As Crônicas de Nárnia: O sobrinho do mago de C.S. Lewis

11 de janeiro de 2013






O sobrinho do mago
#6 As Crônicas de Nárnia
Autor: C.S. Lewis
Editora: Martins Fontes
Edição: 2009
Páginas: 98/ 751
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal - o que mais um leitor poderia querer de um livro? O livro que tem tudo isso é O leão, a feiticeira e o guarda-roupa, escrito em 1949 por Clive Staples Lewis. Mas Lewis não parou por aí, seis outros livros vieram depois e, juntos, ficaram conhecidos como As crônicas de Nárnia.

A inspiração para começar a ler As Crônicas de Nárnia foi através da série de posts da Pâm, do blog Garota it. O meu livro ficou eras na estante e estava mais do que na hora de enfrentar o clássico de C.S. Lewis. Minha edição é o volume único, portanto, estou lendo na ordem disposta no livro. 

Por mais incrível que possa parecer, eu nunca soube muito sobre o universo de Nárnia (sempre que eu tenho muita vontade de ler um livro eu fujo ao máximo das informações). Não assisti aos filmes e li pouquíssimo a respeito das crônicas. Dessa forma, quase tudo que encontrei em O sobrinho do mago foi novidade (eu sabia que o leão era importante, ahá). Minha impressão sobre esta primeira história foi a de que tudo é bem mais “infantil” do que eu imaginava. 


Embora O sobrinho do mago seja a primeira parte do universo Nárnia se considerarmos a história de forma cronológica, ela foi a penúltima crônica a ser publicada. Ainda é cedo para ter uma decisão definitiva, mas conhecendo meu gosto, acredito que ler na ordem cronológica está fazendo mais sentido para minha experiência de leitura. 

A primeira surpresa que tive foi relacionada ao texto totalmente lúdico de C.S. Lewis. Sim, eu sempre soube que o público alvo era o infantil, mas como o universo de Nárnia é adorado por muitos leitores adultos, eu imaginei que a narrativa transitasse pelos dois universos. Mas não! Por determinados momentos o texto me causou certa irritação como se o autor estivesse menosprezando a capacidade de compreensão do leitor (é Lucas Coppio, você tem mesmo razão nesse quesito). Por favor, não sou especialista e quem sou eu para julgar C.S. Lewis. Isso foi apenas uma das tantas sensações que tive ao ler O sobrinho do mago

Fotos: Nine Stecanella

Polly e Digory são protagonistas com personalidades e atitudes dúbias. Por vezes tive a sensação de que eles não eram crianças. Em outros momentos, até mesmo em diálogos, aquela inocência infantil pairava sobre eles. No geral, eu gostei dos personagens, especialmente porque eles enfrentam a figura excêntrica do tio André. Muito do que acontece com eles durante a jornada da descoberta de Nárnia é analogia e referências a assuntos já conhecidos (não é a toa que os humanos são chamados de filhos de Adão e filhas de Eva). Mensagens subliminares?! Milhares. Se eu fosse capaz, elaboraria uma tese. 

Não achei O sobrinho do mago uma história incrível. Contudo, foi uma boa explicação para o “começo” ou a “descoberta” de Aslam e o mundo fantástico que ele governa. Talvez por ser minha estreia em As Crônicas de Nárnia eu esperava algo um pouco diferente. Tanto é que demorei bastante para começar a ler a segunda crônica (terminei de ler a primeira dia 04 de novembro e só dois meses depois peguei o livro de novo). 


Certamente vou escrever sobre as próximas histórias em breve. Gostar de literatura infantil e infanto-juvenil vai ajudar para que eu siga em frente na leitura. Se eu indico? Sim! Apesar de não ter correspondido as minhas expectativas, O sobrinho do mago é parte de um universo fantástico que merece atenção de todos os leitores e mais do que nunca imagino que as impressões sobre As Crônicas de Nárnia está intimamente ligada a experiência pessoal de cada um. Não apenas como leitor, mas também como pessoa. 

Vocês acham válido fazer posts sobre cada um dos filmes? Se sim, eu leio a crônica e depois assisto a adaptação. Espero as opiniões de vocês nos comentários!

Beijos!
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine