Sombras vivas de Cornelia Funke

11 de outubro de 2014



Sombras vivas
#2 Reckless
Autora: Cornelia Funke
Editora: Seguinte
Edição: 2013
Páginas: 304
Compre no Submarino

Leia também
Mais uma vez no Mundo do Espelho, Jacob Reckless precisa se libertar de uma maldição que em poucos meses lhe custará a vida. Depois de tentar diferentes formas de magia, sua última opção é uma lendária balestra, capaz de dizimar exércitos, mas também de salvar aqueles que realmente precisam. Para encontrar esse objeto extraordinário, ele terá de viajar por Álbion, Lorena e Austrásia, enfrentar criaturas terríveis e competir com Nerron, um ser perigosíssimo que está decidido a derrotá-lo a qualquer custo e a ser o primeiro a encontrar a balestra, para então ser tornar o caçador de tesouros mais talentoso de todos. Jacob não tem tempo a perder. E se não fosse a presença de Fux, sua companheira de aventuras capaz de assumir tanto a forma humana quanto a figura de uma raposa, ele talvez não tivesse forças para encarar tantos obstáculos. Só assim, no limite entre a vida e a morte, ele conseguirá perceber que existem tesouros ainda mais preciosos que sua própria vida.
 
Oi galera, tudo certo com vocês? Por aqui tudo bem e a animação de postar no blog está voltando, ufa. Hoje vou contar o que achei de Sombras vivas, volume dois da série Reckless (ou Mirrorworld, no original) de Cornelia Funke. Não se preocupe, vou escrever fugindo ao máximo dos spoilers, mas caso aconteça lá pelo meio do texto deixo um sinal para quem quiser pular para o parágrafo seguinte.

No final do primeiro livro, A maldição da pedra, o protagonista Jacob precisa tomar uma decisão muito importante. Ela é/ será responsável não só pelo futuro e segurança das pessoas que ama, como de sua própria vida. O preço a pagar é alto e é nesta aventura em busca de respostas e soluções que acompanhamos Jacob em Sombras vivas


Se o volume um foi aquele livro introdutório, neste segundo temos de fato uma jornada. Conhecemos mais o Mundo do Espelho, estamos familiarizados aos seus habitantes e sua relação com os humanos e temos pistas de que Jacob não é o único personagem que transita entre os mundos. Ou seja, Cornelia Funke não repete o que já apresentou em A maldição da pedra, apesar de contextualizar nos primeiros capítulos as principais informações. Pessoalmente gosto muito disso, porque estamos falando de uma série e é essencial que se leia na ordem (neste caso, pelo menos).

Outro aspecto que gostei demais foi a viagem. Neste segundo volume não só temos noção do que Jacob representa no Mundo do Espelho (algumas revelações são muito interessantes), como também conhecemos novos personagens e novos lugares. Cornelia Funke cria seu mundo de forma complexa, com reis diferentes governando cada território e todos em busca de mais poder. Não apenas de forma fantástica, mas também como uma analogia ao que vivemos hoje, no nosso mundo mesmo. 


Se você gosta de autoras que sejam duronas com seus personagens, anote o nome de Cornelia Funke em sua lista. Embora eu não possa contar exatamente o que acontece com Jacob para não estragar a surpresa, saibam que o personagem trava uma luta contra o tempo e contra muitos inimigos. Ele sofre bastante ao longo de Sombras vivas. Apesar das muitas razões para desistir, Jacob segue em frente. O que, de certa forma, é um recado para todos nós: alguns dias são péssimos, outros são terríveis, mas sempre há alguém (ou algo) por quem lutar. Sempre.

Talvez o ponto mais legal do livro seja o fato de ele não ser previsível. Em nenhum momento temos certeza de que Jacob terá sucesso em sua jornada (nem no final) e os vários contratempos também proporcionam reviravoltas interessantes. Tudo isso aliado a uma narrativa em terceira pessoa que, além de ser fluída e gostosa de ler, sabe os momentos certos de descrever cenas, de focar no lado “humano” ou acelerar as coisas para criar tensão.


Já deu para perceber que adorei a leitura, né?! Mas tem sim um ponto que, embora não seja negativo, me deixou aflita para os futuros livros: eu queria/ quero o romance. É só isso que posso contar. Caso explique com mais detalhes, posso dar spoiler tanto de A maldição da pedra como de Sombras vivas. Mas pelo final do segundo livro, imagino que coisas boas (e ainda mais perigosas) virão.

E por falar em final, Cornelia Funke despedaçou meu coração de leitora. Eu quero AGORA o livro três. Não só pelo que representa em relação aos dois primeiros volumes, como também pelas infinitas possibilidades de enredo (e aventura) que proporciona para a sequência. Sabe quando você termina um livro e fica procurando páginas extras, escondidas com algum segredo ou feitiço no final do livro?! Pois é, mais ou menos assim!


Por fim, deixo novamente meu elogio para a Seguinte. A capa, além de linda, representa demais a história (mas só quem ler vai entender), o que na minha opinião é um ponto a mais para o conjunto. Além disso, as ilustrações e a diagramação são harmônicas, a revisão ótima e as páginas, amarelas (pólen soft), nossa preferida. Pelo que pesquisei no Goodreads o terceiro livro será lançado ano que vem. Em inglês o título é Heartless. Estou aqui roendo as unhas.

Contem-me se já leram algum livro de Cornelia Funke ou se pretendem ler. E claro, deixe sua opinião sobre Sombras vivas e a resenha! Obrigada pela visita desde já.

Beijos!
Fotos: Nine Stecanella
*Livro recebido da editora Companhia das Letras
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine