Meta da semana: 15 a 21 de maio

14 de maio de 2016

Oi gente, tudo bem? Por aqui maio está superando as expectativas já que abril não foi muito produtivo. E como prova dessa mudança a coluna meta da semana está de volta e desta vez para ficar (espero muito conseguir publicar todos os sábados ou domingos, mandem boas energias pra cá, hehehe). Mês passado conclui apenas três livros e hoje é dia 14 de maio e já li quatro. Bom motivo para estar animada, né?

Na semana que passou conclui duas leituras. A primeira delas foi Morte e vida de Charlie St. Cloud de Ben Sherwood, que começou me surpreendendo pela boa narrativa e pela complicada história de família, mas perdeu totalmente minha simpatia após uma reviravolta, perto da metade do livro. Achei desnecessárias algumas situações que o autor criou e mesmo encarando como história de ficção com cunho espiritual, não gostei de muitos momentos do enredo. Comentei brevemente sobre ele nas redes sociais e não tenho intenção de fazer uma resenha ou vídeo para o livro, já que a história foi apenas ok!

Já o segundo livro finalizado na semana foi Time Out - Os viajantes do tempo, compilação de contos brasileiros sobre ficção científica e viagem no tempo lançada pela editora Estronho em 2011. Escolhi a edição para levar na bolsa durante maio, mas comecei ontem pela manhã e terminei durante a noite. Curti a maioria das histórias e o enredo explorado por cada autor. No geral as histórias são criativas e arrepiantes. Em breve vou escrever mais sobre o livro aqui no Estante da Nine.



Para a próxima semana separei três livros: O amante de Lady Chatterley de David Herbert Lawrence, escolha para o Projeto 1001 livros. Já comecei a leitura, pretendo seguir no capítulo V na página 50 ainda hoje, e já marquei muitas passagens interessantes, discussões sociais e culturais pertinentes aos dias atuais. Cada vez mais tenho percebido minha simpatia pelos autores ingleses e pretendo incluir outras leituras britânicas na minha meta ao longo desse ano.

As outras duas escolhas de leitura para os dias que virão são As vantagens de ser invisível de Stephen Chbosky, que inclui na minha meta de 12 livros para 2016 e espero fazer resenha sobre o livro e o filme em sequência; e Amor de perdição de Camilo Castelo Branco, escolha do mês para o projeto de leitura dos clássicos brasileiros e de língua portuguesa


Maio tem tudo para ser extremamente produtivo nas leituras e falei mais sobre os livros que escolhi para o mês no vídeo Meta de leitura: maio (2016). No post eu também explico porque escolhi cada história e comento sobre qual projeto ou desafio elas fazem parte. Como sempre, separei alguns títulos extras just in case sobre alguns dias livres. Vai saber, né?!

E vocês, o que pretendem ler em maio? Eu tenho tentado me desprender dos números e focar na qualidade das leituras, mas mês ou outro eu fico triste por ler pouco, principalmente naquelas épocas em que a preguiça vence. O pior de tudo: isso faz parte da vida de leitor, não tem jeito, hehehe. Boas leituras.

Beijos!
Fotos: Nine Stecanella