O diploma

21 de junho de 2009


Como estudante de jornalismo não posso deixar de comentar sobre o fato. Vamos ser diretos.

O diploma faz diferença?
E muita. Na faculdade não temos só prática. Temos teorias. E são elas que formam a base de qualquer conhecimento. É bem verdade que muitos não aproveitam da forma que deveriam, mas assim mesmo nos dão noção de como as coisas evoluíram (ou não) ao longo do tempo.

As empresas vão contratar menos?
Depende. As sérias (ou mais profissionais) vão continuar com o critério de seleção. Contudo é bem verdade que jornais, revistas e todo o tipo de veiculo vão pipocar aos montes por nossas cidades, independente de onde for.

O problema?
Nossos queridos votantes confundiram liberdade de expressão com jornalismo. Tá claro que em muito quesitos nosso país e políticos não são sérios, esse é mais um deles. Não podemos deixar que pessoas sem qualquer noção do que a comunicação pode afetar na vida das pessoas, escrevam e apareçam nos veículos, que influenciam muito nossa sociedade.

E os estudantes?
A nós, estudantes, cabe provar que nossos anos de estudo não são em vão. Que é preciso ter diversos conhecimentos para fazer da comunicação cada vez mais qualificada. Que os interesses políticos e comerciais não podem se sobre-sair sempre.

O futuro?
Os movimentos em repudia ao veto do diploma já começaram. O processo é lento mas deve começar já. Com a ajuda do poder público, podemos trazer a situação de volta aos debates. Não queremos com isso banir todos os profissionais não diplomados. Queremos qualificar todos os setores, e o jornalismo é um deles.

Ao contrário do que se disse, não é somente na saúde, por exemplo, a necessidade de comprovação acadêmica.

7 comentários

  1. Concordo plenamente com a tua forma de pensar!
    Como tu falou, a base do conhecimento academico é muito importante para o profissional, teoria não é apenas um monte de lixo jogado em cima dos estudantes, como muitos pensam. Se ela existe, tem um motivo para existir. Faz proveito dela aqueles que pensam em mudar o cenário desse pais. Com alguns erros no passado é possivel entender e escrever uma nova história dentro do jornalismo.
    Chega de sensacionalismo, chega de matérias inventadas e/ou manipuladas pelos meios!
    Penso que empresas sérias continuarão contratando diplomados.
    O resto... quem sabe né...

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nine!
    Muito bom seu post de hoje. Você está certíssima. E o seu pensamento pode ser expandido para a minha área de atuação. Tem muita gente por aí dando aula de Matemática sem ter feito um curso de Licenciatura, ou seja, não tiveram a preparação que eu tive para lidar com o cotidiano escolar. Claro que engenheiros e outros profissionais sabem muita Matemática, mas é uma abordagem diferente. Deveria sim ser exigido o diploma de licenciado para a atuação em sala de aula.
    Um beijo, moça.
    =**

    ResponderExcluir
  3. Ótimo post, Nine.
    O que mais revoltou nessa vergonhosa decisão foi sem dúvida o argumento utilizado.
    "Um jornalista não precisa de formação para fazer bom jornalismo", disse o querido ministro. E falou também que defende isso para outras profissões, o que provavelmente será feito, já que essa recente decisão cria jurisprudência e facilita novas "desregularizações".
    Enquanto a maioria anda pra sempre, exigindo cada vez mais qualificação dos seus profissionais, aí está o nosso Supremo Tribunal Brasileiro...
    Uma coisa é certa, ao contrário do que se pensa, os jornalistas não foram os únicos prejudicados da história.
    Beijos honey :*

    ResponderExcluir
  4. até agora não tenho opinião formada... por um lado se médico, advogado, e outras profissões só podem ser exercidas por quem possua diploma, por outro lado a experiência vale mto mais que qualquer cadeira da faculdade. por experiência, ouvir, ler e assistir futebol sempre foram de muito maior valia. com diploma já existem "vejas" da vida, ou seja, ter um diploma não signifca imparcialidade. uma coisa que se confunde muito nessa história toda, não existe liberdade de Imprensa, existe sim liberdade de Empresa...

    ResponderExcluir
  5. vou te colar o comentário que fiz no blog do David.
    Como tu bens sabes, não se ensina jornalismo apenas dentro de uma sala de aula. Da mesma forma, não se molda um bom repórter somente dentro da redação. Jornalismo é um curso diferente

    Quando entrei na faculdade, achava que escrevia tri bem. Hoje quando faço um texto que considero bom, fico feliz.
    Essa é a diferença entre um formado e um não-formado...

    beijo

    ResponderExcluir
  6. Nine!
    Na verdade estou concluindo o curso agora neste semestre. Fase final já! :-)
    E por enquanto só trabalho com pré-vestibular e aula particular. Tô na espera pela abertura de concursos, como o de Caxias, que até agora nada, só boatos mesmo.
    Menina! Carioca também, que legal ;-) Onde mora?

    BeijO**

    ResponderExcluir
  7. Assunto polêmico, que deveria ser pensado com mais cuidado e seriedade. Não entendo muito de jornalismo, mas sou contra a queda do diploma. QUALIFICAÇÃO É NECESSÁRIA! Como você disse, o jornalista, na faculdade tem toda uma base que o prepara para saber como redigir, como editar, como fazer algo verdadeiro de modo específico para o seu público alvo, e o mais importante, na faculdade o jornalista aprende a lidar com a ética, a verdade e o compromisso com a notícia verdadeira.

    ResponderExcluir

Olá! Deixe sua opinião. ;)