Amor contra o tempo de Myra McEntire

15 de julho de 2013





Amor contra o tempo
#1 Hourglass
Autora: Myra McEntire
Editora: Galera Record
Edição: 2013
Páginas: 368
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Emerson Cole sempre achou que algo estava errado com ela. Quando passou a ver pessoas deslocadas da realidade - que eram, na verdade, projeções do passado - e que, ao tentar tocá-las, elas desapareciam como fumaça, Em teve certeza. E então vieram os remédios, a depressão, o colégio interno. Agora que seu período no internato chegou ao fim e ela está de volta ao lar, Emerson vê sua sensação de paz prestes a desmoronar. Alguns fantasmas não estão mais desaparecendo com um simples toque. E com a chegada de Michael Weaver, o consultor de uma misteriosa organização que promete ajudá-la a se libertar dessa condição, um simples toque poderá condicioná-la a algo ainda mais perigoso: a paixão.

Oi gente, tudo bem? O principal motivo por ter me interessado por Amor contra o tempo foi o tema viagem no tempo. Antes de começar a leitura o que me desanimou foi a avalanche de resenhas negativas. Talvez eu tenha me preparado para algo bem pior, mas o livro foi sim uma surpresa positiva, apesar de tudo.

Amor contra o tempo conta a história de Emerson, uma garota que após a perda dos pais em um acidente, “ficou sem rumo da vida”. Aliado a falta que sente da família, a adolescente também vê pessoas do passado, como se fossem “fantasmas”, e lógico que não pode conversar sobre isso com ninguém. A história começa quando ela volta para a casa do irmão, Thomas, e da cunhada, Dru, para recomeçar na cidadezinha de Ivy Springs.

O livro é narrado em primeira pessoa e o foco é no presente. No entanto, a autora Myra McEntire introduz momentos do que aconteceu no passado da personagem, explicando detalhes do “dom” de Emerson. Ao longo da história o leitor descobre que as visões são dobras. O que ela vê são situações do passado, acontecendo nos mesmo ambientes por onde ela passa.











Um dos pontos que o leitores mais se incomodaram foi o relacionamento de Emerson com Michael. O personagem entra na história através do irmão Thomas, que sempre procura figuras bem peculiares para tentar entender o que a protagonista passa. O que acontece é que a garota se encanta instantaneamente pelo rapaz e a partir do primeiro encontro ela pensa em Michael o tempo todo.

Particularmente o fascínio de Emerson por Michael não me incomodou. Principalmente porque depois da morte dos pais, a protagonista não teve uma adolescência normal. Ela não teve paixões antes disso e não teve muitos relacionamentos com garotos. Além disso, esse encanto gera algumas cenas bem engraçadas.

Sobre a viagem no tempo, que cresce na história a partir da metade do livro, Myra McEntire escolheu uma explicação simples, porém satisfatória. Talvez para os leitores que gostem de ficção científica essa parte do livro possa parecer superficial. Mas ao tentar explicar demais ou algo muito complexo, a autora poderia perder o foco.

Myra McEntire também cria um triângulo amoroso que tem importância em um determinado momento do livro, mais pela tensão do que pelo romance, mas não chega a crescer, já que o relacionamento entre Emerson e Michael amadurece ao longo das páginas. Eu gostei do terceiro personagem e senti falta dele em várias cenas.

Claro! Está faltando falar da Hourglass, que dá título ao livro. A organização reúne várias pessoas com dons especiais, assim como Emerson. A maioria delas tem relação com manipulação do tempo ou elementos naturais. Lógico que a Hourglass não é conhecida por todo o mundo e esse toque de mistério cria um clima atraente ao livro.

Estava adorando a leitura até as páginas finais. Duas situações me desagradaram: a primeira delas é que Emerson tem uma melhor amiga, que teria um grande potencial para participar da aventura, mas em determinado momento do livro ela desaparece. E nas páginas finais só é citada pela protagonista.

O segundo ponto foi uma reviravolta no final. Geralmente eu gosto quando os autores surpreendem o leitor com revelações, mas eu não gosto de histórias que contradizem tudo que foi explicado até então. O livro teve um final, mas Myra McEntire deixou alguns caminhos para a sequência. Particularmente eu estou bem curiosa pela continuação, especialmente porque o vilão tem grande potencial.

A capa brasileira é bonita, mas a americana é bem mais sugestiva, diferente. Sobre o titulo: o original é Hourglass, nome da organização e que também significa ampulheta, o que passa a ideia de tempo. Amor contra o tempo até representa o livro, mas pode sugerir que é só mais um romance, quando tem aventura, mistério, viagem no tempo e claro, uma história de amor.

Recomendo a leitura para quem procura um livro jovem-adulto com outro tema que não o sobrenatural ou distopia e também para quem gosta desse toque de ficção científica. Gostaram? Se você já leu, deixe seu comentário. E se você ainda não conhece o livro, ficou interessado?

Beijos!
*Livro recebido da editora Galera Record
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine