Perdido em Marte - dirigido por Ridley Scott

3 de setembro de 2018



Perdido em Marte
(The Martian)
Direção: Ridley Scoot
Produção: Twentieth Century Fox
Ano: 2015
Duração: 144 minutos
Filmow | IMDb
Compre no Submarino

LEIA TAMBÉM
Perdido em Marte de Andy Weir

Não vou mentir que a vontade real de ler Perdido em Marte de Andy Weir aconteceu depois de assistir boa parte da adaptação um certo dia na TV. Como o livro estava nos planos e metas eu desisti de saber o final para começar a história original com alguma dose de surpresa. Resumindo: gostei de ambas experiências. Na publicação anterior falei sobre o enredo de Andy Weir e hoje é dia de trocar uma ideia sobre a adaptação de Ridley Scott.

O ponto de partida das duas versões é o mesmo: um acidente na superfície de Marte faz com que o grupo da Ares 3 aborte a missão para conseguir usar o módulo terrestre para acessar a nave em órbita antes que a tempestade de areia destrua tudo. Durante a evacuação Mark Watney é atingido por destroços da base e arrastado para longe. A morte é dada como certa e apesar de ressalvas a tripulação segue o plano. Tempo depois, ao acordar e entender o que aconteceu, o botânico e engenheiro do grupo percebe que está completamente sozinho em Marte.

Devo dizer que adorei o visual do filme. Tudo pareceu autêntico e sem exagero, muito realista, e ressalto isso no início da opinião porque eu detesto filmes de ficção científica e fantasia com efeitos especiais ruins. Ridley Scott acertou ao trazer a narrativa para o cinema de forma tão pessoal como é no livro com os diários de bordos de Mark Watney, que no filme funcionam como uma espécie de vlog, para falar na linguagem do milênio. 

A escolha de Matt Damon para viver Mark Watney foi sensacional porque o ator soube incorporar as principais características do personagem nas telas, desde o comportamento sistemático, até o humor ácido e sombrio, e também manteve a essência do astronauta do livro, muito do que me fez continuar na história apesar do bombardeio de informações científicas.

Sem dúvida com os recursos visuais do filme é mais fácil entender muitas informações científicas que no livro eu tive certa dificuldade, principalmente por não ter aprendido o básico na escola e a própria jornada de Mark Watney em desmontar e remontar equipamentos, a inventividade científica que eu tanto gostei no livro também estão presentes no filme. A participação da Nasa na adaptação também me pareceu mais presente e gostei demais de ver a tripulação da Ares 3, ainda em missão, precisando lidar com a situação. No livro eu não tive tanta empatia pela tripulação.

Meu grande porém com a adaptação foi o recorte de informações. Muitos trechos relevantes do livro são suprimidos, o que acontece com frequência em filmes baseados, mas o sentimento geral é que a jornada de Mark Watney pareceu mais fácil do que realmente foi. Talvez algumas adversidades importantes deveriam ter sido incluídas, e no geral é um bom filme, e que certamente desperta curiosidade naquelas pessoas que não gostam tanto de exploração espacial. Minha nota no Filmow foi de 3,5 estrelas. Vocês já assistiram Perdido em Marte?

Assista ao trailer de Perdido em Marte

Vídeo de opinião publicado no canal do Estante da Nine


Beijos!

Fotos: IMDb/ Divulgação