Meus cinco filmes infantis favoritos

26 de fevereiro de 2013

Oi pessoal, tudo bem? É a primeira vez que faço um post neste formato (que eu lembre) e toda a ideia surgiu quando comecei assistir o vídeo da Vi, do blog A Vi viu, sobre Os Goonies. Eu tenho um hábito (que também pode ser uma mania) de assistir filmes que eu gosto milhares de vezes. E a lista de hoje é justamente para falar (ou melhor, escrever) sobre os meus cinco filmes infantis favoritos. Alguns são antigos e pode ser que alguns de vocês nunca tenham assistido (é gente, o tempo está passando por aqui). Encare os filmes do post como dica também. Vamos começar?!



Se eu fizesse uma lista dos filmes que mais assisti na vida, este certamente estaria entre os primeiros colocados. Os Batutinhas (The Little Rascals, no título original) é uma produção de 1994 dirigida por Penelope Spheeris e que conta a história de um grupo de crianças divididos entre meninos e meninas. Tudo muda na amizade dos garotos quando Alfalfa se apaixona por Darla. É claro que o filme é super comédia, mas as analogias são explícitas. As dúvidas, incertezas e implicâncias entre os sexos são discutidos de uma forma mais leve e divertida, mas se aplicam a todas as idades.



Depois do vídeo da Vi, Os Goonies não poderia(m) faltar. O filme é de 1985 e dirigido por Richard Donner. Por incrível que pareça, eu não lembro de ter assistido quando criança. Vi há alguns anos e adorei. Tenham em mente que esse é um filme dos anos 1980 e para quem está acostumado com super efeitos especiais, pode parecer estranho. A aventura desse grupo de jovens tem uma motivação bem profunda. E embora o filme seja descontraído existem várias discussões sociais nele. E a dinâmica dos personagens é ótima.



Imagine um baú muito antigo. Crianças. A curiosidade de descobrir algo secreto escondido ali. Pronto? Agora pense no seu jogo preferido de tabuleiro! E imagine que tudo o que você joga se transforma em algo real. Jumanji é um filme de 1995 dirigido por Joe Johnston e para que gosta de aventura, vale assistir. Já escrevi por aqui que adoro história que desbravam novos lugares. No caso deste filme, personagens, animais e outras situações engraçadas e bizarras acontecem no "nosso mundo". Tem um toque de viagem no tempo e o que vale mesmo é acompanhar o desenrolar do jogo. Vejam!



Claro que escolhi O leão, a feiticeira e o guarda-roupa para simbolizar um filme mais recente. A produção é de 2005 e quem assina a direção é Andrew Adamson. Assisti no início deste mês, depois de ler a crônica, e foi um dos poucos casos em que gostei mais da adaptação cinematográfica do que o texto original. Nárnia ficou incrivelmente bem representada visualmente e Aslam parece real. Além disso, gostei mais dos protagonista no filme, já que no livro fiquei incomodada com as nuances de personalidade. Mas como esse filme terá um poste só dele, escrevo mais semana que vem. Uma pena, a série ainda não fez o sucesso de audiência que todos esperavam e eu fico torcendo para que os filmes previstos para os próximos anos, saiam.



Sim, tem Harry Potter na minha lista. A série de filmes começou em 2001 com a Pedra Filosofal dirigido por Chris Columbus. E eu lembro como se fosse hoje qual foi a cena que me conquistou: a da cobra. Sim, Harry falando com ela e o primo magicamente trancado no vidro. Eu adoro o trem, Rony e Hermione. A chegada na escola. Mas essa cena dá uma pista de que o protagonista é muito mais especial que um simples bruxo. E todos os filmes que passam na tv e eu encontro, assisto. Eu ainda não terminei de ler, mas até o O Cálice de Fogo, praticamente decorei algumas falas.

É isso. Espero que tenham gostado e comentem!
Beijos!