A balconista de Steve Martin

10 de novembro de 2010








Neste romance, Steve Martin mostra uma nova faceta de sua personalidade: um homem sério, sensível e inteligente, dotado de um humor fino, que não perde nem nas ocasiões mais delicadas. A balconista, sucesso de público e crítica nos EUA, é a história pungente de Mirabelle - uma bela mulher de 28 anos - e de seus sonhos, desejos e romances nas ruas de Los Angeles.

Nunca fui muito boa com a definição de um livro, mas esse é engraçado, sensível e dramático. Isso mesmo! Pode ser difícil imaginar uma história com sentimentos tão diferentes, mas a vida de Mirabelle circula por altos e baixos, como nós. É uma história muito, muito real.

Ela trabalha no departamento de luvas de uma grande loja. Mas sua paixão é o desenho. Esse é o primeiro conflito que o livro trás. Mirabelle tem sim ambição, mas como precisa pagar suas contas, continua atrás de seu balcão, passando dias e mais dias, entediada, olhando pras meninas dos outros departamentos, sempre com muitos clientes, e com uma pontinha de inveja.

Mirabelle também não tem muita sorte no amor. E esse é o principal tema do livro. Seu relacionamento com um homem mais velho não termina como ela [e nós] imaginamos. E quando chega o momento mais dramático, ela toma sua decisão. Que não é fácil, mas é a mudança.

Ela também sofre de depressão, e um dos momentos mais delicados é quando os remédios param de fazer efeito, e tudo a sua volta perde o sentido. Embora pareça uma história triste, Steve Martin soube como colocar muito humor nela. E ao longo de todo livro é essa confusão de sentimentos. Choro e riso! 

No final, Mirabelle não encontra um grande amor, mas começa a dar um rumo na sua vida, o mais próximo daquilo que ela gostaria que fosse. E essa é a mensagem do livro: nada é fácil, sentimos amor e ódio ao mesmo tempo e precisamos escolher, caso contrário, uma decepção maior será somente nossa responsabilidade. 

Para entender melhor, vai uma mostra!

Na verdade, nessas festas, o poder permanece nas mãos de mulheres espiritualmente neuróticas, que atraem exatamente os homens que têm necessidade de domá-las. Mirabelle atrai outro tipo de homens, os mais tímidos e reticentes. Olham para ela por um longo tempo antes de se aproximar. Quando encontram alguma coisa nela que desejam, trata-se simplesmente de algo que está dentro dela.

Minha próxima resenha será sobre o filme baseado no livro.

Beijos!