A garota da Terra do Vento de Licia Troisi

3 de dezembro de 2015



A garota da Terra do Vento
#1 Crônicas do Mundo Emerso
Autora: Licia Troisi
Editora: Rocco
Edição: 2006
Páginas: 320
Skoob | Goodreads
Criada por um armeiro e envolta pelo mistério de nunca ter conhecido sua mãe, Nihal vive na Terra do Vento e passa seus dias brincando de fazer guerra com um grupo de amigos. A vida da jovem muda quando a torre onde vive é invadida e ela presencia a morte de Livon, o homem que a criou e que tanto amou. Disposta a vingar o extermínio de seu povo e a proteger os inocentes das tropas do tirano, Nihal decide tornar-se uma guerreira de verdade. Ela sabia que a invasão da Terra do Vento era mera questão de tempo, pois a guerra do Tirano já havia conquistado cinco das oito Terras Livres do Mundo Emerso. Para isso, a jovem se prepara estudando magia e treinando com afinco na Academia da Ordem dos Cavaleiros de Dragão da Terra do Sol. Nihal conta com sua infalível espada de cristal negro, forjada por Livon, o melhor armeiro da região, e com o inestimável apoio do seu fiel amigo Senar, o mais jovem integrante do Conselho dos Magos. Em sua busca, ela encontra ainda o amor pelo cavaleiro Fen e os ensinamentos do mestre Ido. A jovem Nihal enfrenta o preconceito dos homens e a dificuldade de lidar com sua feminilidade. A semi-elfo esforça-se ainda para encontrar uma razão para lutar que não seja somente a vingança. Ela chega a abandonar a guerra a fim de conhecer a vida em paz num povoado livre. Conhece a felicidade de viver sem rancor no coração, mas volta aos campos de batalha. Seu destino já estava escrito havia muito tempo.

Oi gente, tudo bem? A quinta começa por aqui com resenha nova, iupy! Hoje vou com compartilhar a minha opinião sobre A garota da Terra do Vento, primeiro livro da trilogia Crônicas do Mundo Emerso da autora italiana Licia Troisi. Esta leitura está inclusa na minha meta literária de 12 livros para 2015 e tive sentimentos distintos em relação a ela. Vamos lá.

O leitor conhece a protagonista Nihal ainda criança nos primeiros capítulos da história. Filha de Livon, um ferreiro muito famoso em Salazar, na terra do vento, a garota sonha desde pequena em tornar-se uma guerreira e é líder do seu grupo (e é a única menina) nas brincadeiras pelas torres da cidade. Sem muitas informações sobre sua família, Nihal espanta-se ao saber que tem uma tia que domina a magia e, um tempo depois, se muda para a floresta para virar sua aprendiz. Como pano de fundo existe uma guerra, já bem próxima de Salazar, e comandada por um tirano. Numa visão geral, estes são os elementos de partida do enredo. 

Fotos: Nine Stecanella




Nihal é uma protagonista forte e valente e já neste primeiro livro enfrenta dramas sérios de vida. Apesar de jovem e destemida, paga um preço alto por sua personalidade explosiva e aprende lições valiosas em A garota da Terra do Vento. Gostei muito de Nihal porque a característica que mais se destaca neste primeiro volume sem dúvida é sua humanidade. Outros personagens crescem ao longo do enredo e complementam o núcleo principal.

Outro aspecto positivo da história de Licia Troisi é o cenário. O Mundo Emerso é rico em diversidade e cada região tem características muito diferentes das outras. A jornada da heroína neste caso é uma jornada ao pé da letra porque Nihal viaja por muitos lugares diferentes neste primeiro livro. Outro aspecto interessante são as várias passagens de tempo que deixam a história dinâmica, mas em alguns casos prejudicam pela falta de informações relevantes.



O discurso feminista da autora é presente do início ao fim do livro. No começo da história achei interessante especialmente porque A garota da Terra do Vento é voltado ao público jovem que precisa aprender e discutir mais sobre temas como esse (e todos nós, na verdade), mas com o passar das páginas senti que algumas situações foram forçadas e outras tantas contraditórias. Claro que no geral a mensagem do livro é positiva e reforça o pode da mulher e do que ela é e pode ser capaz.

O que realmente me incomodou na história foi a tentativa do romance. Licia Troisi insiste em conduzir uma Nihal deslumbrada por um guerreiro que não conhece tão bem e é importantíssimo para outro personagem por quase todo o livro. E o pior é que a “história de amor” vira um tema de primeiro plano, enquanto coisas realmente importantes estão acontecendo e passam despercebidas ou são citadas brevemente. O amor que Nihal pensa sentir não me convenceu de jeito nenhum e prejudicou a história.



Ao final de A garota da Terra do Vento muitos elementos do enredo principal tiveram conclusão e o gancho para o livro dois, A missão de Senar, indicam uma Nihal mais experiente e madura. Acredito que o livro também terá um toque mais adulto. A história de Licia Troisi é narrada em terceira pessoa o que foi fundamental na minha experiência de leitura para não antipatizar com Nihal, já que o romance realmente não me agradou e certamente se fosse contado em primeira pessoa teria um foco ainda maior.

Minha nota para A garota da Terra do Vento foi de três estrelas no Skoob. Eu adorei o Mundo Emerso, a personalidade de Nihal e os contratempos criados por Licia Troisi, mas certo foco na tentativa de romance me incomodou de verdade. Minha edição da trilogia é versão econômica e comprei no Submarino num longínquo ano de 2010 (finalmente li, né?). E vocês, conhecem as Crônicas do Mundo Emerso? Ficaram interessados? Espero a participação de todos nos comentários.

Beijos!
*Ajude o blog comprando pelo banner do Submarino; as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine