Princesas e damas encantadas de Joseph Jacobs

23 de março de 2012




Princesas e damas encantadas
Organizador: Joseph Jacobs
Editora: Martin Claret
Edição: 2012
Páginas: 128
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Diferentemente do estereótipo de princesa que conhecemos – mulher frágil e sempre à espera de um bondoso e belo cavaleiro que a proteja –, as princesas celtas são mulheres corajosas que enfrentam os mais temíveis perigos para conquistarem a felicidade. Elas combatem bruxas tiranas, recusam casamentos forçados, lutam pelos homens que amam e até mesmo os salvam de emboscadas. São espertas, hábeis e cheias de truques de magia. Em Princesas e damas encantadas, estão reunidos contos da cultura celta que foram recolhidos da tradição oral e recontados por Joseph Jacobs, folclorista e estudioso dos mitos e lendas britânicos. Constituem este volume 12 contos de princesas muito corajosas e de damas misteriosas e mágicas. Aqui, revelam-se outras versões para muitas histórias que você conhece, ou imaginava conhecer.

Antes de falar propriamente do livro é preciso lembrar algumas das principais características dos contos de fadas: são histórias curtas, que tem como objetivo ressaltar conhecimentos e valores e, além disso, apresentar protagonistas (heróis, por exemplo), que sempre superam grandes obstáculos e no final vencem o mal. As versões mais populares para o público ocidental são dos alemães Jacob e Wilhelm, os Irmãos Grimm. E posteriormente as adaptações da Disney

Porém, ao começar a ler Princesas e damas encantadas: contos de fadas celtas, é preciso ter em mente que estes 12 contos organizados pelo britânico Joseph Jacobs tem características diferentes das versões mais consagradas. Acredito que em algum momento da história, quando a tradição oral surgiu, todas as versões se fossem parecidas. No entanto, com o passar das décadas (séculos, até mesmo), cada região do mundo foi aproximando as histórias de suas características culturais.

Como a sinopse apresenta, as personagens dos contos celtas são fortes, valentes e ambiciosas. Não existe a fragilidade excessiva das princesas que precisam da figura masculina, do pai ou do marido (príncipe) para defendê-las. A atmosfera romântica do livro é mais singela, entretanto, mais verdadeira. 

O ponto que mais gostei dos contos celtas foi a atmosfera sombria. O mistério permeia a maioria das histórias, assim como os personagens sinistros e o ambiente amedrontador. Existem elementos em comum com as versões mais populares, como um certo sapato ou um envenenamento, mas no geral são uma mistura de contos de fadas e terror.


Sobre a edição: gostei da capa. A imagem representa muito bem a essência das personagens. A diagramação é simples e não prejudica a leitura. Não encontrei problemas de tradução, mas é bom ressaltar que o texto é repetitivo, uma característica marcante dos contos de fadas.

Indico o livro para quem gosta de cultura celta e contos de fadas, além de professores que trabalham com o gênero em sala de aula.

Beijos!

*Livro recebido da editora Martin Claret
**Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine