As Crônicas de Nárnia: A viagem do Peregrino da Alvorada de C.S. Lewis

9 de maio de 2015




As Crônicas de Nárnia
A viagem do Peregrino da Alvorada
Autor: C.S. Lewis
Editora: WMF Martins Fontes
Edição: 2009/ 2ª edição
Páginas: 117
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino

Leia mais em As Crônicas de Nárnia

Lúcia e Edmundo, com seu odioso primo Eustáquio a tiracolo, embarcam numa incrível viagem de aventuras e descobertas, a bordo do imponente navio Peregrino da Alvorada. Rumo às Ilhas Solitárias, em busca dos sete amigos desaparecidos do pai do rei Cáspian, eles encontram um dragão, uma serpente do mar, um bando de criaturas invisíveis, um mágico e o próprio Aslam, o Grande Leão, que os presenteia com uma promessa muito especial.

Há dois anos, inspirada pela Pam do então blog Garota it, comecei o projeto de leitura do volume único de As Crônicas de Nárnia. Na época pensei que seria fácil, afinal é uma série voltada ao público infantil e com livros curtos. Não foi bem assim. Se você conheceu o Estante da Nine recentemente é certo que não saiba da minha novela com a saga de C.S. Lewis. O fato é que, depois de ter lido as quatro primeiras histórias, eu abandonei o livro. Não, você não leu errado. Eu abandonei mesmo As Crônicas de Nárnia.


Porém… Uma das metas de 2015 é concluir parte das séries de livros que estão em andamento (para começar outras no próximo ano sem deixar todas pela metade), e resolvi tentar mais uma vez a leitura As Crônicas de Nárnia. Felizmente a retomada foi, em parte, muito positiva. A ideia era a de ler dois capítulos por dia e terminar a crônica em uma semana, mas me empolguei e conclui A viagem do Peregrino da Alvorada ontem, sexta-feira, e é sobre esta história que escrevo hoje.

A história começa um ano (no tempo da nossa terra) após a aventura de Príncipe Caspian. Neste livro, Pedro vai estudar com professor Kirke durante as férias, Susana acompanha os pais em uma viagem aos Estados Unidos, e Edmundo e Lúcia vão passar uma temporada na casa dos tios Arnaldo e Alberta, junto com o primo Eustáquio. A aventura começa depois que a cena de um quadro muito curioso se torna realidade e “suga” as três crianças para um mar agitado. Caspian está em uma aventura com o Peregrino da Alvorada.

Fotos Nine Stecanella

O que mais gostei desta crônica foi a jornada, sem dúvida. Já comentei aqui no Estante da Nine, diversas vezes, que adoro histórias que se passam no mar e, como o próprio nome sugere, é isso que acompanhamos em A viagem do Peregrino da Alvorada. Além da aventura, Caspian quer descobrir o paradeiro de sete nobres que foram exilados de Nárnia por seu tio antes de assumir a coroa. E é claro que a tripulação se mete em muitas enrascadas.

Assim como nos livros anteriores, não simpatizei de verdade com nenhum personagem. Eustáquio irrita logo nos primeiros capítulos, mas aprende sua lição ao final da história. Lúcia e Edmundo me pareceram mais simpáticos e valentes em A viagem do Peregrino da Alvorada, mas nada que tenha mudado radicalmente minha relação com eles, hehehe. E Caspian, que esperei ser uma figura mais imponente, é um rei justo, mas não se destaca. Tá, vou confessar, meu personagem favorito da crônica é Ripchip.


A aventura, por outro lado, foi muito interessante. A cada novo desafio C.S. Lewis põe a prova um de seus personagens principais e é através dessas adversidades que cada um deles aprende a lição pertinente ao momento. Além disso, o autor deixa algumas “sugestões” nas entrelinhas, que cada leitor pode interpretar de uma maneira (de acordo com suas crenças e experiências). Desta vez, diferente da primeira tentativa em 2013, a narrativa fluiu com muita facilidade.

Confesso que estava com certa expectativa para o final, especialmente porque vi a cena no filme o que de certa forma foi um spoiler, mas achei os dois últimos capítulos corridos e, portanto, ficaram a desejar (na minha experiência de leitura, que fique claro). Assim como nas crônicas anteriores, C.S. Lewis aborda, não sei bem como expressar, a religiosidade e espiritualidade, mas de uma forma sutil e discreta. Esse foi um ponto que me incomodou nas histórias anteriores, mas não nessa.


A viagem do Peregrino da Alvorada levou três estrelas no Skoob porque, apesar de a leitura ter sido bem mais tranquila nesta retomada do projeto, ainda não senti “aquele” amor por nenhuma das crônicas ou personagem. Eu adoro o volume único, que volta e meia está em super oferta no Submarino, especialmente porque está inteiro depois de algumas adversidades que passou na estante, hehehe. A revisão é ótima e a única coisa que me incomoda um pouquinho é a espessura da folha, que dependendo da posição faz muita sombra. Mas é um livro de 752 páginas, imagino que um papel de gramatura maior faria o livro pesar cinco quilos, então não chega a ser problema.

Ufa! Escrevi mais do que imaginava. E agora eu quero saber de vocês: quem já leu As Crônicas de Nárnia? Gostou? Quem ainda não leu tem intenção de conhecer a obra de C.S. Lewis? Eu confesso que minha relação com os clássicos infantis, até agora, não tem sido altamente positiva, mas isso é papo para um outro post ou quem sabe vídeo! Participem nos comentários.

Beijos!


*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine