A cabeça de um homem de Georges Simenon

4 de novembro de 2015




A cabeça de um homem
(#5 Comissário Maigret)
Autor: Georges Simenon
Editora: Companhia das Letras
Edição: 2014
Páginas: 160
Compre no Submarino

LEIA MAIS
Pietr, o letão
Maigret tenta provar a inocência de um homem condenado à morte por um assassinato brutal. Enquanto se desenrola seu plano, ele encontra expatriados americanos com segredos que poderão trazer toda a verdade à tona.

Olá pessoal, tudo bem? O livro de hoje é A cabeça de um homem de Georges Simenon. Essa foi a minha segunda experiência com o autor e também com seu personagem icônico comissário Maigret. Em Pietr, o letão, minha impressão foi ótima, mas certamente essa série entrou para a lista de desejados com A cabeça de um homem.

Neste caso, um homem é preso acusado do assassinato de duas senhoras. Sua pena é a morte. As provas, colhidas pelo próprio Maigret, incriminam o condenado, mas o comissário não está certo de que ele seja o responsável pelas mortes e resolve quebrar algumas regras para desvendar esse intrigante mistério. E é a partir daí que se desenvolve o enredo do livro.

Fotos: Nine Stecanella



Pietr, o letão é o primeiro livro da saga de Maigret, enquanto A cabeça de um homem é o quinto. Apesar disso, as coleções policiais, em sua maioria, podem ser lidas fora de ordem, como esta. Cada livro é um caso e a vantagem da cronologia é a maior familiaridade com o cenário e os personagens recorrentes na trama.

Gosto de Georges Simenon porque as histórias são objetivas e completas. Apesar do livro curto e do enrendo dinâmico, a sensação que tive nas duas experiências é que tudo acontece como deveria acontecer. E no tempo certo. Outro bônus é que os livros foram publicados no início do século XX e apresentam características históricas e sociais bem interessantes.

A combinação do mistério com a perspicácia de Maigret é a fórmula perfeita para prender o leitor. Além das técnicas de investigação do comissário (em uma época sem celular ou internet, veja bem), alguns personagens surgem na trama para confundir o investigador (e o leitor). Por momentos as provas tornam-se tão irrefutáveis e até duvidamos da sanidade de Maigret. Mas ele vê nas entrelinhas...



Outro ponto positivo é que Maigret tem características marcantes, mas que não lembram outros investigadores famosos da literatura (tenho quase certeza que também escrevi isso na resenha de Pietr, o letão). Apesar da trama simples, o grande mérito da história é mostrar ao leitor que nem tudo que parece, é. Ou, em outros casos, até é mesmo, hehehe.

Para quem gosta de livros de investigação e mistério, assim como de séries com personagens cativantes, vale muito a pena procurar pelos livros de Georges Simenon. E sei que muitos de vocês já são leitores do autor há tempos, então quero saber qual outra história recomendam. Eu gostei dos dois livros.

Minha cotação para A cabeça de um homem foi de três estrelas no Skoob. Maigret é um personagem incrível e merece ser conhecido por muitos leitores. Além do cenário parisiense do início do século passado ser fascinante e um tantinho sombrio e decadente. Também gosto de como os casos eram investigados no passado, o que traça um paralelo interessante com os livros do gênero contemporâneos.




A minha edição de A cabeça de um homem é de bolso, lançada pela Companhia das Letras. Eu gosto muito das capas da coleção, que seguem o padrão de uma edição americana, assim como da diagramação. Apesar do formato, a fonte tem bom tamanho e fica bem posicionada na página. A impressão é em polén soft, o papel preferido de todos nós, hehehe. Não anotei erros de revisão.

Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado do post de hoje e que eu tenha despertado em vocês a curiosidade em conhecer o comissário Maigret e as histórias de suspense, mistério e investigação de Georges Simenon.

Beijos!

*Livro recebido da editora Companhia das Letras
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine