Guardians: volume 1 de Luciane Rangel

14 de março de 2011





Guardians: volume 1
Autora: Luciane Rangel
Ilustrações: Ana Claudia Coelho
Editora: Lexia
Edição: 2010
Páginas: 359
| SKOOB |
O mundo dos homens é protegido do mundo de malignas criaturas por uma barreira dimensional. Frágil e sob constante ameaça, ela é protegida por doze guerreiros sob os signos das estrelas: os Guardiões. A missão desses jovens, que contam com poderes sobre-humanos, é evitar que catástrofes tomem o mundo, fechando uma fenda na barreira e impedindo a passagem dos monstros. Porém, por mais que tenham incríveis poderes, as fraquezas inerentes aos humanos – o amor, o ódio, a vingança e a hesitação – continuam presentes, tornando a missão um pouco mais difícil do que parecia ser...

Tive a grande oportunidade de conhecer Guardians através de um booktour organizado pela própria Luciane Rangel. Assim que soube, logo me cadastrei e tive a sorte de ser a segunda a receber o livro. Morar na região Serrana do Rio Grande do Sul as vezes tem suas vantagens e esse é um dos casos.

Antes de contar sobre o que achei do livro, acho importante esclarecer como me interessei por ele. O Twitter, como a grande rede social que é, nos proporciona conhecer várias coisas. Entre elas os livros, músicas, vídeos, que muitas vezes não fazem parte do nosso universo, mas a gente clica no link e aí tá feito. Com Guardians foi assim. A primeira coisa que vi desse livro foram as ilustrações dos personagens. Passei um tempo procurando até descobrir o Twitter da própria autora [@LucyRangel]. Um tempo depois, vi a resenha que a Rê Mallmann fez lá no Guria que Lê e me apaixonei de vez. 

É sempre difícil começar um livro como Guardians sem nenhuma expectativa. Eu estava cheia delas, ainda mais porque é uma história com influência da cultura japonesa. Existia um misto de paixão e medo. Afinal, minha infância foi recheada de desenhos japoneses e se você nasceu nos anos 80 sabe o que isso quer dizer. Para minha surpresa, o livro superou as expectativas. 

Guardians conta a história de 12 guardiões (lógico), cada um carregando a herança genética de um signo, que tem como principal missão fechar a dimensão que dá acesso ao monstros do mundo yukai para a Terra. Com o espaço na barreira abrindo rapidamente, o primeiro desafio é reunir todos os representantes dos signos no Japão e começar o treinamento.

Depois de alguns contratempos, eles descobrem que não há tempo para treinamentos e começam as rondas para localizar e destruir os yukais que usam a energia dos humanos para abrir rapidamente a barreira. Enquanto isso, alguns guardiões esperam desesperadamente pelo despertar de sua energia, porque só com a força dos 12 unidos é que será possível lacrar a barreira. 

O livro conta várias história paralelas, entrelaçadas com a principal, e para mim o mistério sobre Anne Soares, a possível guardiã do signo de Câncer, é o mais interessante. Isso porque, Sofie, antiga guardiã de Áries e responsável pela nova geração de guardiões desconfia que Anne seja uma impostora, já que a antiga guardião de Câncer morreu no último fechamento da barreira e não contou sobre filha nenhuma. 

Já contei bastante. O livro tem uma trama bem feita e pensada. Escrito de uma forma direta, mas não simplista, que prende o leitor do início ao fim. Se você se interessou, procure pelo livro o mais rápido possível. Não vai se arrepender. 

Vivemos pelo tempo que durou. Esse era o trato, desde o início. Sabíamos o sofrimento que nos esperava, mas optamos por isso para sermos felizes juntas, pelo tempo que fosse possível. (...)
página 303

Beijos!