A jornada de Erin E. Moulton

29 de dezembro de 2011






A jornada
A história de quatro irmãs e uma viagem inacreditável
Autora: Erin E. Moulton
Editora: Novo Conceito
Edição: 2011
Páginas: 200
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Grandes coisas estão prestes a acontecer na casa dos Maple. A mãe vai ter um bebê,o que significa que agora haverá quatro irmãs Rittle em vez de apenas três. Mas quando a bebê Lily nasce prematura e não pode vir do hospital para casa, Maplesabe vai até ela para salvar sua irmã. Então, ela e Dawn, armada com um mapa e alguns restos do jantar, descem rio abaixo e atravessam uma montanha para encontrar a mulher sábia que pode conceder milagres. Agora é não apenas a sobrevivência de Lily que eles têm que se preocupar, mas também a sua própria. Os perigos que Maple e Dawn encontram em sua jornada as fazem perceber uma ou duas coisas sobre milagres - e sobre elas mesmas.

Alguns livros infantis funcionam bem para o leitor de qualquer idade. Não posso dizer o mesmo de A jornada. Li sem grandes expectativas, mas na época de seu lançamento as resenhas publicadas pelos blogs que visitei eram bem divididas - entre bom e ruim. Embora haja pontos positivos, foi uma leitura que me deixou com muitas interrogações quanto ao enredo.

É preciso destacar, em primeiro lugar, o trabalho gráfico da editora Novo Conceito para o livro. Um dos mais bonitos lançados em 2011 e muito atraente ao público que se destina: o infantil. Também é válido ressaltar o bom texto de Erin E. Moulton. Uma leitura fácil, rápida e bem escrita. O que não funcionou comigo foi o enredo mesmo!

O primeiro ponto que não fez sentido foi subtítulo do livro: a viagem é feita pelas duas irmãs mais velhas e protagonistas do livro: Maple e Dawn. A terceira irmã fica aos cuidados da vó. Enquanto a quarta é recém nascida. É lógico que entendi o sentido que a autora quis dar ao livro - o amor incondicional entre irmãs. Mesmo assim, ele dá a impressão que são as quatro nesta jornada, quando na verdade, são apenas duas.

Foto: Divulgação

As duas crianças são totalmente maduras para viver uma situação limite dentro de uma floresta. Mas, ao mesmo tempo, acreditam incondicionalmente em uma lenda local e na sua água milagrosa. Isso me pareceu um pouco incoerente, até para uma história infantil. E a borboleta, capa e símbolo do livro, aparece em poucos momentos, mesmo que significativos, mas em nenhum trecho é explicado por que motivo ela tem essa representação. Poderia ser qualquer outro inseto, animal ou coisa do tipo.

Gostei muito das protagonistas e da jornada em si (na floresta). Não gostei foi da motivação, da lenda. Imagino Maple e Dawn em um livro de ação e suspense infanto-juvenil e não em um contesto como o de A jornada. O final é previsível, em parte, mas a mensagem é interessante. Como falei no início, não acredito que seja um livro para todos os leitores. Vejo como uma história realmente infantil. Quem sabe para um público de 10, no máximo, 12 anos.

Beijos!

*Livro recebido da editora Novo Conceito, parceira do Estante da Nine
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine