Tempo em fúria de Myra McEntire

18 de abril de 2014






Tempo em fúria
Autora: Myra McEntire
Editora: Galera Record
Edição: 2013
Páginas: 322
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino

LEIA MAIS
Amor contra o tempo de Myra McEntire
Kaleb Ballard começa a enxergar dobras no tempo, mesmo não tendo o gene para isso. Será que há algo de errado nele ou está apenas por uma expansão natural do seu poder? Para piorar, Jack Landers, o homem que tentou assassinar seu pai, está de volta, aparecendo em diferentes momentos da sua vida. A organização Hourglass acaba não tendo escolha. Ou encontram Jack e os documentos que ele roubou ou a linha do tempo será alterada definitivamente. Fazendo uso do seu novo poder, Kaleb, Emmerson, Michael e outros integrantes da Hourglass partem em busca do perigoso vilão.

Não tem nada melhor do que ler um livro, gostar, criar expectativas pelo próximo e terminar feliz com mais uma etapa da série (neste caso, trilogia), muito bem conduzida. Quando conheci Amor contra o tempo tive medo de que a história fosse confusa porque é sobre viagem no tempo. Mas Myra McEntire escolheu um caminho simples e muito bem montado para contar sua história. 

Embora no primeiro livro existam muitas dúvidas e detalhes que nem mesmo os personagens conhecem, é impossível não se envolver com a história. No primeiro volume a narrativa é sob o ponto de vista de Em e, ao mesmo tempo que ela conclui que não é maluca, precisa lidar com seus sentimentos a todo vapor. Sim, se aproxima muito do que encontramos em outros livros do gênero. 

Contudo, na continuação, Tempo em fúria, temos a visão de Kaleb, personagem que conhecemos e nos familiarizamos muito bem em Amor contra o tempo. Se a história foi envolvente vista por Em, multiplique por 10 com o novo narrador. Sim, felizmente a trilogia Hourglass não teve a tão temida maldição do 2º livro. 

O primeiro ponto que merece destaque é que Myra McEntire conseguiu criar uma característica própria para seu personagem masculino. Kaleb se diferencia muito de Em e isso fica claro desde sua forma de pensar até a maneira como se comporta e as decisões que toma. Outro aspecto que preciso ressaltar é que, ainda bem, a autora resolveu fugir da fórmula triângulo amoroso. Até temos essa impressão no começo, mas logo um novo laço entre personagens, que já tinha faiscado no primeiro livro, se torna real. 

Em Amor contra o tempo temos muitas perguntas, assim como os personagens. Tempo em fúria já começa com o caos total. As consequências do que aconteceu no final primeiro livro estão transformando o presente a cada dia. A Hourglass e sua equipe não têm ideia de onde começar para reparar os erros de dobras interferidas. E, além de um vilão já conhecido no 1º volume, temos mais personagens lutando para conhecer todos os segredos de manipular o tempo e espaço. 


Myra McEntire dá muitas respostas em Tempo em fúria e as peças da grande trama da trilogia começam a fazer mais sentido. Porém, outras tantas dúvidas surgem e isso me deixa com certo receio de como a trilogia será concluída. Além dos vários detalhes, esse livro traz novos personagens, todos com grande relevância para o desenrolar final. Então, além do enredo em si, ela terá que encerrar a perspectiva de cada personagem e explicar muito bem como as dobras serão (ou não) resolvidas. 

Apesar de ter medo do que acontecerá em Infinityglass (título em inglês, que não tenho ideia de como será traduzido porque no livro se refere a um objeto), a forma como Myra McEntire conduz sua trama me deixou mais do que presa. A cada capítulo você quer saber o que acontecerá no seguinte e no próximo e quando percebe tu já terminou a leitura. 

Vale mencionar, novamente, que a explicação científica é relativamente simples. Se você procura por tramas intricadas, talvez esse não seja o livro para você. Já para quem está curioso por algo do gênero, vale começar, para entender a ideia geral dessa categoria. Como eu gostei, indico para todos os leitores, assim poderemos conversar mais sobre ele. 

Embora eu ache as capas americanas bem mais chamativas, as brasileiras também são legais. E, apesar de o livro ser narrado por um menino e a capa permanecer com uma menina, isso tem uma explicação, ok? As páginas são amarelas, diagramação simples e boa revisão. Ah! Eu adorei o título em português. Explica totalmente a ideia do livro. 

Você aí, já leu Tempo em fúria? O que achou? Se ainda não conhece, ficou interessado? Conte nos comentários!

Beijos!
Foto: Nine Stecanella
*Livro recebido da editora Galera Record
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine