Todos os nossos ontens de Cristin Terrill

13 de janeiro de 2016





Todos os nossos ontens
Destrua o passado para salvar o futuro
Autora: Cristin Terrill
Editora: Novo Conceito
Edição: 2015
Página: 352
Compre no Submarino | Amazon
O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo? Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse? Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem? Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo...

A missão de hoje é escrever uma resenha curta para Todos os nossos ontens de Cristin Terrill. A razão principal é porque adorei o livro e quero manter parte dos mistérios em segredo, claro. O outro motivo é que essa é uma história que se monta aos poucos e comentar demais sobre um ponto ou outro pode influenciar você, leitor, a tirar conclusões antes da hora.

Outro aspecto importante para se comentar já no começo deste texto é que apesar de Todos os nossos ontens ser uma distopia com vários elementos de ficção científica, a história gira em torno da jornada de dois personagens. É um livro de ação. Portanto, não espere que o foco seja algum governo totalitário ou pessoas reprimidas. Isso existe e fica subentendido no enredo em vários momentos, mas o que realmente conta é a jornada de Em e Finn.



Em é presa e torturada junto com seu amigo Finn em uma instalação secreta. Os protagonistas têm informações e documentos que podem comprometer pessoas ligadas a tecnologia do acelerador de partículas, a maior invenção de todos os tempos. Esse avanço científico tem sido usado para fins nada nobres. A missão de Em e Finn é viajar quatro anos para o passado e destruir o responsável por criar a máquina: o melhor amigo deles, James. Vocês já imaginam o quão tenso o livro é, né?

O livro começa com muita ação porque tudo gira em torno da fuga de Em e Finn para a história realmente engrenar. A partir do momento em que eles viajam para o passado, acompanhamos também a visão de Marina, a segunda narradora, que (no caso) está vivendo o seu presente. Além da viagem no tempo, há também duas linhas de tempo diferentes que juntas vão formar a história. Através dos olhos de Marina o leitor conhece o passado (presente dela), enquanto Em tenta mudar esses mesmos acontecimentos para evitar a catástrofe no futuro (que o leitor descobre aos poucos).



Provavelmente o meu ponto favorito do livro tenha sido a escolha de Cristin Terril por desenvolver o enredo através da aventura e da ação, nos contando a história pela visão do passado (o presente de Marina), os fatos que precederam a grande transformação e as consequências para o presente/ futuro pelos olhos de Em. Também gostei da construção de personagens porque eles têm características distintas uns dos outros e do romance. Espantosamente o triângulo amoroso é bacana porque é crucial para a trama, mas não posso comentar nadinha sobre ele, ok? 

E se você não tem afinidade com livros que falam sobre viagem no tempo, Todos os nossos ontens é uma boa escolha para começar. Não só porque a explicação científica é plausível e fácil de compreender, mas também porque a autora usa muito bem os recursos da viagem no tempo para dar pitadas extras de mistério para a história. E sempre que você ficar com alguma dúvida do tipo “como isso pode ter acontecido?”, aposto que algumas páginas adiante você vai encontrar a resposta.



Minha nota para Todos os nossos ontens foi de quatro estrelas no Skoob. Gostei muito da história de Cristin Terrill e na minha opinião ela soube desenvolver o enredo de forma criativa e interessante dentro de um gênero muito explorado nos últimos anos. Eu não sou a maior fã de distopias, mas se você gosta certamente é uma super recomendação. Para quem não tem afinidade com livros do segmento, também vale a leitura pela jornada incrível de Em e Finn!

É isso pessoal! Espero que vocês tenham gostado da resenha de hoje porque eu estou doida para conversar com quem já leu Todos os nossos ontens. No Goodreads até existe um cadastro para o livro 2, mas conversei com algumas pessoas no Twitter e elas me contaram que a autora desistiu da ideia de uma continuação e deve lançar alguns contos. Não se preocupem, o livro tem um desfecho bem satisfatório. Pelo menos eu gostei do final, hehehe.

Beijos!

Fotos: Nine Stecanella
*Livro recebido da editora Novo Conceito
**Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners do Submarino e Amazon;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine