A breve segunda vida de Bree Tanner

18 de dezembro de 2010





A breve segunda vida de Bree Tanner
Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Edição: 2010
Páginas: 191
Compre no Submarino 

“Eu vi a postura dele mudar. Ele se abaixou no telhado, uma das mãos agarrada à beirada. Toda aquela estranha simpatia havia desaparecido – era agora um predador. Isso era algo que eu reconhecia, algo com que me sentia confortável. Porque isso eu entendia. Desliguei meu cérebro. Era hora de caçar. Respirei fundo, inalando o odor do sangue no corpo das pessoas lá embaixo. Não eram os únicos humanos por perto, mas eram os mais próximos. Quem você caça é o tipo de decisão que se deve tomar antes de farejar a presa. Agora já era tarde demais para fazer qualquer escolha.”

ESSA RESENHA CONTÉM PEQUENOS SPOILERS!

Falar qualquer coisa sobre Stephenie Meyer é muito complicado. Já comentei por aí [Youtube, Twitter, blog] que tenho um certo amor e ódio por ela. Não levando em conta a mitologia da Saga Crepúsculo e lendo somente como um livro de romance, a história não se aproxima de um romance de banca? Enfim, embora a Stephenie seja odiada mortalmente por fãs de vampiros tradicionais, ela tem uma ótima qualidade: escreve MUITO bem. Pelo menos é o que eu acho. Então, muita gente leu a saga não só pelo romance entre Edward e Bella, mas pelo desenrolar de tudo que estava por vir. 

Então Nine, porque o ódio ali em cima? Simples, achei Amanhecer muito ruim. Mesmo. Esse livro é 8 ou 80 com todos que já conversei. Ou gosta ou não. Achei ruim porque para mim ela deu um rumo incoerente para a história. Não fez mais sentido. E como autora, ela tinha esse direito, já que a obra era/ é dela, e por mais que os fãs se sintam donos também, não são. Por isso muitos adoraram e outros detestaram o “viveram felizes para sempre”. 

Ok. Depois dessa introdução esclarecedora sobre minha relação com a Stephenie Meyer vamos falar de Bree Tanner. Eu gostei do livro. Praticamente mais que a Saga Crepúsculo inteira (exagero). Novamente a autora segue uma linha de escrita que te prende do início ao fim, além de esclarecer pequenas coisas de Eclipse. Como recém criada, Bree se aproxima muito daquilo que os vampiros eram no início de seus mitos e suas histórias, e vive dominada pelo desejo de sangue. Mas sua criação teve um propósito e Bree não tem como fugir disso.

Claro que tu lê o livro sabendo o que acontece com ela, afinal, sabemos isso em Eclipse, agora o que me fez gostar de Bree Tanner é que ela sempre busca uma parte lúcida para entender tudo que se passa a sua volta, e não demorou para entender que não era nada do que parecia. Ela foi uma protagonista mil vezes melhor do que a Bella, e não foi por nada que a autora resolveu contar sua história nesse livro. 

Como o livro é bem curtinho, não é possível fazer tantas considerações sem contar boa parte da história. É um livro que vale a pena ser lido principalmente para fazer um paralelo com a Saga Crepúsculo. E como faço com alguns livros, separei um pequeno parágrafo. Faço isso sempre que encontro algo que possa ser observado na nossa vida. 

Fred e eu nadávamos atrás deles, sem muita pressa. De um jeito estranho, era como se fôssemos duas pessoas casadas há muito tempo. Nunca conversávamos, mas ainda assim fazíamos tudo juntos. 

Beijos!


*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine