Massa para panquecas e crepes (Dona Benta: Comer Bem)

5 de maio de 2015

Olá pessoal, tudo bem? Eu já comentei por aqui que criei uma programação de temas e posts para o Estante da Nine? Sei que já falei sobre isso em alguns vídeos, mas tenho memória curta, hehehe. Terça-feira é dia de compartilhar experiências na cozinha. Para começo de conversa, sou péssima cozinheira. Aqui em casa é o Rodrigo quem comanda as panelas (mas a louça é minha, faz parte), e, aos poucos, estou tentando me arriscar neste "departamento do lar". Desde que comprei o livro Dona Benta: Comer Bem fiz inúmeras marcações e já comecei a testar algumas dicas como o cappuccino em pó e a receita de hoje: massa para panqueca (ou crepe).

O resultado ficou satisfatório, mas nada que se compare a uma panqueca de mãe ou vó (ainda). Além disso, adaptei a receita. Aliás, isso é algo fundamental: não dá para levar tudo ao pé da letra. Muitas coisas são instintivas e outras são teste, como tempo e temperatura do forno (e eu tenho forno elétrico então é a treva ajustar as receitas). Mas voltando a massa... Reduzi a quantidade do leite porque, já com metade da sugestão, a massa ficou no ponto (que eu gosto).

INGREDIENTES (página 412)
  • 5 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 2 ovos
  • 2 e 1/2 xícaras de açúcar
  • 1/2 colher de café de sal
  • manteiga ou margarina para untar

Como escrevi acima, reduzi apenas a quantidade de leite da receita original. Fazer a mistura da massa é fácil e basta mexer bem os ingredientes para sentir o ponto ideal (eu não gosto da massa nem líquida e nem densa, mas isso é pessoal e vai depender do gosto de cada um). Eu tenho TOC com receitas que levam ovo, então eu sempre misturo primeiro na tigela ou em um recipiente separado. 


O maior desafio, principalmente por minha falta de habilidade na cozinha, foi assa a massa. Confesso que as primeiras panquecas ficaram bizarras, mas depois de pegar o jeito fica fácil. Além disso, usei uma frigideira pequena e sempre bem untada. O recheio de hoje foi carne moída temperada sem molho. Porém, a massa é tão universal que pode ser combinada com (quase) qualquer coisa.

Fiquei feliz com o resultado final e também por ter criado coragem em compartilhar essas peripécias no Estante da Nine. Espero melhorar com o tempo e a prática, embora cozinhar não seja algo que me desperte tanto interesse. É aquela coisa de acordar num dia bom e se arriscar, sabe? Quero saber de vocês se a dica foi válida e se são bons na cozinha. Participe nos comentários.

Beijos!

Fotos: Nine Stecanella