Caninos Brancos de Jack London

23 de setembro de 2014




Caninos Brancos
Autor: Jack London
Editora: Penguin Companhia
Edição: 2014
Páginas: 296
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Parte lobo, parte cão, Caninos Brancos é vendido por seu dono índio ao perverso Beleza Smith. Sofrendo mil tormentos, o animal aprende que para sobreviver é preciso adaptar-se sempre e sempre. Nesta aventura clássica, Jack London mais uma vez traça um empolgante paralelo entre bicho e homem, natureza e civilização.

Oi gente, tudo bem? Depois de dois posts longos sobre Legend e Desafio, acredito que o de hoje será breve (ou talvez nem tanto). Primeiro porque escrever sobre um livro de Jack London requer muita responsabilidade. Ele é um ícone de sua geração e gênero literário. Segundo porque tudo aqui pode parecer estranho e contraditório até o final do texto... Então vamos começar.

Caninos Brancos conta a história de... Caninos Brancos, um lobo filho da mistura de uma cadela com um lobo. As características do pai acabam prevalecendo, mas, apesar disso, Caninos Brancos tem algumas inclinações a parte domesticada da mãe. Quando solicitei o livro para a Companhia das Letras fiz justamente para conhecer o trabalho de Jack London e para saber se a perspectiva de um animal me atrairia tanto quanto um personagem humano.

Devo dizer que gostei demais de Caninos Brancos. Mas a leitura não foi fácil. O livro é dividido em períodos e a parte inicial foi cansativa e pouca atraente para mim. Até pensei em desistir, mas vi muitos comentários positivos sobre a obra de Jack London. Quando de fato a história chega ao nascimento do lobo protagonista, aí sim as coisas acontecerem entre o livro e eu.

Sem dúvida o grande mérito desta história, além de Caninos Brancos, é a narrativa de Jack London. O texto é realista e a atmosfera é tão envolvente que você acompanha tudo como se estivesse a dois passos dos acontecimentos. Sabe quando você assiste a um documentário no Animal Planet ou Discovery? Então, é assim.

Outro ponto interessante é que, apesar de a história ser sobre um lobo, os humanos são extremamente importantes para o desenvolvimento do enredo. Uma vida está atrelada a outra e não vemos apenas a adaptação de Caninos Brancos ao longo das situações mais adversas, vemos também dos homens que o comandam.









Caninos Brancos é um personagem apaixonante. Devo dizer que muito mais que vários protagonistas humanos de livros dos mais variados gêneros. Meus momentos favoritos foram aqueles em que, de certa forma, Jack London se pôs dentro dos pensamentos do lobo. E sim, a forma como ele expressa as memórias de Caninos Brancos é muito realista (se isso faz algum sentido).

Outro aspecto muito legal é que não temos apenas um lobo em sua natureza selvagem. Ao longo da vida, Caninos Brancos precisa se adaptar as mais variadas situações. Desde donos exploradores e abusivos, até o amável e protetor; da falta de comida e isolamento nas florestas congeladas, a abundância de acabar com a vida de outros animais para sobreviver. E nós aprendemos junto com o protagonista que para viver é preciso se adaptar. Sempre. E não importa o quanto a situação é ruim.

A vida de Caninos Brancos é praticamente uma jornada do herói e o final me surpreendeu demais. Não vou contar, claro, para não estragar a surpresa de quem não leu, mas foi muito satisfatório, apesar de bem diferente. Principalmente para o protagonista. E se ao longo do livro temos muitos humanos desprezíveis, Jack London também soube equilibrar com aqueles que são bondosos, apesar de serem minoria.

Sobre a edição da Penguin Companhia, devo confessar, são minhas versões de bolso favoritas. Apesar de a capa não ter orelha, o que favorece os amassados, o livro tem boa fonte e entrelinha, raro na maioria dos títulos neste formato, além de páginas amarelas (Polén Soft). A editora também tem ótimas recomendações quanto a tradução.

Apesar de ter adorado conhecer o trabalho de Jack London e a história de Caninos Brancos, não pretendo ler, em um futuro próximo, outros livros com protagonistas animais. Pode parecer estranho, mas a dificuldade no começo do livro em avançar na leitura deu a dica que de precisarei de um pouco mais de paciência com esse tipo de história. By the way, Caninos Brancos é mais do que recomendado.

E você, já leu algo de Jack London?

Beijos!
Foto: Nine Stecanella
*Livro recebido da editora Companhia das Letras
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine