Marcada

26 de janeiro de 2010


Sim pessoal, comecei a ler a nova série adolescente que também trata de vampiros.

Ao contrário do que muitos imaginam a história de Zoey não tem nada de muito parecido com a Saga Crepúsculo. Pelo menos até a página 163, onde me encontro agora. 

Cofesso que achei esse livro mais realista. Mais adolescente.
Uma história empolgante e atraente, de fácil leitura. Inclusive a passagem da vida humana para a vida vampira é muito diferente. Os conflitos enfrentados por Zoey lembram muito nossos tempos de colégio, nossa família. Assim como a mudança que acontece em sua vida, como todos nós, de maneiras diferentes, temos que enfrentar.

Quando terminar de ler todo o livro volto aqui pra contar mais.
Amanhã também tem mais um post sobre leitura.

Faça a sua.

Allan Poe

21 de janeiro de 2010

A desgraça se apresenta sob muitos aspectos. O infortúnio da terra sob muitos disfarces. Abraçando o vasto horizonte como o arco-íris, suas tonalidades são tão variadas quanto as nuances daquele arco - e igualmente distintas, emborasejam intimamente misturadas. Abarcando o amplo horizonte como faz o arco-íris! Como se explica que de uma imagem tão bela eu tenha derivado um exemplo de fealdade? Como retirei do símbolo da aliança da paz um exemplo de infortúnio? Do mesmo modo que na ética o mal é uma conseqüência do bem, é de fato da alegria que nasce a infelicidade. Seja porque a lembrança da felicidade passada nos enche hoje de angústia: ou porque nos entregamos às agonias que se originam no êxtase do que poderia ter sido.

Quem ainda não conhece, perde muito em mistério e lição.
Início de Berenice - Edgar Allan Poe

Os vampiros verdadeiros - O Turno da Noite

13 de janeiro de 2010




Minhas metas de leitura ficaram bem abaixo do esperado em 2009. Sinal que em 2010 tenho que correr atrás. 

*** 

Minha paixão por vampiros começou antes do Crepúsculo, mas sim, sou uma fã da saga de Bella e Edward. Porém, gosto de vampiros mais reais, esses da obra de André Vianco. Estou no fim do terceiro livro da série (ou saga) O Turno da Noite. Se não fosse pela falta de tempo, ano passado, tinha lido os três. O Livro de Jó, sem dúvida, é o que mais gostei. Não por ser o último, mas pelo enredo ser contagiante. Você não consegue parar.

Se você gosta de seres noturnos, ou uma literatura que não se resumi a livros de auto-ajuda, leia André Vianco. Não tô fazendo nenhum julgamente, até porque todas as obras do autor trazem uma mensagem por trás da história principal. Só me dei conta de uma coisa tarde: todas as obras dele estão interligadas, principalmente em função dos personagens, pra entender ela no todo é preciso ler todos os livros.

Beijos!