Os três filmes de maio: Os delírios de consumo de Becky Bloom, A Origem e O último Mestre do Ar

1 de junho de 2014

Oi gente, tudo bem? Faz tanto tempo que eu não escrevo sobre filmes que nem lembro quando foi a última vez. Justamente por isso, estava mais do que na hora de deixar a preguiça de lado e voltar a postar sobre um tema que gosto muito. Os três filmes são de gêneros totalmente diferentes e fico chocada por gostar de cada um a sua maneira. Nenhum dos assistidos em maio entrou para a lista dos favoritos, mas divertiram e o objetivo era esse mesmo: passar algum tempo assistindo TV. 



O primeiro filme que assisti em maio foi Os delírios de consumo de Becky Bloom (Confessions of a Shopaholic), de 2009 do diretor P.J. Hogan. Eu sempre evitei essa adaptação porque tinha aquele desejo insano (e mania) de querer ler o livro antes, mas era domingo, não tinha mais nada na TV e resolvi arriscar. Me diverti demais com o filme, apesar de algumas cenas pecarem pelo exagero. Eu sempre pensei que a história tivesse como foco só o consumo de Becky, mas é claro que tem um romance (lindamente) improvável e, o que mais gostei foi aquela incerteza profissional (que me identifiquei bastante). Eu não sei como é a Becky do livro, mas Isla Fischer realmente me fez acreditar naquela personagem um pouco azarada, um pouco atrapalhada e um pouco oportunista. Sem dúvida, fiquei ainda mais curiosa pelo livro (será que é melhor?).








Um salto brusco para outra dimensão e chegamos no segundo filme de maio: A Origem (Inception), 2010, de Christopher Nolan. Eu adorei a ideia, o visual, as atuações... tudo. Mas (claro que tem um porém), eu não gostei do final do filme, do que ele representa. E não é só com o esse filme. Geralmente não gosto de desfechos do tipo em livros e séries também. Mas depende muito do caso. Embora não tenha curtido em A Origem, entendi a simbologia e a mensagem que a produção quis passar. Desde O Aviador (The Aviator, 2004, de Martin Scorsese), sou fã de Leonardo DiCaprio.








O terceiro filme que assisti em maio foi O último mestre do Ar (The Last Airbender), de 2010 do diretor M. Night Shyamalan. Eu adorei o filme (me lembrou tanto de O Clã das Adagas Voadoras, 2004, de Zhang Yimou - e O Tigre e o dragão, 2001, de Ang Lee), e qual não foi minha decepção quando entrei no Filmow e li todo mundo xingando. O filme é a adaptação de um desenho (eu nunca assisti), e entendo a indignação do pessoal (afinal, as vezes fico assim com adaptações de livros), mas eu gostei tanto da história (jornada do herói), os cenários, as lutas... Enfim, curti demais e recomendo se você gosta de fantasia (também adoro a ideia de manipular os elementos).

Me diverti muito montando esse post. Preciso voltar a assistir e escrever sobre filmes. Eu adoro e deixei por tanto tempo de lado. E vocês, gostaram? Querem mais posts assim? Também me contem nos comentários os últimos filmes que assistiram e se gostaram!

Beijos!