Corpo de delito de Patricia Cornwell

8 de julho de 2013





Corpo de delito
#2 Scarpetta
Autora: Patricia Cornwell
Editora: Paralela
Edição: 2013
Páginas: 296
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Cary Harper é um escritor famoso. Logo após o cruel assassinato de sua filha adotiva, ele próprio é assassinado. A irmã de Harper morre em circunstâncias igualmente misteriosas. Quem cometeu os crimes? Por que os cometeu? Essas são as perguntas que levam a médica-legista Kay Scarpetta a seguir as poucas pistas deixadas pelo criminoso. Além das provas que consegue colher nos corpos levados ao necrotério, sai a campo com o chefe de polícia Pete Marino e com o agente do FBI Benton Wesley na tentativa de solucionar o caso. As mais variadas hipóteses vão sendo sucessivamente abandonadas. Nada parece dar conta de todas as circunstâncias. Um dia, porém, a dra. Scarpetta recebe a visita de um desequilibrado mental que afirma ser capaz de enxergar a alma de um criminoso.

Corpo de delito é um mistério e investigação policial com a personagem Kay Scarpetta, uma médica legista. Patricia Cornwell recebeu vários prêmios do gênero por suas publicações e tive a oportunidade de entender o porquê. A protagonista também é a principal personagem de outros livros da autora, situação comum entre os escritores de livros policiais.

O que mais me chamou atenção no livro foi o enredo. Tudo começa com uma jovem escritora assassinada. Em seguida, seu mentor, também escritor e vencedor do Pulitzer, é encontrado morto na porta de casa. Para fechar o ciclo de mortes, a irmã do homem morre de forma ainda mais que misteriosa.

Diferente dos últimos livros que li do gênero, Patricia Cornwell desenvolve seu enredo de forma mais lenta. Basicamente porque nos 2/3 iniciais do livro Kay e seu parceiro, um policial, não tem sequer uma pista concreta do assassino ou como as três mortes estão conectadas. Em meio a tudo isso, a protagonista está no alvo e pode ser a próxima vítima.

Por se tratar de uma série onde a personagem principal se repete, é visível que há momentos importantes de crescimento pessoal de Kay. Mas o leitor não sente falta de informações. O livro começa com uma investigação, neste caso envolvendo três mortes, e termina com sua resolução. Se o leitor acompanhar todos os livros da coleção, terá uma relação muito maior e mais intima com a protagonista. Mas, de forma geral, a autora fecha bem todas as pontas do livro.


Outro ponto que vale ressaltar é que eu não fiz ideia de quem estava por trás dos assassinatos. Ao longo do livro desconfiei de vários personagens, mas nenhum com indícios concretos para ser o verdadeiro mentor das mortes. Patricia Cornwell cria uma nuvem de mistério e desconfiança ao longo de toda narrativa que confunde aos personagens e ao leitor.

Revelar muitos detalhes do enredo pode prejudicar a experiência de quem tem a intenção de ler o livro, mas há muitos interessados nos benefícios que surgem das mortes. Especialmente pela relação conturbada entre a jovem escritora e seu mentor. Muitos segredos são descobertos ao longo das páginas e isso incrementa ainda mais a investigação.

O livro foi publicado originalmente em 1991, então não se surpreenda ao encontrar menções de filmes fotográficos, equipamentos hoje ultrapassados e o fato dos protagonistas e vários outros personagens fumarem em todos os lugares e de forma até compulsiva. Nos livros recentes não é tão comum encontrar personagens com vícios tão latentes.

Beijos!
*Livro recebido da editora Paralela
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine