A culpa é das estrelas de John Green

18 de março de 2013





A culpa é das estrelas
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Edição: 2012
Páginas: 288
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam.

A culpa é das estrelas foi o livro escolhido pelos leitores do Estante da Nine durante a enquete realizada na última semana de fevereiro. Logo no início do mês dediquei uma atenção especial ao livro e hoje escrevo as minhas impressões.

Com toda certeza, no meu caso, foi muito melhor ter lido depois de toda empolgação inicial. Eu gostei da história de John Green, mas falando com toda a sinceridade, não achei tudo isso. Claro que o gosto é muito pessoal e conheço leitores que se identificaram mais por terem passado por situações semelhantes.

Hazel, a protagonista, é uma paciente com câncer terminal. Gostei da personalidade dela, uma garota forte que dentro da possibilidade leva uma vida "normal". A mãe da garota dedica todo seu tempo à filha, enquanto o pai cuida do sustento da família. Ainda sobre o pai, gostei muito de o autor ter desenvolvido um personagem masculino tão emotivo.

Contudo, ao decorrer do livro, Hazel muda demais seu comportamento. Em alguns momentos é totalmente compreensível, mas em outros ela é como todas as protagonistas de livros jovem-adulto. Além disso, a obsessão de Hazel pelo seu livro e autor favoritos me cansou um pouco. Isso está muito ligando ao que eu penso sobre os livros, de modo geral. E se o autor deixou o livro inacabado, existiu alguma razão para isso. Mesmo que não esteja diretamente ligada ao livro.


O meu personagem preferido foi Augustus, claro. Eu teria gostado ainda mais do livro se ele fosse o personagem de primeiro plano. Gostei do jeito irreverente e do humor ácido. Além de ser super inteligente, como Hazel. A família do protagonista tem as mesmas características, o que rende algumas cenas engraçadas.

Gostei do desenvolvimento do relacionamento entre Hazel e Augustus. Achei delicado e tudo aconteceu no tempo certo. Embora eu tenha ficado chateada com a viagem que surgiu no livro, ela serviu para desenvolver uma certa maturidade nos personagens. No início imaginei que John Green não poderia me surpreender com uma reviravolta, mas ele fez isso.

Como pontos negativos, lembrando que essa é minha opinião pessoal, achei que John Green quis fazer um livro tão atípico para o tema que ficou, praticamente, sem emoção. Não gostei da fixação de Hazel pelo livro e da solução fácil que o autor encontrou para várias situações que, de longe e mesmo na ficção, precisariam de mais desenvolvimento e/ou explicações.

A edição da Intrínseca é boa. A capa ficou muito próxima da original, a diagramação facilita a leitura, as folhas são amarelas e não lembro de ter encontrado erros de revisão. A culpa é das estrelas tem muitas opiniões unânimes então, a melhor forma de descobrir mais sobre o livro é lendo e tirando suas próprias conclusões.

Beijos!
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

22 comentários

  1. Eu amo pra caramba esse livro, então sou suspeita de falar! Mas é legal ler o que os outros pensam, porque eu sou tão fangirl desse livro que às vezes pode ter um ou outro ponto que acabo ignorando.

    Aliás, Nine, é só aqui que o header do seu blog não tá aparecendo? Oo

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha Nine, eu adorei esse livro e concordo com vc em alguns pontos. Beijos :))

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Pensei que só eu não tinha achado o livro "tudo isso". Eu tinha muitas expectativas em relação a ele e me decepcionei.
    Realmente a parte do livro e da viagem cansou, achei exagerada a obsessão dela por esse livro ao ponto de fazer uma viagem pra descobrir o final dele. E não me emocionei, como achei que me emocionaria, só achei uma pena o que aconteceu com o Augustus no final, ele era o personagem mais legal do livro, na minha opinião!
    Bejos!

    ResponderExcluir
  4. oi nine!!!! adorei sua resenha, nao gostei desse livro, a menina é uma mala,o august foi o melhor personagem, gostei do pai dela tambem. achei chatissima a historia do livro inacabado dela. enfim dei nota 2. bjao

    ResponderExcluir
  5. Oi Nine, eu gostei tanto do livro :) e também da Hazel, apesar de claro ser um livro até certo ponto previsível apesar da surpresinha no final, achei o livro bem construído. Acho que o fato dela se apegar com aquele livro, era a única "muleta" dela onde achou conforto, porque sente que pelo menos naquele livro ou aquele autor sabe o que ela está passando, é identificação da situação pessoal dela, além disso Hazel tenta ao máximo manter a sua dignidade e não se vitimizar por causa da doença. Obviamente isso acontece as vezes, mas em tudo na vida há altos e baixos, ainda mais em um paciente com câncer terminal.
    Bom, achei a Hazel fofa, como falei na minha resenha, ela é adorável, inteligente, espirituosa, não aquelas adolescentes clichês da maioria do livros YA... bom pelo menos é o que eu acho. Não dei 5 estrelas, porque tem o seu tom de previsibilidade, mas achei um livro bem escrito e com personagens bem construídos.
    abraços
    Melissa Padilha
    decoisasporai.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Ei nine !!1
    Concordo com tudo que você falou !!!
    Li o livro com uma super expectativa. Primeiro pq ja havia lido Quem é você alasca? do autor e amado muito, e segundo pq minha amiga havia me dito que o CEDE foi o melhor livro da vida dela, exagero ou não, fui com essa expectativa e acabei não amando o livro.
    Não me tocou, e não acho q essa história seja muito diferente de outras que abordam o câncer (mesmo que esse não seja o foco principal do livro).
    Por fim, o final era super previsível, lembro que enquanto lia sempre falava ao meu namorado o que ia acontecer para no fim realmente acontecer.
    A historia não é ruim, mas tb não é espetacular!!

    Bjusss

    ResponderExcluir
  7. Eu li o livro algum tempo depois de lançado, mas ainda dentro da euforia original. Mesmo assim, não tinha expectativas muuuito altas porquê já tinha lido Quem é Você Alasca?, que todo mundo amou, e eu detestei. Então eu li esse esperando gostar, mas com um pé atrás.
    Enfim, concordo com você. É um livro bom, mas não achei o melhor livro do mundo como muita gente por aí. Na verdade, achei que toda a intelectualidade da Hazel foi meio forçada. Longe de mim dizer que adolescentes não podem ser intelectuais, tem que ser bobinhos etc. Mas nesse caso, parecia que o John Green queria provar que ele próprio é intelectual e passou isso pra personagem.. Sei lá, não desceu.
    Mas quanto ao livro que a Hazel é fã... Eu gostei disso. Por algum motivo, eu terminei ACEDE do mesmo jeito que a Hazel terminou o livro dela: querendo saber o que houve com ela, com a mãe, com o pai etc etc. Ainda estou criando coragem pra procurar o email do John e bombardeá-lo com perguntas, haha
    Ótima resenha, Janine (eu adoooooooro seu nome bjs)!

    Beijos, http://nasquartasusamosrosa.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Nine, vim aqui comentar no seu blog pois amei essa resenha. Eu também não gostei muito do livro, em vários pontos ele me desagradou, mas creio que o que me ajudou na leitura foi a escrita do John Green que é bem fluída e gostosa de se ler. Achei a Hazel (não sei se é assim o nome dela k) muito chata e ela me desanimava e muito. O Gus é o carinha perfeito <33 Ele tem muito mais sensibilidade do que a Hazel. As vezes eu me perguntava: Será que a Hazel é menino e eu é que to lendo errado? kkkkk É muito estranho ver uma menina sem sensibilidade e que só fica se martilizando.

    Te adoro e vc sabe disso <3

    Beijos linda,
    www.livrosetravessuras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Um livro que me emocionou muito no ano passado.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  10. Como sempre uma ótima resenha!! Gosto muito, pois vc sabe colocar suas impressões dos livros de uma maneira bem clara e explicada, fazendo com que quem ainda não leu, possa realmente ter uma visão da estória e escolher se quer ler ou não. Meu gosto para leitura é bem parecido com o seu, assim acho que a minha opinião do livro, o qual não li, seria a mesma. Não tenho muita curiosidade de ler esse livro também, tenho muitos outros favoritos na minha lista para serem comprados.
    Bezoo xD

    ResponderExcluir
  11. Finalmente uma resenha sensata sobre A Culpa é das Estrelas!
    De modo geral, eu gosto de suas resenhas porque são bastante sinceras e essa realmente ficou ótima. E gosto desse print que vc sempre faz nas resenhas :)
    xoxo :*

    http://pensarpaty.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, vim aqui pra avisar que vc ganhou um selo no meu blog:
    http://cheirinhodolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi, Nine !
    Também não cai de amores por esse livro como todo mundo, mas foi uma leitura agradável pra descansar um pouco dos YA's em geral. O Augustus é mesmo adorável !
    Pretendo em breve ler mais livro do John Green (:
    Abraços !

    ResponderExcluir
  14. Valt

    Uma das histórias de amor mais inesqueciveis que eu ja li. Amei o livro. Muito perfeito

    #AugustusEterno

    ResponderExcluir
  15. Com certeza cada um terá sua opinião! Eu estou bastante ansiosa para ler e tirar minhas próprias conclusões!

    ResponderExcluir
  16. Com certeza esse livro vai ser o próximo a ser lido, já está na minha estante..é só terminar minhas provas pra começar a lê-lo e espero gostar e me emocionar.

    ResponderExcluir
  17. Um livro que fiquei com o "pé atrás" justamente devido a toda comoção que aconteceu na blogosfera no ano passado. Sempre fico cismada quando vejo essa badalação toda em torno de algum livro.
    Foram poucos comentários negativos que li... pretendo lê-lo, mas não passará na frente de nenhuma das minhas leituras, ;)

    ResponderExcluir
  18. Oi Nine!

    Então, eu gostei bastante de A Culpa é das Estrelas, mas também achei que seria algo extraordinário, então ficou o gostinho de que tava faltando alguma coisa, mesmo que eu tenha praticamente me afogado nas minhas próprias lágrimas lendo. No geral, gostei muito mesmo. Apaixonei pelo Augustus, achei muito legal o do Green inventar tudo, o livro e a banda, porque meio que me permitiu imaginar tudo, e como não tem nada real o da minha cabeça é o que vale? Ui, que confuso.

    Mas é isso, mil beijos :)

    ResponderExcluir
  19. Ainda não li este livro mais tinha lido/ ouvido sempre maravilhas sobre ele... e para falar a verdade todas as pessoas as vezes ao falar dele pareciam que se repetiam.
    Gostei de ler sua opinião diferente dos demais e foi a que mais me convenceu..rsrs Ganhei esse livro, tá na pilha de espera e algum dia irei ler..rsrs

    ResponderExcluir
  20. "A Culpa é das Estrelas" se tornou meu livro favorito <3

    ResponderExcluir
  21. Olá :)

    Eu li este livro à cerca de dois dias e por isso ainda está muito na minha cabeça. Para mim, foi o 2º melhor livro que li, sem duvida alguma. Acho que, a meu ver, muita gente nao percebeu o porquê daquela teimosia que a Hazel teve para saber o que acontece no fim do livro. Ela faz aquilo, na minha opinião, porque se coloca no lugar da personagem, ela quer saber o que aconteceu à mãe, se depois da morte dela conseguiu ser feliz ou nao. A Hazel tinha medo que a sua própria mãe simplesmente fica-se paralisada, sem saber o que fazer. Por isso é que ela tem aquela discussão com a mãe quase no fim do livro.

    Mas no fundo acho que é um livro surpreendente que tem a sua reviravolta, que é simbólica, às vezes a probabilidade e a sorte são estão muito bem coordenadas ... infelizmente. É um livro comovente e muito genuíno. Apenas tenho a apontar que em Portugal a capa do livro nao tem nada a ver com a original, o que me decepcionou um pouco . De resto aconselho vivamente o livro para quem gosta de reflectir :)

    Parabens pelo site :)

    ResponderExcluir
  22. Fiquei surpresa com a avaliação e a resenha do livro. Não tinha visto nada além de perfeito e de 5 estrelas. Não era muito interessada nesse livro, mas daí a epidemia que ele teve na blogsdera, parecendo ser tão perfeito, me contagiou. Agora já acho ele normal haha Quero ler, mas não tanto assim.

    ResponderExcluir

Olá! Deixe sua opinião. ;)