens.
Guardiã da Meia-Noite
Guria que Lê
Janine Stecanella
Literatura de Cabeça
Queria Ser Vampira*
Sentimento nos Livros
TnTaylor
*Apenas para seguidores do twitter.

2 – Preencher o seguinte formulário em qualquer um dos blogs participantes;
3 –  Comentar neste post não se esquecendo de colocar nome de seguidor do blog e do twitter (caso você divulgue lá). Apenas um comentário por pessoa;
4 –  Ser residente no Brasil
5 – Para ganhar um número extra, basta seguir o twitter de cada blog, acessando http://twitter.com/nine_stecanella e clicar “follow”. Deve preencher o formulário novamente para cada blog que segue (se segue os 7 blogs, preenche mais 7 vezes o formulário).
6 –  Para ganhar mais um número, envie um tweet a cada 12 horas com a frase abaixo e preencher o formulário novamente a cada divulgação:

Eu participo da #promoção “Wishing a book” da @nine_stecanella. São 14 livros e 14 ganhadores. Eu quero o meu e você? http://migre.me/2x3dY

Caso a pessoa não cumpra as regras será desclassificada automaticamente.

Considerações:
1. O sorteio será feito pelo "random.org".
2. A promoção tem seu início dia 27/11/2010 e será válida até as 23h59min do dia 09/01/2011.
3. No dia 10/01/2011 postaremos o resultado em todos os blogs participantes e os ganhadores terão até 2 dias para responder.


Vai perder essa? Claro que não... Participe!

Wake de Lisa McMann

25 de novembro de 2010









Para Janie, uma garota de 17 anos, ser sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas está se tornando normal. Ela não pode contar a ninguém sobre isso – eles nunca acreditariam, ou pior, achariam que é uma aberração. Então, ela vive no limite, amaldiçoada com uma habilidade que não quer e não pode controlar. Mas, de repente, Janie fica presa em um pesadelo horrível, que lhe causa um imenso terror. Pela primeira vez, ela é mais do que uma mera espectadora, Janie se torna uma participante.


No início achava esse livro atraente. Depois de algumas resenhas negativas fiquei em dúvida. Em seguida a Etiene [Aprendiz de Cinema] e a Juh Oliveto [Livros e Bolinhos] decretaram a sentença: eu precisava ler Wake.

Já falei por aí, nos vídeos e no blog [eu acho] que sempre fico com um pé atrás com aqueles livros que se tornam febre. Alguns leio porque fico curiosa, outros leio porque gosto do tema. Livros como os do Nicholas Sparks nunca entraram na minha lista de compras, como falo sempre, não tô no “clima” de histórias como as dele. E livros que recebem muitas críticas negativas também me chamam a atenção, como boa curiosa.

No fundo sempre quis ler Wake. A Etiene e a Juh reforçaram e eu tenho que confessar: AMEI esse livro. Mesmo! Depois de Sussurro, que até o momento é meu sobrenatural preferido, Wake vem logo atrás.

No início, foi difícil se acostumar com ritmo do livro e os sonhos que Janie não conseguia fugir. Depois de algumas páginas isso fica fácil. Aliás, o tema do livro foi o principal motivo da minha paixão pela história. Janie descobre com apenas oito anos que é uma apanhadora de sonhos. Imagine você, uma criança, no lugar dela. A personalidade é outro ponto forte pra mim. Janie tem uma mãe que pouco se importa com ela, a casa e tudo que passa ao seu redor. Logo, ela teria todos os motivos pra ser uma protagonista fútil e mesquinha, mas não é!

A paixão entre Janie e Cabel também é uma coisa bem real. Afinal, esses dramas escolares são totalmente realidade: o cara que acha o garota estranha e vice-e-versa. Tá, é um clichê teen, mas funcionou bem no fim de Wake, quando tudo aquilo que Cabel esconde se revela. E claro, NUNCA eu ia imaginar uma coisa daquelas.

Gosto também da relação de Janie com o asilo. Como adolescente, não é um lugar muito comum para se trabalhar, principalmente por todos os cuidados que as pessoas idosas e debilitadas demandam. Mas como quer ir para faculdade, arrisca até seu segredo pelo seu salário, e ao longo da narrativa e com os sonhos que “vê” e conhece um pouco mais de cada pessoa que está internada lá.

Wake não é uma fábula ou conto de fadas moderno. Wake é realista. E foi por isso que gostei tanto dele. Janie é uma adolescente que parece uma [de verdade]. Cabel é um adolescente, que passou por muitas coisas que os adolescentes passam [erros e acertos]. A escola, os amigos e a mãe de Janie, tudo isso compõe um belo cenário de “drama”. Do tipo que a gente pode encontrar na nossa casa, ou no vizinho ao lado.

Wake
Autora: Lisa McMann
Editora: Novo Século
Edição: 2010

Beijos!

Promoção Halo

23 de novembro de 2010


Olá gente! Enfim o blog chegou aos 200 seguidores. Então, como prometido, tem promoção de Halo. \o/



Na enquete, a diferença foi muito grande.



Como participar? É simples. Não será sorteio, será a melhor resposta!
É preciso seguir todas as regras!

REGRAS:
  • Ser seguidor público do blog
  • Deixar um comentário neste post
  • Preencher o formulário [AQUI]


OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
  • Cada participante poderá enviar até DUAS respostas! 
  • A promoção vai de 23/11/2010 até 05/01/2011
  • O resultado com a melhor resposta será divulgado no dia 08/01/2011

Conto com vocês para ajudar na divulgação através do Twitter.

Beijos!

Correio#9.1

22 de novembro de 2010

Adaptação do meme criado pela blogueira Kristi do blog The Story Siren.


Beijos!

Indomada de P.C. Cast e Kristin Cast

19 de novembro de 2010



A vida se complica quando seus amigos estão furiosos com você. Basta perguntar a Zoey. Ela se tornou uma especialista no assunto. Mas mesmo rejeitada, ela não os culpa, sabe que é apenas uma conseqüência de seus próprios atos. Neste quarto livro da série HOUSE OF NIGHT, Aphrodite tem novas visões sangrentas, que incluem uma grande guerra entre vampiros e humanos, liderada por Neferet, e a morte de Zoey. As mudanças ocorrem tão rápido que parece que toda a lógica desapareceu do mundo. Lealdades são testadas, intenções verdadeiras e chocantes vêm à luz, e um antigo mal desperta. Zoey sente que deve mudar o curso das coisas, mas ninguém parece ouvi-la.

ATENÇÃO! ESSA RESENHA CONTÉM MUITOS SPOILERS!

Cheguei ao quarto livro da série House of Night e foi uma ótima ideia continuar lendo. Mas antes de falar do livro, vou fazer algumas considerações.

1 – Essa é uma das séries que gera muita controvérsia. O primeiro e segundo livros [Marcada e Traída] não foram bons. Eram repetitivos e chatos e também achei pessimamente escritos. Não sei se quem leu inglês teve a mesma impressão;

2 – Mas se era chato porque tu continuou lendo Nine? Simples, quando comprei esses livros, comprei os três primeiros juntos, logo, quando terminei de ler Traída, já tinha o Escolhida, e como eu já tinha na coleção resolvi ler. E foi aí que as coisas mudaram; 

3 – Realmente Indomada não parece escrito pelas mesmas autoras, mas... 

4 – Eu não recomendo essa série para quem nunca leu nenhum dos livros por dois motivos: 1º porque serão 13 livros [se não me engano]. Não quero carregar o peso de indicar uma série tão grande correndo o risco de 80% das pessoas não gostarem. 2º porque ela não é incrível. Na minha opinião é boa. E só. 

Pois bem! Depois de deixar seus amigos furiosos, Zoey tenta de todas as maneiras provar que tudo foi para o bem deles. E mais, Aphrodite se torna sua única amiga nesses primeiros momentos de Indomada. Uma mudança e tanto, já que as duas eram inimigas quando Zoey chegou na Morada da Noite e tomou todas as atenções.

Depois de algumas folhas, Zoey enfim explica parte da confusão aos amigos e tudo volta ao normal. Só que claro, por um motivo grave: a visão de Aphrodite que mostra duas “versões” da morte de Zoey e o verdadeiro apocalipse entre vampiros e humanos. Mas é azarada. Desde que ela entrou na Morada da Noite só se meteu em confusão. Para amenizar a situação, uma visita inesperada chega na escola para evitar que Neferet inicie sua guerra contra os humanos. Depois de muita cena, a grande sacerdotisa consegue concluir seu plano, despertar um grande e poderoso mal. 

Aí, mais uma vez, começa o heroísmo de Zoey. Sim, ela salva e protege os amigos, consegue fugir da Morada da Noite graças ao seu círculo com os cinco elementos e vai para as passagens subterrâneas onde Stevie Ray morava com os “novatos vermelhos”. E aí a coisa toda só vai continuar em Caçada, que espero começar a ler semana que vem!

Não citei acima porque quis deixar para o final, mas é claro que Zoey, com os hormônios mais acelerados que carro de Fórmula 1, está mais uma vez toda encrencada com aquele monte de meninos. O ex-namorado humano. Eric Night que volta para a escola como professor. E um novo aluno, arqueiro, que nem bem chegou já foi morto por Neferet como parte do plano para despertar Kaloma!

Quem começou a ler House of Night e parou, continuar vai garantir algumas surpresas. Quem ainda não leu, reserve um tempinho, aproveite as promoções dos primeiros livros da série, porque a cada novo volume, a história ganha mais aventura, mistério e magia.

Beijos!


Correio #8

16 de novembro de 2010


Beijos!

Promo Merry Christmas

12 de novembro de 2010



REGRAS
  • Seguir publicamente os blogs Janine Stecanella e Teto de Livro
  • Deixar sua resposta nesse post com e-mail para contato. 
  • Ter endereço de entrega no Brasil
IMPORTANTE
A promoção encerra no dia 15 de dezembro.
Cada participante poderá enviar apena UMA resposta.
O vencedor precisa seguir TODAS as regras, caso contrário, outra resposta será escolhida.

Beijos!

Garota da Vitrine [Shopgirl] - direção de Anand Tucker

11 de novembro de 2010


Olá pessoal!
Para entender um pouco desse post seria bom ler o logo abaixo sobre A balconista! O filme Garota da Vitrine [Shopgirl, em inglês] é baseado no livro de Steve Martin. Gostei muito mais do livro, mas vou tentar falar um pouco sobre o que eu achei desse filme.

Mirabelle (Claire Danes) é uma jovem que trabalha na seção de luvas da Saks Fith Avenue, em Beverly Hills. Ela é uma artista que luta para se manter, vivendo sempre no limite do cartão de crédito e empréstimos bancários. Até que encontra Ray Porter (Steve Martin), um homem bem mais velho por quem se apaixona. A partir de então sua vida muda drasticamente, com os problemas financeiros ficando no passado. Porém, quando sua vida parecia ter entrado nos eixos, ela passa a ser assediada por Jeremy (Jason Schwartzmann), um músico recém-formado.

Falando em partes - gostei muito do cenário. Foi bem fiel ao livro. O trabalho de Mirabelle, sua casa, a casa de Ray e Jeremy. Visualmente os personagens também se aproximaram muito daquilo que eu imaginei. Embora, o livro deixe claro que Mirabelle é sofisticada, achei ela mais para simples/ cafona no filme. Mas tudo isso fica de lado com a atuação de Claire Danes, que é ótima atriz. 

Falando diretamente da personagem principal, achei que os momentos dramáticos ficaram bem claros, mas o livro é muito mais engraçado. Isso não apareceu no filme. Assim, a adaptação ficou mais pesada, com o ritmo mais lento. Diria, bem chato, perto do livro, que acabei em um dia.

Não se tem muito o que falar de Ray Porter. Steve Martin incorporou fielmente o personagem que ele mesmo escreveu. Há algumas diferenças sim, mas é sempre bom lembrar que é uma adaptação. E sou da opinião que o livro é melhor em 90% das vezes [único caso que achei melhor a adaptação foi Diários do Vampiro]. Jeremy também é bem próximo do personagem do livro, mas achei ele mais infantil no filme. Já no fim de A balconista, Steve Martin dá uma ideia de uma madurecimento bem maior em Jeremy, no filme ele só troca de roupa e penteia o cabelo. 

As cenas de drama foram bem intensas, mas preciso repetir que o livro é mais empolgante e mais engraçado. Confesso que vi o filme em duas partes. Pouco depois da metade me cansei. Assisti o resto só no dia seguinte. De qualquer maneira, a mensagem do livro, foi a mesma do filme. Mirabelle supera os problemas, com dificuldades, sim, mas achei uma bela lição de superação. 

ASSISTA AO TRAILER

Mais informações e sinopse no Adoro Cinema

Beijos!

A balconista de Steve Martin

10 de novembro de 2010








Neste romance, Steve Martin mostra uma nova faceta de sua personalidade: um homem sério, sensível e inteligente, dotado de um humor fino, que não perde nem nas ocasiões mais delicadas. A balconista, sucesso de público e crítica nos EUA, é a história pungente de Mirabelle - uma bela mulher de 28 anos - e de seus sonhos, desejos e romances nas ruas de Los Angeles.

Nunca fui muito boa com a definição de um livro, mas esse é engraçado, sensível e dramático. Isso mesmo! Pode ser difícil imaginar uma história com sentimentos tão diferentes, mas a vida de Mirabelle circula por altos e baixos, como nós. É uma história muito, muito real.

Ela trabalha no departamento de luvas de uma grande loja. Mas sua paixão é o desenho. Esse é o primeiro conflito que o livro trás. Mirabelle tem sim ambição, mas como precisa pagar suas contas, continua atrás de seu balcão, passando dias e mais dias, entediada, olhando pras meninas dos outros departamentos, sempre com muitos clientes, e com uma pontinha de inveja.

Mirabelle também não tem muita sorte no amor. E esse é o principal tema do livro. Seu relacionamento com um homem mais velho não termina como ela [e nós] imaginamos. E quando chega o momento mais dramático, ela toma sua decisão. Que não é fácil, mas é a mudança.

Ela também sofre de depressão, e um dos momentos mais delicados é quando os remédios param de fazer efeito, e tudo a sua volta perde o sentido. Embora pareça uma história triste, Steve Martin soube como colocar muito humor nela. E ao longo de todo livro é essa confusão de sentimentos. Choro e riso! 

No final, Mirabelle não encontra um grande amor, mas começa a dar um rumo na sua vida, o mais próximo daquilo que ela gostaria que fosse. E essa é a mensagem do livro: nada é fácil, sentimos amor e ódio ao mesmo tempo e precisamos escolher, caso contrário, uma decepção maior será somente nossa responsabilidade. 

Para entender melhor, vai uma mostra!

Na verdade, nessas festas, o poder permanece nas mãos de mulheres espiritualmente neuróticas, que atraem exatamente os homens que têm necessidade de domá-las. Mirabelle atrai outro tipo de homens, os mais tímidos e reticentes. Olham para ela por um longo tempo antes de se aproximar. Quando encontram alguma coisa nela que desejam, trata-se simplesmente de algo que está dentro dela.

Minha próxima resenha será sobre o filme baseado no livro.

Beijos!

O Hobbit de J.R.R. Tolkien

4 de novembro de 2010





Bilbo Bolseiro é um hobbit que leva uma vida confortável e sem ambições, raramente aventurando-se para além de sua despensa ou sua adega. Mas seu comportamento é perturbado quando Gandalf, o mago, e uma companhia de anões batem à sua porta e levam-no para uma expedição. Eles têm um plano para roubar o tesouro guardado por Smaug, o Magnífico, um grande e perigoso dragão. Bilbo reluta muito em participar da aventura mas acaba surpreendendo até a si mesmo com sua esperteza e sua habilidade como ladrão.

Provavelmente essa seja a "resenha" mais difícil de escrever até aqui. Estou falando de TOLKIEN. Não é de se espantar que faz uma semana que tento, e só agora resolvi escrever.

Você com certeza já ouviu falar de Tolkien, certo? Bom, nada do que eu escrever aqui vai chegar a grandeza de sua obra, de forma que não vai ser assim, uma resenha, vai ser mais como comentários do que eu achei desse livro, O Hobbit, que depois de muita luta judicial deve enfim começar a ser filmado, com previsão se lançamento para 2012.

Bilbo Bolseiro é nosso adorável hobbit que vive feliz na sua confortável toca até que Gandalf, o mago mais que misterioso, bate na sua porta com um bando de anões. Querem levar Bilbo a uma aventura em busca de um tesouro, guardado por Smaug, um dragão tão ambicioso que todo o ouro, prata e pedras preciosas que ele guarda com tanto zelo não lhe servem de nada, a não ser é claro, sua armadura composta de tudo isso. Sim, Smaug ficou tanto tempo sobre o tesouro que ouro, prata e pedras preciosas se juntaram ao seu corpo (diríamos assim, sua barriga) e o protegem como uma armadura, exceto, uma pequena parte no lado esquerdo, ou seja, o coração do dragão.

Bom, existe um motivo pra eu ter gostado tanto desse livro. Um não, vários. Primeiro a forma como Tolkien escreve. Ele conversa com o leitor. Segundo porque Bilbo é um reflexo do que todos nós somos. Vou explicar. Ele não queria sair de sua toca. Ele estava perfeitamente bem e não tinha interesse nenhum em aventuras. Mas Gandalf e os anões não lhe deram outra opção, então ele foi. Contra sua vontade.

Bilbo não imaginava o que a aventura seria, mesmo! Mas ele foi. E como hobbit, era considerado e mais fraco de todos. Os anões não entendiam porque raios Gandalf fazia tanta questão de que Bilbo Bolseiro fosse. O hobbit era atrapalhado, resmungão, e só falava na sua toca tão confortável e protegida e suas despensas lotadas, mas...

Como eu disse ali em cima, Galdalf era um mago muito misterioso, e como o objetivo não é contar detalhes do livro, mas só dar uma ideia, Galdalf se foi e deixou Bilbo no comando dos anões. E nessa altura do livro os anões já tinham uma outra visão do hobbit. O que quero dizer com tudo isso é o seguinte: Bilbo era hostilizado e desacreditado, só que ao longo da viagem não deixou se intimidar por isso, e foi aprendendo uma coisa aqui, outra ali, e no fim das contas, se tornou aquilo que era sua finalidade, um ladrão.

Como essa é uma "resenha" atípica, vou escrever dois trechos. E você que ainda não leu, LEIA!

Ladrões! Fogo! Assassínio! Uma coisa assim não acontecia desde que viera para a Montanha! Sua fúria ultrapassava qualquer descrição - o tipo de fúria que só se vê quando pessoas ricas, que têm mais do que podem apreciar, de repente, perdem algo que possuem há muito tempo, mas que nunca usaram ou quiseram. Arrotou fogo, o salão encheu-se de fumaça, ele sacudiu as raízes da montanha. Em vão forçou a cabeça contra a pequena abertura; depois, enrolando o corpo, saiu de seu covil profundo pela grande porta, pelos enormes corredores do palácio da montanha, subindo na direção do Portão Dianteiro.
- Não - disse Thorin - Há mais coisas boas em você do que você sabe, filho do Gentil Oeste. Alguma coragem e alguma sabedoria, misturadas na medida certa. Se mais de nós dessem mais valor a comida, bebida e música do que a tesouros, o mundo seria mais alegre. Mas, triste ou alegre, agora devo partir. Adeus!

Deu pra perceber que as críticas feitas por Tolkien ainda são bem válidas?!

E pra finalizar, prestem muito atenção no capítulo Adivinhas no escuro. Pra mim, o melhor. Tem nosso hobbit Bilbo Bolseiro, o Gollum, as adivinhas e um anel muito preciso!

Beijos!