Vaclac & Lena de Haley Tanner

25 de novembro de 2014



Vaclav e Lena
Autora: Haley Tanner
Editora: Intrínseca
Edição: 2012
Páginas: 272
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Vaclav e Lena parecem destinados um ao outro. Eles se encontram pela primeira vez aos 6 anos, numa aula de inglês para imigrantes em Brighton Beach, no Brooklyn. Vaclav é precoce e falante. Lena, com dificuldade no idioma, refugia-se na segurança de sua adoração por ele. Ele imagina a história dos dois se desenrolando como em um conto de fadas. No entanto, uma das muitas verdades a serem descobertas nessa extraordinária obra de estreia de Haley Tanner é que "felizes para sempre" nunca é um desfecho garantido. Um dia, Lena não vai à escola. Desaparece da vida de Vaclav e da família dele como num cruel truque de mágica. Durante os sete anos seguintes, Vaclav deseja boa-noite a Lena todos os dias, perguntando-se se ela faz o mesmo onde quer que esteja. No dia do aniversário de 17 anos de Lena, ele finalmente descobre o que aconteceu. Haley Tanner tem a originalidade e a verve de uma contadora de histórias nata, e também a ousadia de imaginar um mundo em que o amor pode superar as circunstâncias mais difíceis.

Oi gente, tudo bem? Escolhi para comentar no post de hoje o livro Vaclav e Lena da autora Haley Tanner, lançado no Brasil em 2012 pela Intrínseca. Fiz a leitura em dupla com a Mari do Triplobooks e ela já postou um vídeo falando sobre ele. Minha ideia era gravar também, mas o tempo passou e para não deixar mais uma resenha super atrasada decidi escrever. A sinopse do Skoob resume bem o enredo, então, como em outras vezes, vou pular para os comentários e considerações gerais.

Eu não sabia praticamente nada sobre Vaclav e Lena quando comecei a leitura, o que foi muito bom porque a primeira metade do livro é excelente. Na história conhecemos as crianças de ascendência russa que estão nos Estados Unidos, mas têm razões diferentes para estar onde estão. A mãe de Vaclav, Rasia, sempre teve o sonho americano. Sobre o passado e presente de Lena não sabemos quase nada. Essas duas crianças encontram na amizade uma forma de viver em um mundo onde parecem sempre deslocadas.

Apesar de ser um livro sobre crianças e com protagonistas crianças, é aquele tipo de leitura para todas as idades. Na primeira parte do livro, enquanto conhecemos os personagens, percebemos peculiaridades de suas personalidades que farão sentido mais adiante. Ainda assim, algumas características são marcantes como a paixão de Vaclav por mágica e Houdini e o jeito esquivo e alerta de Lena. A Mari pontuou algo importante no vídeo: diferente de outros livros com crianças onde os pais ficam omissos, em Vaclav e Lena temos a presença constante de Rasia. Inclusive entendemos porque o desejo latente de sair da Rússia.


Mais ou menos pela metade da história temos uma ruptura no enredo. A autora já prepara o caminho para uma reviravolta escrevendo pequenas dicas em pílulas, mas até as páginas finais Haley Tanner mantém o mistério sobre o acontecimento em si (embora o leitor possa imaginar algumas possibilidades). Vaclav e Lena separam-se, perdem contato por anos e se reencontram já adolescentes. Confesso que não gostei do segundo trecho. Um dos motivos é que Rasia sempre alimentou um amor materno por Lena e tinha algumas desconfianças sobre a situação da menina, mas não agiu cedo. Vaclav adolescente e sua paixão por mágica não me convenceram. Eu esperava algum tipo de amadurecimento do personagem, mais fiquei com a impressão de que ele continuou uma criança, só que “maior”. Lena, por outro lado, mudou tanto que foi quase impossível assimilar que era a mesma personagem. No entanto, a explicação para a reviravolta na vida de Lena tem sentido, principalmente depois que conhecemos seu passado.

Nesse dilema de ter adorado a primeira parte e nem tanto a segunda, cotei Vaclav e Lena com três estrelas no Skoob. Apesar da dúvida, recomendo muito a leitura principalmente se você já tem o livro na estante. Eu não li tão rápido quando poderia porque estava com uma pequena ressaca literária, mas é leitura para um, dois dias (se você tiver tempo livre ou leia rápido, claro). Gostei especialmente de como Haley Tanner abordou a amizade entre duas crianças, que entendiam suas diferenças perante os estadunidenses, alimentavam sonhos de espetáculos de mágica e até um amor que se tornaria casamento quando fossem mais velhos. Gostei de Rasia ser parte importante e estar presente na vida do filho, além de ter sua própria independência dentro da história e do pai de Vaclav estar sempre por perto, apesar de não muito participativo. Também foi essencial dar um pano de fundo totalmente diferente a vida de Lena, porque a vida real é isso mesmo: cada um de nós têm a criação diferente do outro.

Espero que tenha contextualizado as principais ideias e minhas opiniões sobre Vaclav e Lena sem comprometer a leitura, já que é um livro curto. Haley Tanner escreve em terceira pessoa, mas recheia o livro com diálogos entre os personagens e, é claro, eles estão de acordo com a idade e o momento do livro. Então sim, o leitor consegue perceber que uma conversa entre os protagonistas tem aquele tom de inocência da infância. Espero que tenham gostado e escrevam nos comentários se já leram (e o que acharam) ou se querem ler (e o por quê). A edição da Intrínseca manteve a capa americana, que é fofa, páginas amarelas (Polén Soft), e boa diagramação.

Beijos!
Foto: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine