The Secret Circle - a não resenha

17 de maio de 2012



ESTE POST CONTÉM SPOILERS DA SÉRIE!

The Secret Circle! Minha relação com a série? Amor e ódio. Preciso deixar claro: não li a obra de J.L. Smith que inspirou a adaptação para a televisão. Percebi que livro e série são bem diferentes a partir de comentários e resenhas. Já faz um tempo que ensaio esse post, por isso ele será mais um comentário do que uma resenha, especialmente porque não encontrei alguns dados que gostaria de incluir, como informações sobre o custo por cada episódio de The Secret Circle

Descobri a série como muitos telespectadores: na divulgação das novas apostas na Fall Season. A estreia foi em setembro de 2011 e logo baixei o primeiro episódio. Gostei. Não achei algo espetacular, mas o tema me interessava (bruxos). Alguns erros bobos de gravação e edição passaram despercebidos pelos diretores e produtores. Mas isso também tinha acontecido com The Vampire Diaries e a série fez sucesso e melhorou consideravelmente nesses aspectos. 

Mais ou menos depois dos cinco primeiros episódios de The Secret Circle comecei a ficar de birra com a série. Os erros de gravação continuavam lá, junto com a  faltava intensidade nas atuações e química entre os atores. O enredo, que é o fio condutor, era repetido incansavelmente nas falas (16 anos atrás os Anciões tiraram os poderes do círculo dos pais e agora eles não podem ser descobertos fazendo magia) e fora isso, o que se via era um grupo de adolescentes querendo disputar a liderança no círculo (de magia) secreto.

Muitos telespectadores desistiram da série aí. Eu continuei (tenho essa mania de precisar ver/ler tudo até o final). Me empolguei de novo quando a personagem principal, Cassie, descobriu sua linhagem sanguínea. Magia das trevas, do mal. Imaginei, então, que algo muito perturbador pudesse acontecer com ela, mas não. Tudo continuou morno.



Sim, sim! Cassie acessa sua magia negra e seus super poderes por ser parte de uma família original de bruxos, mas não faz nada além do proteger um círculo que a hostiliza (!). Eu sei, quando eles juntaram o círculo ficaram conectados, mas não existe individualidade e nem amor próprio. Mesmo assim, fiquei ligada na série. 

Os três episódios finais valeram o sacrifício de assistir o resto da temporada sem emoção. Embora a média de audiência de The Secret Circle tenha sido 2 milhões de telespectadores e a com mais potencial de sequência, a emissora americana CW cancelou a série (depois de três episódios FODAS no final, só pra gerar ódio em quem é fã).

O fato é: o episódio 22 de The Secret Circle, Family (lançado em 10 de maio), ao mesmo tempo que respondeu todas as perguntas e deu um fim digno a série, deixou em aberto uma possibilidade de continuação. Quem sabe a CW avalie melhor o mercado e resolva apostar na série (novamente) no próximo ano?

Ufa! Foi um desabafo/ opinião. O post ficou extenso, e ficaria ainda maior se falasse de todos os episódios e personagens individualmente (a ideia inicial, pouco louca?). Na minha opinião, a CW não soube aproveitar o potencial da série, de tema e mercado, e não teve os resultados esperados. Uma produção mais cuidadosa e um trabalho de entrosamento com os atores já daria um retorno visível (no caso dos atores, não falo de amizade. Já li várias entrevista do elenco e eles são bem unidos. Falo de química na tela). 

Se eu indico! Sim, para quem gosta de bruxos/ magia e personagens adolescentes, um pouco de mistério e algumas crises da juventude. A melhor maneira de assistir The Secret Circle, na minha opinião, é não criar nehuma expectativa. Assim, você pode se surpreender com alguns episódios que se destacam (como os três finais).

Agora é sua vez! Você que assistiu The Secret Circle, o que achou da série? 

Beijos!