A insustentável leveza do ser de Milan Kundera

29 de abril de 2018



A insustentável leveza do ser
Autor: Milan Kundera
Editora: Rio Gráfica
Edição:1986
Páginas: 318
Skoob | Goodreads
Compre na Amazon | Submarino

LEIA TAMBÉM
Projeto 1001 livros
Uma tese filosófica sobre a existência? Um triste romance? Um grito de alguém contra o seu espaço e tempo? Ainda não consegui descobrir, mas já tentei duas vezes. É uma história bela e triste, emoldurada pela bela e triste cidade de Praga em pleno domínio soviético. A história dos conturbados relacionamentos humanos. A história do dasein, do ser-o-nada e do ser-para-o-nada. E começa citando Nietzsche. O autor vale-se do recurso da polifonia, porém de modo diverso e relativamente discreto. Cada parte do livro conta a história a partir de um ponto de vista diferentes, da perspectiva de cada personagem diferente, embora se trate de um narrador em 3a pessoa. O que posso dizer é que esse livro aumentou minha vontade de conhecer Praga.

Leitura todo dia: semana 63

23 de abril de 2018

A semana 63 foi outra daquelas que eu esperava ser muito boa, mas foi só ok. O resumo da vez do projeto Leitura todo dia é com os livros que eu li entre 11 e 17 de abril, com a sexta, o sábado e o o domingo em branco. Apesar disso o saldo final foi de 142 páginas, pouco mais que a semana 62, mas ainda longe das 300/ 400 que eu espero alcançar algum dia (não custa sonhar, né?).

A leitura com maior avanço na semana foi Rubra -  a guerreira carmesim de Gabi Firmo de Freitas. Li a história em três dos quatro dias que renderam alguma coisa e realmente estou gostando do enredo. A narrativa tem um desenvolvimento ágil e bem lúcido, com personagens que a todo momento roubam a cena e com uma protagonista jovem, valente e de língua afiada, o que inevitavelmente coloca Rubra em situações perigosas.

A semana 63 também teve nova leitura da bolsa, coleção Grandes Sucessos para matar a saudade, e o escolhido da vez é Satiricon de Petrônio. A primeira surpresa é que o texto flui muito bem, diferente da narrativa rebuscada que eu imaginava, além disso a história parece percorrer os constantes temas da ostentação, orgia, bebedeira, rouba e repete tudo de novo. Ainda é cedo, então na próxima semana conto mais sobre a experiência! O que vocês estão lendo?

Assista ao vlog da semana 63 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Rubra - a guerreira carmesim de Gaby Firmo de Freitas (compre na Amazon)
Satiricon de Petrônio (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 62

22 de abril de 2018

A minha semana estava com a lista cheia de atividades, mas o domingo chegou com tudo ainda lá, nenhum item riscado. Para colocar em dia as coisas o papo hoje é Leitura todo dia e as duas semanas atrasadas por aqui, começando com a 62 que na quarta, 4 de abril, iniciou sem leitura, pois é. O sábado, 7, também foi de zero página lida.

Na quinta, 5; sexta, 6; domingo, 8 e segunda, 9 de abril - eu li Parque Gorki de Martin Cruz Smith. Cheguei num trecho do enredo que a história passa por uma reviravolta e o personagem principal descobre que o crime que investiga é bem mais perigoso e difícil do que previra. Além disso, e como não poderia deixar de ser, pessoas do alto escalão estão por trás de desvio nos dados e ocultação de provas. Como o livro requer mais atenção, optei por deixar como leitura de casa e não mais da bolsa.

Na terça-feira, 10 de abril, último dia da semana 62, eu escolhi uma nova leitura da bolsa e para aproveitar o sorteio da TBR jar tirei da estante Rubra - a guerreira carmesim de Gabi Firmo de Freitas. Li o prólogo, então não posso comentar sobre o enredo, mas a história parece violenta e cheia de desafios nas relações inter raciais do mundo criado pela autora. Conto mais na próxima atualização do projeto Leitura todo dia. O que vocês escolheram para ler em abril?

Assista ao vlog da semana 62 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Parque Gorki de Martin Cruz Smith (compre na Amazon)
Rubra - a guerreira carmesim de Gaby Firmo de Freitas (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

3 motivos para ler Poemas de Álvaro de Campos de Fernando Pessoa

15 de abril de 2018

A série 3 motivos para ler começou em fevereiro de 2017 com a indicação de Cancioneiro de Fernando Pessoa e pouco mais de um ano depois estou de volta no Estante da Nine para mais uma dica do autor português, desta vez de Poemas de Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa, considerado por alguns seu alter ego. 

Aliás, refiz esse primeiro parágrafo algumas vezes porque em várias versões o texto ficou contraditório, mas para relembrar a coluna 3 motivos para ler voltou ao blog depois de algum tempo de hiato com a indicação de O cemitério dos vivos de Lima Barreto e como a lista de resenhas está enorme, resolvi não deixar passar essa boa leitura de Fernando Pessoa e recomendar o livro, como da outra vez, em um lista.

1. TEXTO
Eu nunca sei bem como me referir a narrativa em poesia além de... poesia, ou poema, mas a verdade é que ler Fernando Pessoa foi uma grande quebra de barreira na minha vida de leitora porque eu passei a cogitar ler mais do gênero, comecei um projeto de leitura para registrar os livros todos os dias (ou quase isso) e percebi que poemas estão além do amor romântico ou idealizado, sempre as minhas lembranças do tema. 

Como em Cancioneiro ou Antologia poética, Poemas de Álvaro de Campos foi uma boa leitura e um desafio porque eu sempre leio Fernando Pessoa com um certo ritmo, por assim dizer, e se me distraio, volto lá para o início do poema. Detalhe que nessa edição, disponível de graça na Amazon (baixe aqui), alguns textos são extensos, então pensa nos vários trechos relidos, hehehe.


2. POESIAS LONGAS
Sim, eu falei sobre o texto acima e separei esse tópico por um motivo especial: como leitora eu tenho tendência a certos vícios, ou preguiça mesmo. O que isso quer dizer? Que eu tenho dificuldade de sair da zona de conforto, ler coisas diferentes ou encarar a leitura como um desafio mesmo, como algo que mesmo que não goste, eu leia pela experiência, para conhecer o autor ou algo assim. No caso de Poemas de Álvaro de Campos os textos longos foram um desafio, porque além de poesia não figurar com tanta frequência na minha lista de livros, só faz sentido se entender né?! Por isso acho importante reler trechos quando necessário para não perder nada do contexto!


3. VIDA E EXPECTATIVAS
O ponto alto da minha experiência de leitura com Poemas de Álvaro de Campos foi o tema de várias poesias: a realidade da vida x a expectativa que criamos. Muitos dos textos conversaram comigo porque aos 30 anos é impossível não pensar no que deveria ter feito em comparação ao que fiz, e assim acontece para tantas outras pessoas. Mais um destaque desse tópico é a expectativa do outro em relação a nós e como cada comportamento é afetado pelo julgamento das pessoas ao redor. No geral é um livro que adorei ter lido exatamente agora e sem dúvida quero reler em cinco ou 10 anos para saber se ainda vai fazer tanto sentido como em 2018.

Poemas de Álvaro de Campos foi outra experiência incrível com Fernando Pessoa que eu precisava compartilhar no Estante da Nine. Espero que vocês tenham gostado da recomendação e caso tenho outros livros do autor para indicar deixe o nome nos comentários. Se você, assim como eu, não tem familiaridade com poesia também acho válida a experiência com Fernando Pessoa, principalmente pela diversidade de temas e estilos que o autor adota.

Beijos!

Foto Fernando Pessoa: Proseando Poesia
Foto Kindle: Nine Stecanella

Brechó Chi Cão março: vestido, camisa e blazer! (3 peças por R$10)

12 de abril de 2018

A vida está insana? Sim, a vida está insana. É abril e eu não me organizei completamente, sim, é isso mesmo, mas o importante é continuar as metas e não desistir, né?! O plano era publicar o vídeo e o post das compras no brechó Chi Cão ainda em março, mês que eu escolhi as peças, mas como não rolou, essa semana aconteceu mais uma edição com novos garimpos, pode ser que ainda esse mês eu chegue ao tão esperado cronograma de atividades que funciona e que eu consigo executar.

Em março eu visitei dois brechós. O primeiro deles foi o do INAV - que organizou um torra torra com peças a R$0,50, R$1 e R$2. Não gravei vídeo, mas vou compartilhar os achados no Instagram e no Facebook, porque encontrei muitas peças legais e gastei um total de R$17 em dois dias visita. Exatamente por isso, e já que o objetivo é consumir consciente não adianta atolar a casa de peças, minhas compras em março no brechó Chi Cão foram contidas, mas muito boas.

Como eu comprei várias peças básicas tanto nas edições passadas do brechó Chi Cão, como no torra torra do INAV, em março eu optei por roupas diferentes, que tem muito dos elementos que eu já gosto ou para ideias que eu quero testar. O vestido quadriculado é lindo, com um modelo diferente de tudo que eu tenho e provavelmente costurado por alguém, já que não tem etiquetas de marca. Cheguei em casa e até o marido falou: "Nossa, esse vestido é tua cara", sinal de que finalmente defini algumas influência para meu estilo, hehehe.

As outras duas peças são lindas. A camisa branca sem mangas com detalhes em babados é para fazer par com uma peça preta do mesmo estilo que encontrei nas edições passadas do brechó e também para testar alguns looks modernos inspirados em roupas de época. O blazer vinho/ marrom na verdade era para ser vermelho, mas como nenhum da cor serviu escolhi essa opção, que também combina com muitas coisas do meu guarda-roupa. Vocês compram em brechós ou bazares beneficentes?

Assista ao vídeo com as peças escolhidas em março no brechó Chi Cão

Beijos!

Meta da semana: 8 a 14 de abril

8 de abril de 2018

Eu estava com muita vontade de publicar a meta da semana e como para abril eu não escolhi um objetivo mensal de livros achei uma boa oportunidade conciliar a coluna com os vlogs do projeto Leitura todo dia. O comentário de hoje vale para a semana que começa hoje, 8 de abril, e segue até o sábado 14. Meu objetivo é concluir leituras em andamento e avançar o máximo possível nas novas escolhas.

Estou na página 223 de Parque Gorki de Martin Cruz Smith - pouco mais da metade do livro - e depois de algum tempo como opção da bolsa resolvi que vou concluir a história em casa, já que os capítulos extensos e com várias informações relevantes para o enredo pedem uma leitura mais tranquila e sem interrupções. Para a próxima semana vou escolher uma nova opção para a bolsa e compartilho em tempo real no Instagram e Facebook.

O vermelho e o negro de Stendhal é um clássico que está se prolongando por meses e aparece na meta da semana porque meu objetivo é fazer um bom avanço na leitura. Estou na página 384, aproximadamente na metade, e gostaria de ler entre 150 a 200 páginas nos próximos dias. O objetivo é ambicioso, mas espero finalmente concluir o livro em abril. O que vocês escolheram para ler na semana?

LIVROS
Parque Gorki de Martin Cruz Smith (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)

Beijos!

Foto: Nine Stecanella
*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Leitura todo dia: semana 61

7 de abril de 2018

A semana 61 do projeto Leitura todo dia foi das mais loucas, cheia de altos e baixos, e com acontecimento triste e marcante, mas cheia de aprendizado também. Apesar de todo esse tumulto e dois dias sem leitura - o domingo de Páscoa e a terça - o resumo de hoje tem saldo positivo de e-book clássico brasileiro começado e terminado, além de uma leitura continuada. Os livros foram lidos entre 28 de março a 03 de abril.

Parque Gorki de Martin Cruz Smith está fluindo aos poucos, mas cada vez mais interessante. Como o enredo teve uma reviravolta e a leitura engrenou, provavelmente eu vá concluir a história em casa e escolher outra opção para a bolsa. Por enquanto a mensagem que fica é que independente do sistema ideológico e político certas estruturas de poder se repetem, tornando quase impossível quebrar o grupo dominante.

Ressurreição de Machado de Assis foi o livro começado e concluído da semana 61, para continuar com tudo meu projeto de clássicos brasileiros e de língua portuguesa. O primeiro romance do autor me deixou impressionada por retratar um casal onde o ciúme e a insegurança são os responsáveis pela desgraça de ambos, que mesmo adultos não superam a barreira de certas intrigas sociais. Leitura recomendada que em breve vai ganhar indicação no blog, como a de 3 motivos para ler O cemitério dos vivos de Lima Barreto. Que livros estão com vocês nesse final de semana?

Assista ao vlog da semana 61 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Parque Gorki de Martin Cruz Smith (compre na Amazon)
Ressurreição de Machado de Assis (baixe de graça na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

3 motivos para ler O cemitério dos vivos de Lima Barreto

4 de abril de 2018

Finalmente a série 3 motivos para ler está de volta no Estante da Nine assim como indicações de leitura de livros, contos e/ ou poesias que eu li para o projeto de clássicos brasileiros e de língua portuguesa. A ação começou no ano passado com recomendação de Cancioneiro de Fernando Pessoa e Mãe de José de Alencar. O papo hoje é sobre O cemitério dos vivos de Lima Barreto, livro incompleto do autor e publicado postumamente.

Uma rápida pesquisa entre leitores e perfis de Lima Barreto na internet indica que O cemitério dos vivos poderia ser uma obra com traços biográficos, já que o autor teve problemas de alcoolismo, que agravaram consideravelmente sua saúde. A leitura, apesar de demorada e espaçada, foi interessante e perturbadora, por isso e apesar da demora, o livro merecia um registro e uma indicação no Estante da Nine.

1. CENÁRIO
É impossível ficar indiferente ao cenário do livro. Lima Barreto retrata um hospital psiquiátrico que funciona como um depósito de humanos, logo o titulo sugestivo fica claro nas primeiras páginas. Todo tipo de gente para nesse lugar, que tem regras, mas tantas exceções que parece impossível qualquer tipo de civilidade. O ponto alto é que mesmo num lugar tão caótico é fácil encontrar hierarquia, amizade, submissão e decadência, a mesma organização social de uma comunidade, a do livro formada pelos excluídos sociais. 


2. ALCOOLISMO
O protagonista de O cemitério dos vivos é alcoólatra, então o tema é presente em todo o enredo. Acho importante destacar esse aspecto porque a enfermidade do personagem é leve se comparada a de outros pacientes, mas ao mesmo tempo é um inferno. O autor consegue expor como um viciado experimenta certas sensações e porque é tão difícil se manter afastado da bebida. Minha opinião é que Lima Barreto também expõe como o bêbado é figura recorrente na sociedade e não é levado a sério ou ajudado até que a situação se torna crítica para a saúde ou socialmente vergonhosa. Isso é questão de interpretação, claro, mas pensei muito nisso, especialmente porque Lima Barreto teve problemas com bebida, então deve sim ter exposto suas experiências em trabalhos como esse.


3. NARRATIVA
Eu adoro ler livros que me desafiam de alguma maneira e O cemitério dos vivos foi exatamente isso. A narrativa fragmentada, incompleta, até sem sentido, fez com que eu demorasse para gostar da história e querer continuar, mas eu também passei a observar pessoas que bebem, e como elas pensam e se expressão quando estão alcoolizadas, e muitas vezes os pensamentos são isso mesmo: fragmentos. Mesmo difícil, lenta até, essa leitura me deixou satisfeita por ter encarado o desafio até o final, porque eu gostei, valeu tudo, e também porque me deixou triste pela realidade que parece ter mudado pouquíssimo em 100 anos (e já falei isso tanto por aqui que é assustador).

Então é isso. Espero que vocês tenham gostado da lista e da recomendação de hoje porque mesmo com o caderno de pautas super atrasado não quis deixar essa dica para trás. O cemitério dos vivos de Lima Barreto é um livro disponível de forma gratuita na Amazon e vocês podem baixar para Kindle e aplicativos pelo link aqui. Se já leu ou quer ler O cemitério dos vivos participa nos comentários e deixa tua recomendação de leitura.

Beijos!

Foto Lima Barreto: Divulgação
Foto Kindle: Nine Stecanella

Desafio livros e seus filmes 2018 + minha lista de leitura!

Minha expectativa para abril é alta e apesar de alguns dias difíceis já na primeira semana espero superar algumas barreiras pessoais. Uma delas, e a mais importante relacionada ao Estante da Nine é a de colocar as pautas em dia, não prolongar as postagens das resenhas após o termino das leituras e voltar com força total para os meus projetos de leituras e metas literárias. E é por isso que o assunto do dia é a edição 2018 do Desafio livros e seus filmes.

Para os leitores antigos e novos, aí vai um resumo: a ideia do projeto surgiu em 2012 porque na época eu queria um desafio anual para o Estante da Nine e até então não tinha criado ou participado de nenhum outro projeto de leitura. Na época vários blogs/ canais já tinham suas listas literárias ou metas temáticas e eu quis ter o meu também. 2013, o primeiro ano, foi extremamente produtivo e positivo para o Desafio livros e seus filmes, mas nos anos seguintes não mantive o ritmo e o projeto amornou.


Para a edição de 2018 algumas alterações foram essenciais, tanto para manter o projeto realista em relação aos meus interesses de leitura, tempo e disposição, quanto para atender algumas sugestões que vocês, leitores, compartilharam no decorrer dos anos. A lista é válida para todo ano de 2018, personalizável e pode conciliar com os projetos de leitura que os interessados já participem. Use a #desafiolivroseseusfilmes nas redes sociais para que eu possa conhecer as leituras de vocês e também as adaptações que estão assistindo, além de compartilhar posts e vídeos dos leitores na página do Estante da Nine no Facebook.

A ideia do Desafio livros e seus filmes é montar uma lista de leitura com livros que já tenham ganhado adaptação para cinema ou TV (ou vão ganhar, com estreia prevista para este ano). A grande mudança da edição de 2018 são as três categorias para montar a lista de leitura: lançamentos - a versão original do desafio, com livros que tem filmes e séries previstos para estrear no ano (2018); mista - intercalando livros e filmes lançamentos ou não; e antiga - para ler e assistir aqueles clássicos da literatura e cinema que estão na estante há anos.

A minha lista de leitura para 2018 tem cinco livros e minha escolha foi pela categoria antigos, já que no ano passado foi o que mais li/ assisti e também para movimentar os livros parados na estante. Os livros para o Desafio livros e seus filmes 2018 são:
  1. Anna Karênina de Leon Tolstói
  2. Rebecca de Daphne Du Maurier
  3. Um conto do destino de Mark Helprin
  4. Perdido em marte de Andy Weir (livro | filme)
  5. Selvagens de Don Winslow (livro | filme)

Vídeo sobre o Desafio livros e seus filmes 2018 publicado no canal do Estante da Nine

Beijos!

Leitura todo dia: semana 60 + sorteio!

2 de abril de 2018

A semana 60 do projeto Leitura todo dia foi empolgante. Depois de um resumo sem graça e de pouca leitura como o 59 imaginei que demoraria algum tempo para pegar o ritmo. Apesar do número de páginas não ter sido volumoso, o que li entre 21 a 27 de março resultou em uma leitura concluída, uma retomada e uma continuada, hehehe.

Luana -  a filha da lua de Ronaldo Santana e Flaviana Rangel foi o livro concluído da semana 60. Comentei sobre ele nos resumos recentes e ao final da experiência a leitura foi positiva, apesar da impressão inicial negativa. O enredo mistura um cenário urbano com toques de magia, tudo ligado a cultura brasileira, com muitos elementos fáceis de identificar ou que causam familiaridade. Torço para que os autores lancem a sequência e neste post vai rolar sorteio de um exemplar do livro, confira as regras e preencha o formulário abaixo.

Parque Gorki de Martin Cruz Smith foi a leitura em andamento que eu continuei durante a semana 60 e tem sido bem interessante entender melhor o ponto de vista do autor e quais os temas ele coloca em debate para o leitor refletir. Espero que nas próximas semanas eu terminei o livro e então escrevo uma recomendação no blog com os meus pontos favoritos da história e porque a leitura é válida (espero que ao final de tudo eu pense assim também).

Depois de muito, muito tempo voltei para O vermelho e o negro de Stendhal e fiz um bom avanço, quase 80 páginas. Percebi nesse trecho que o enredo parece evoluir devagar pelas várias trocas de cenários, mas pensando no crescimento pessoal do personagem principal muita coisa importante já aconteceu. Passei da metade da história, clássico que está se estendo na leitura bem mais do que eu gostaria, mas que ao mesmo tempo tem sido uma experiência boa. O total de páginas da semana 60 foi de 179. O que vocês leram nos últimos dias?

REGRAS: SORTEIO DE UM EXEMPLAR DE LUANA - A FILHA DA LUA (até 27/04)

PREENCHA O FORMULÁRIO (participação única)

Assista ao vlog da semana 60 do projeto Leitura todo dia

LIVROS
Luana de Ronaldo Santana e Flaviana Rangel (compre na Amazon)
Parque Gorki de Martin Cruz Smith (compre na Amazon)
O vermelho e o negro de Stendhal (compre na Amazon)

Beijos!

*Ajude o blog comprando pelos links indicados no post ou através dos banners da Amazon e Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine