Viagem ao centro da Terra de Júlio Verne

8 de dezembro de 2012






Viagem ao centro da Terra
Autor: Júlio Verne
Editora: LePM Pocket
Edição: 2011
Páginas: 240
Compre no Submarino
Numa pequena casa em um velho e tradicional bairro de Hamburgo, o jovem Axel, tímido e inseguro, trabalha com seu tio, o irascível professor Lidenbrock, geólogo, e sua discípula, a eficiente Graüben. Em um velho manuscrito, Lidenbrock encontra um criptograma feito por Arne Saknussemm, célebre cientista islandês do século XVI, com a bombástica revelação de que, pela chaminé da cratera do extinto vulcão Sneffels, na Islândia, era possível penetrar até o centro da Terra e que ele -Saknussemm - havia comprovado este fato. Lidenbrock se inflama e, excitadíssimo, parte rapidamente com Axel para a gelada Islândia onde, acompanhados pelo guia Hans, tão fleumático quanto seu patrão, se embrenham nas misteriosas profundezas do vulcão Sneffels.

Antes de qualquer coisa preciso explicar que meu julgamento ficou comprometido porque eu imaginava o ponto alto do livro algo totalmente diferente. Na minha mente, a publicação de Júlio Verne teria como tema toda uma civilização vivendo no centro do globo. Porém, o título é literal. A história é sobre a VIAGEM ao interior do planeta Terra.

Outro ponto que descartei foi o de escrever sobre o filme de 2008 assim que assisti ao trailer e conversei com algumas pessoas. O filme NÃO É baseado na obra de Júlio Verne. Ele é uma homenagem, com apenas alguns elementos servindo de inspiração. Se eu conseguir encontrar a versão de 1959 escrevo um post apenas sobre os filmes.

A sinopse dá uma boa ideia do que é o enredo do livro. Então vou escrever diretamente minhas impressões. Axel, o jovem narrador, ao mesmo tempo em que é um garoto valente e bem-humorado, sempre cede aos desejos insanos do tio. Isso começa na descoberta do manuscrito cifrado contando sobre o incrível interior na Terra e segue até o final da aventura. Ainda assim, como narrador, Axel busca compreender as características de cada um dos personagens principais sem parecer, a todo o momento, tendencioso.

Foto: Nine Stecanella























Professor Lidenbrock é a figura excêntrica. Geólogo conceituado em seu meio e em todos os círculos que participa parte rumo à aventura mais pelo desejo de realizar um feito extraordinário e ser reconhecido por tal, do que pela curiosidade profissional em desvendar os mistérios geológicos no centro do planeta. Protagoniza os momentos tensos da narrativa, causando certa irritação ao leitor. E, ao mesmo tempo, cenas cômicas.

Hans é o ajudante finlandês que parte para a aventura sem nenhuma emoção. O personagem equilibrado da trama. Não diz uma palavra em todo livro, porém, suas atitudes, trejeitos e olhares nos mostram como é sua personalidade. Está ali para salvar Axel e professor Lidenbrock de todas as enrascadas e cobra, rigorosamente, seu pagamento toda semana. Mesmo naquelas em que tudo indica, não voltará mais a ver a luz do sol.

Durante toda a narrativa Júlio Verne mantém cada personagem em seu lugar. Os cenários mudam, mas a estrutura, a dinâmica dos relacionamentos, não. Senti certa incoerência em alguns pontos, como a comida levada na jornada. Mas não posso afirmar se isso de fato aconteceu ou se meu grau de atenção não foi total, já que o livro não seguiu bem o caminho que eu esperava.

O texto do autor é ótimo. Bem escrito, com fluência e linguagem mais próxima de sua época de publicação, mas nada que possa ser considerado “antigo” ou “ultrapassado”. Mesmo nos momentos em que “partes técnicas são narradas”, neste caso referentes a geologia, o leitor facilmente segue a leitura para a aventura.

Como expliquei no início, não pude aproveitar o livro em sua totalidade porque EU imaginava algo diferente. Mas é uma leitura indicada para todas as idades. E, por favor, não cometa o mesmo erro que eu. Leia spoilers, se for preciso. Em alguns casos, é bom conhecer mais sobre a história.

Pensando nisso foi uma vantagem comprar a edição de bolso. A LePM Pocket tem um cuidado especial com tradução e revisão e o livro é de boa qualidade e com preço acessível. Se você, assim como eu, ainda não conhece Júlio Verne, indico uma edição mais barata. Caso você goste, o mercado oferece livros do autor em edições de capa dura com ótimas ilustrações.

Beijo!
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine