Correio #11

28 de dezembro de 2010



Beijos!

A revolução dos bichos de George Orwell

27 de dezembro de 2010




A revolução dos bichos
Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Edição: 2007
Páginas: 147
Compre no Submarino

Cansados da exploração a que são submetidos pelos humanos, os animais da Granja do Solar rebelam-se contra seus donos e tomam posse da fazenda, com o objetivo de instituir um sistema cooperativo e igualitário, sob o slogan “Quatro pernas bom, duas pernas ruim”. Mas não demora muito para que alguns bichos – em particular os mais inteligentes, os porcos – voltem a usufruir de privilégios, reinstituindo aos poucos um regime de opressão, agora inspirado no lema “Todos os bichos são iguais, mas alguns bichos são mais iguais que outros”. A história da insurreição libertária dos animais é reescrita de modo a justificar a nova tirania, e os dissidentes desaparecem ou são silenciados à força. Instrumentalizada na época da Guerra Fria como arma anticomunista, A Revolução dos bichos transcende os marcos históricos da ditadura stalinista que a inspirou e resplandece hoje, passados mais de sessenta anos de seu surgimento, como uma das mais extraordinárias fábulas sobre o poder que a literatura já produziu.

10 livros favoritos de 2010

26 de dezembro de 2010


Olá guris e gurias, tudo bem? 
Sei que falta uma semana para o fim do ano, mas já vou postar minha lista dos 10 livros que mais gostei em 2010. São livros de vários estilos diferentes lidos ao longo desse ano. Espero que gostem e quem quiser, faça a lista e depois mande o link aqui nos comentários.


1. A Revolução do Bichos



2. O Hobbit



3. Fade



4. Sussurro



5. Doidas e Santas



6. O silêncio das Mariposas



7. O Restaurante no fim do Universo



8. Percy Jackson e os Olimpianos - O Ladrão de Raios



9. Diários do Vampiro - A Fúria



10. Identidade


Beijos!

O Rei e o Camaleão de C.N. David

23 de dezembro de 2010





O Rei e o Camaleão
Autor: C.N. David
Editora: Ideias a Granel
Edição: 2006
Páginas: 120
| Skoob |

O livro compõe-se de duas histórias destinadas ao público jovem e adulto. "O Monge Rei" passa-se em um reino fictício no que se poderia comparar a Idade Média, época de reis, castelos e lutas de espada. Já "O Camaleão" é uma ficção espacial que conta a história de um agente secreto que tem a peculiar característica de seu um transmorfo. Ambas nos remetem àqueles sábados em que a geração que passou sua infância nos anos oitenta assistia a seriados enlatados e colecionava revistas em quadrinhos.

Promoção - As Crônicas de Nárnia

Olá guris e gurias. Tudo bem?
Depois de algum tempo, muitas divulgações e pedidos de acesso ao blog, cheguei aos 400 seguidores.  E como prometido, uma nova promoção. Dessa vez, o livro do sorteio será As Crônicas de Nárnia - Volume Único. E como já fiz uma promoção cultural, essa seguirá os velhos moldes de sorteio. 

REGRAS:
- Ter endereço de entrega no Brasil
- Seguir o blog publicamente
- Preencher o FORMULÁRIO
- Deixar um comentário nesse post com nome de seguidor do blog e também do Twitter

MAIS PONTOS:
- No Twitter, seguir @nine_stecanella e divulgar a seguinte frase [a cada duas horas e preencher o formulário a cada divulgação]

#Promoção: no blog da @nine_stecanella sorteio de As Crônicas de Nárnia. Participe http://migre.me/38S8A

- Divulgar o banner da promoção nas redes sociais [preencher o formulário a cada rede social divulgada com o link de onde está hospedado o banner]


ATENÇÃO:
- A promoção segue até o dia 20 de janeiro
- O ganhador será divulgado aqui no blog e também será avisado por e-mail
- O vencedor terá que seguir todas as regras [é claro] e terá até 48hs para responder o e-mail, caso contrário, um novo sorteio será feito
- O sorteio será feito pelo site random.org



Correio #10

21 de dezembro de 2010






Beijos!

A breve segunda vida de Bree Tanner

18 de dezembro de 2010





A breve segunda vida de Bree Tanner
Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Edição: 2010
Páginas: 191
Compre no Submarino 

“Eu vi a postura dele mudar. Ele se abaixou no telhado, uma das mãos agarrada à beirada. Toda aquela estranha simpatia havia desaparecido – era agora um predador. Isso era algo que eu reconhecia, algo com que me sentia confortável. Porque isso eu entendia. Desliguei meu cérebro. Era hora de caçar. Respirei fundo, inalando o odor do sangue no corpo das pessoas lá embaixo. Não eram os únicos humanos por perto, mas eram os mais próximos. Quem você caça é o tipo de decisão que se deve tomar antes de farejar a presa. Agora já era tarde demais para fazer qualquer escolha.”

O silêncio das mariposas de Juliano Schiavo

16 de dezembro de 2010




O silêncio das Mariposas
Autor: Juliano Schiavo
Editora: Anthology [Multifoco]
Edição: 2010
Páginas: 214
Skoob |

Apenas o silêncio das mariposas pode ser alcançado – mesmo que cause dor e desconforto. E tudo por causa de um beijo, um beijo vampiro, num baile de máscaras, numa noite em que a lua cheia banhava o céu com uma cor prateada. E, neste turbilhão de sensações e metáforas, eis que o drama se inicia e se desenrola numa teia tecida por relatos de uma face sem sexo e sem nome, apenas com uma cicatriz.

Correio#9.3

13 de dezembro de 2010

Adaptação do meme criado pela Kristi do blog The Story Siren.


Beijos!

Fade: Desvanecer de Lisa McMann

9 de dezembro de 2010




Fade: Desvanecer
Autora: Lisa McMann
Editora: Novo Século
Edição: 2010
Páginas: 240
Compre no Submarino

Para Janie e Cabel a viada real está se tornando mais difícil do que os sonhos. Eles estão tentando (em segredo) passar um tempo juntos, mas ainda não tiveram esta sorte. Coisas pertubadoras estão acontecendo em Fieldridge High, mas ninguém quer falar a respeito. Quando Janie penetra os pesadelos violentos de um colega de classe, o caso finalmente se torna claro, mas nada sai como o planejado. A cabeça confusa de Janie e o comportamento chocante de Cabe têm graves conseqüências para ambos. Pior, Janie descobre a verdade sobre si mesma e sua habilidade. E é desolador. Realmente desolador. Não só o seu destino está selado como o que está por vir é muito mais sombrio que seu pior pesadelo.

Percy Jackson e os Olimpianos: Ladrão de Raios - direção de Chris Columbus

8 de dezembro de 2010



Vou começar contando meu drama pessoal com esse filme. Tentei assistir ele uma vez. Quando chegou aos 20 minutos não consegui mais. Não deu. Achei muito forçado. Mas pensei: "ah, não li o livro, deve ser impressão minha". OK. Duas semanas depois fui para a segunda tentativa. Chegou perto dos 40 minutos. Aí perdi a paciência e praticamente jurei não tentar assistir nunca mais! Só que... Eu tive a brilhante ideia de fazer a resenha do livro e, caso esse tivesse um filme que fosse baseado/ adaptado/ versão [assunto para um outro post], escreveria uma resenha deste também. Aloka ,Janine! Então li o livro e precisava ver o filme, graças a essa brilhante regra que eu inventei. 

Então essa resenha terá duas versões! 

1. Para você que não leu Percy Jackson e os Olimpianos - Ladrão de Raios
O filme não passa de aceitável. Mesmo! Tudo bem que a história se passa no século XXI e o Percy descobre isso em uma realidade em que nada faz sentido, mas va lá, colocar Lady Gaga no filme não passou de uma jogada comercial, afinal a cantora é o maior fenômeno musical dos últimos tempos. OK. Aí vem toda a coisa do Acampamento Meio Sangue, a acusação de roubo do raio-mestre e a aventura dos três adolescentes. Tudo nos conformes caso você não tenha lido o livro. Moral da história: Percy Jackson alcança seu objetivo!

2. Para você que leu Percy Jackson e os Olimpianos - Ladrão de Raios
Não, não, não. Isso não é uma adaptação. Isso é, talvez, uma versão. PeloamordeDeus! Do meu ponto de vista, a adaptação não transforma fatos de extrema importância em secundários ou inexistentes! Vamos ao primeiro: Percy sobe nas costas do Minotauro e assim quebra seu chifre o destrói. Não é com a ajuda de uma árvore. Sem contar nas falas dos personagens em uma das primeiras cenas do Acampamento Meio Sangue, todas invertidas. Annabeth não é da equipe rival na caça à bandeira. A aventura deles não é em busca das pérolas. Perséfone é citada brevemente no livro e o Hades não parece com o Ronnie James Dio. Quem fica no submundo é a mãe de Percy e não o Grover. A cena mais próxima do livro é a da Medusa. E só! E no final, Percy decide morar com sua mãe e voltar ao Acampamento Meio Sangue só no verão. No filme, ele fica lá. Enfim, se foi difícil assistir o filme sem ler o livro, depois de ler ficou quase impossível, mas assisti. 

Aí vocês me perguntam: Janine, tu não gostou de nada? Sim, gostei do elenco, embora os personagens dos adolescentes sejam grandes para época do livro, mas gostei deles. Sem mais considerações.

ASSISTA AO TRAILER


Beijos!

Percy Jackson e os Olimpianos: O ladrão de raios de Rick Riordan

7 de dezembro de 2010






O ladrão de raios
#1 Percy Jackson e os Olimpianos
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Edição: 2010/ 2ª edição
Páginas: 387
Compre no Submarino

E se os deuses do Olimpo estivessem vivos em pleno século XXI? E se eles ainda se apaixonassem por mortais e tivessem filhos que pudessem se tornar heróis? Segundo a lenda da Antiguidade, a maior parte deles, marcados pelo destino, dificilmente chegavam a adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.

Caçada de P.C. Cast e Kristin Cast

4 de dezembro de 2010



Caçada
Autoras: P.C. Cast e Kristin Cast
Editora: Novo Século
Edição: 2010
Páginas: 389 
Compre no Submarino

Novos personagens e cenários são inseridos neste quinto livro da série House of Night. Neferet, após conquistar um novo e poderoso aliado, Kalona, vira as costas para a Deus Nyx. Juntos, arquitetam terríveis planos. O passado vem à tona, influenciando escolhas fundamentais. A Morada da Noite é ocupada por criaturas demoníacas, que sob o comando de Kalona, um ser incrivelmente belo, mantém o domínio sobre quase todos os alunos e professores. O único lugar relativamente seguro para Zoey e seus amigos é um local escondido, subterrâneo, onde uma nova raça de vampiros habita. Parece não haver fim para os problemas que continuam a surgir. O mal se abate sobre o centro de Tulsa, gerando não só caos terreno, mas também um grande e doloroso massacre. Será Zoey forte e sábia o suficiente para enfrentar tudo que está por vir?

Correio#9.2

3 de dezembro de 2010

Adaptação do meme criado pela blogueira Kristi do blog The Story Siren.


Beijos!



Mal – humorados: um guia de conduta para com eles

1 de dezembro de 2010







Há pessoas que acordam todo santo dia de mau humor. Considero tal comportamento irritante e irrito-me muito por estar consciente de que sou uma dessas pessoas. Aliás, para ser mais específico, eu não acordo. Eu regresso de uma breve temporada de hibernação. E coitado d vivente que disser: Bom dia! Certo. Com o passar das horas vou me tornando menos insuportável – para os outros e pra mim mesmo – e, dizem alguns, lá pelas 19 horas até passo a ser uma companhia tolerável. Inclusive gostaria de deixar por escrito meu protesto contra o sujeito que considerou uma ideia plausível os viventes urbanos acordarem antes das 9 horas.

OK! É difícil escrever uma resenha sobre o livro de um amigo. Mas não vai ter puxa-saquismo. Conheço o Maurício há tempo suficiente para saber que isso seria uma péssima ideia! São doze contos/ crônicas, que no minimo, te fazem rachar de rir!

Fazem mais que isso! O livro é um exemplo de que como certas coisas se repetem na casa e na vida de qualquer pessoa do planeta. Mesmo! Mudando o cenário e os personagens, mas a essência das ações, estão lá! Na minha, na tua e na casa do vizinho! 

É fácil identificar um personagem do livro com alguém conhecido. Um amigo. Um amigo do amigo. Ou até mesmo você! Vale muito ler não só pelas risadas, não só pela descrição urbana dos guris e das gurias. Vale pela leveza e descontração. Vale por poder carregar ele na bolsa, na mochila ou na pochete e sempre que o mau-humor chegar, abrir e ler! 

O título tem muitos sentidos. Pelo menos para mim! E quem ler, com certeza, vai encontrar suas próprias explicações. O melhor disse tudo é que o livro é uma extensão do Kehrwald [Maurício/ Eduardo/ Alejándro]. Sim, tudo isso que ele escreve, embora ele não tenha dito com todas as letras, é baseado em fatos reais. E se você, que tá lendo essa resenha, tiver oportunidade de conhecer ele, vai perceber que ele é isso mesmo: um mau-humorado com humor!

Sem mais! 

Mal – humorados: um guia de conduta para elesAutor: Maurício Kehrwald
Editora: Maneco
Edição: 2009

Beijos!

Notas do subsolo de Fiódor Dostoiévski

29 de novembro de 2010





Notas do Subsolo
Autor: Fiódor Dostoiévski
Editora: LePM Pocket
Edição: 2010
Páginas: 149
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Esta obra, publicada inicialmente na revista Epokha, editada por Dostoiévski e por seu irmão Mikhail, traz em si várias discussões filosóficas. Dividida em duas partes, é um autoflagelante monólogo no qual o narrador, um rebelde contrário ao materialismo e ao conformismo. Discute sua visão negativa do mundo e aborda as principais questões do seu tempo, constituindo uma narrativa de uma intensidade incomum.

Não é fácil falar de Dostoiévski. Livros assim me deixam em dúvida sobre escrever aqui no blog. Mas Notas do subsolo é uma obra incrível. Verdade que não é uma leitura fácil e fluída como outros livros, mas vale a pena.

Para não estender muito, o monólogo é uma crítica clara a sociedade russa [que na verdade, serve para o resto do mundo]. É verdade que Dostoiévski fala através de um personagem, mas na verdade é sua opinião exposta em uma obra que faz pensar sobre nossos atuais valores. 

Um protagonista sádico e idealista, que por vezes faz com que o leitor questione sua sanidade mental, mas que acredita na inteligência em primeiro lugar. É visto como um excluído uma vez que a realidade a sua volta [as pessoas] se preocupam mais com medalhas, aquisições e aparências. 

O mais incrível do livro são as contradições que o protagonista sofre. Embora tenha uma idéia bem particular sobre todas as coisas, por vezes se perde em pensamentos e tenta se incluir em grupos que não querem incluí-lo. Isso faz com que o livro tenha, de certa forma, um humor ácido, já que isso acontece com todos nós, em algum momento. 

Para entender e ter suas próprias conclusão leia o Nota do subsolo. Vale muito a pena já que tudo se aplica aos dias de hoje. 

Beijos!
*Ajude o blog comprando pelo link indicado no post ou através do banner do Submarino;
as compras pagas geram comissão ao Estante da Nine

Promoção "Wishing a Book"

27 de novembro de 2010



Ano Novo chegando e nada melhor do que renovar a estante.

Para ajudá-lo, 7 blogs se reuniram e criaram uma promoção para agitar o fim de ano, fazendo seu 2011 começar com o “pé” direito.


Cada blog cedeu no mínimo um livro, além da contar com a contribuição dos autores Loraine Pivatto, Roberta Polito, Vanessa Bosso, Claudio Formiga, Eliana Portella, Lycia Barros e José Oliveira.

Quer começar o próximo ano com livros novos? Então participe da promoção: “Wishing a Book”! A promoção sorteará 14 livros. Cada livro terá um ganhador!


Quer saber quais livros você poderá ganhar? Confira a lista abaixo:
1 – Halo
2 – Perfeitos
3 – Interligados
4 – Percy Jackson e o Último Olimpiano
5 – Diários do Vampiro, O Despertar
6 – Fade
7 – Sábado a Noite
8 – Amores Incertos
9 – Perseguição Digital
10 – Bubble Gum
11 – 2012, Uma Aventura no Fim do Mundo
12 – Penitenciária Central
13 – Viciado Carioca
14 – O Réu dos Sonhos


E para completar a wish list, os prêmios incluirão marcadores e brindes!


REGRAS:
1 – Seguir todos os blogs:
Para seguir o blog, basta clicar em SEGUIR na coluna ao lado das postagens.
Guardiã da Meia-Noite
Guria que Lê
Janine Stecanella
Literatura de Cabeça
Queria Ser Vampira*
Sentimento nos Livros
TnTaylor
*Apenas para seguidores do twitter.

2 – Preencher o seguinte formulário em qualquer um dos blogs participantes;
3 –  Comentar neste post não se esquecendo de colocar nome de seguidor do blog e do twitter (caso você divulgue lá). Apenas um comentário por pessoa;
4 –  Ser residente no Brasil
5 – Para ganhar um número extra, basta seguir o twitter de cada blog, acessando http://twitter.com/nine_stecanella e clicar “follow”. Deve preencher o formulário novamente para cada blog que segue (se segue os 7 blogs, preenche mais 7 vezes o formulário).
6 –  Para ganhar mais um número, envie um tweet a cada 12 horas com a frase abaixo e preencher o formulário novamente a cada divulgação:

Eu participo da #promoção “Wishing a book” da @nine_stecanella. São 14 livros e 14 ganhadores. Eu quero o meu e você? http://migre.me/2x3dY

Caso a pessoa não cumpra as regras será desclassificada automaticamente.

Considerações:
1. O sorteio será feito pelo "random.org".
2. A promoção tem seu início dia 27/11/2010 e será válida até as 23h59min do dia 09/01/2011.
3. No dia 10/01/2011 postaremos o resultado em todos os blogs participantes e os ganhadores terão até 2 dias para responder.


Vai perder essa? Claro que não... Participe!

Wake de Lisa McMann

25 de novembro de 2010









Para Janie, uma garota de 17 anos, ser sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas está se tornando normal. Ela não pode contar a ninguém sobre isso – eles nunca acreditariam, ou pior, achariam que é uma aberração. Então, ela vive no limite, amaldiçoada com uma habilidade que não quer e não pode controlar. Mas, de repente, Janie fica presa em um pesadelo horrível, que lhe causa um imenso terror. Pela primeira vez, ela é mais do que uma mera espectadora, Janie se torna uma participante.


No início achava esse livro atraente. Depois de algumas resenhas negativas fiquei em dúvida. Em seguida a Etiene [Aprendiz de Cinema] e a Juh Oliveto [Livros e Bolinhos] decretaram a sentença: eu precisava ler Wake.

Já falei por aí, nos vídeos e no blog [eu acho] que sempre fico com um pé atrás com aqueles livros que se tornam febre. Alguns leio porque fico curiosa, outros leio porque gosto do tema. Livros como os do Nicholas Sparks nunca entraram na minha lista de compras, como falo sempre, não tô no “clima” de histórias como as dele. E livros que recebem muitas críticas negativas também me chamam a atenção, como boa curiosa.

No fundo sempre quis ler Wake. A Etiene e a Juh reforçaram e eu tenho que confessar: AMEI esse livro. Mesmo! Depois de Sussurro, que até o momento é meu sobrenatural preferido, Wake vem logo atrás.

No início, foi difícil se acostumar com ritmo do livro e os sonhos que Janie não conseguia fugir. Depois de algumas páginas isso fica fácil. Aliás, o tema do livro foi o principal motivo da minha paixão pela história. Janie descobre com apenas oito anos que é uma apanhadora de sonhos. Imagine você, uma criança, no lugar dela. A personalidade é outro ponto forte pra mim. Janie tem uma mãe que pouco se importa com ela, a casa e tudo que passa ao seu redor. Logo, ela teria todos os motivos pra ser uma protagonista fútil e mesquinha, mas não é!

A paixão entre Janie e Cabel também é uma coisa bem real. Afinal, esses dramas escolares são totalmente realidade: o cara que acha o garota estranha e vice-e-versa. Tá, é um clichê teen, mas funcionou bem no fim de Wake, quando tudo aquilo que Cabel esconde se revela. E claro, NUNCA eu ia imaginar uma coisa daquelas.

Gosto também da relação de Janie com o asilo. Como adolescente, não é um lugar muito comum para se trabalhar, principalmente por todos os cuidados que as pessoas idosas e debilitadas demandam. Mas como quer ir para faculdade, arrisca até seu segredo pelo seu salário, e ao longo da narrativa e com os sonhos que “vê” e conhece um pouco mais de cada pessoa que está internada lá.

Wake não é uma fábula ou conto de fadas moderno. Wake é realista. E foi por isso que gostei tanto dele. Janie é uma adolescente que parece uma [de verdade]. Cabel é um adolescente, que passou por muitas coisas que os adolescentes passam [erros e acertos]. A escola, os amigos e a mãe de Janie, tudo isso compõe um belo cenário de “drama”. Do tipo que a gente pode encontrar na nossa casa, ou no vizinho ao lado.

Wake
Autora: Lisa McMann
Editora: Novo Século
Edição: 2010

Beijos!

Promoção Halo

23 de novembro de 2010


Olá gente! Enfim o blog chegou aos 200 seguidores. Então, como prometido, tem promoção de Halo. \o/



Na enquete, a diferença foi muito grande.



Como participar? É simples. Não será sorteio, será a melhor resposta!
É preciso seguir todas as regras!

REGRAS:
  • Ser seguidor público do blog
  • Deixar um comentário neste post
  • Preencher o formulário [AQUI]


OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
  • Cada participante poderá enviar até DUAS respostas! 
  • A promoção vai de 23/11/2010 até 05/01/2011
  • O resultado com a melhor resposta será divulgado no dia 08/01/2011

Conto com vocês para ajudar na divulgação através do Twitter.

Beijos!

Correio#9.1

22 de novembro de 2010

Adaptação do meme criado pela blogueira Kristi do blog The Story Siren.


Beijos!

Indomada de P.C. Cast e Kristin Cast

19 de novembro de 2010



A vida se complica quando seus amigos estão furiosos com você. Basta perguntar a Zoey. Ela se tornou uma especialista no assunto. Mas mesmo rejeitada, ela não os culpa, sabe que é apenas uma conseqüência de seus próprios atos. Neste quarto livro da série HOUSE OF NIGHT, Aphrodite tem novas visões sangrentas, que incluem uma grande guerra entre vampiros e humanos, liderada por Neferet, e a morte de Zoey. As mudanças ocorrem tão rápido que parece que toda a lógica desapareceu do mundo. Lealdades são testadas, intenções verdadeiras e chocantes vêm à luz, e um antigo mal desperta. Zoey sente que deve mudar o curso das coisas, mas ninguém parece ouvi-la.

ATENÇÃO! ESSA RESENHA CONTÉM MUITOS SPOILERS!

Cheguei ao quarto livro da série House of Night e foi uma ótima ideia continuar lendo. Mas antes de falar do livro, vou fazer algumas considerações.

1 – Essa é uma das séries que gera muita controvérsia. O primeiro e segundo livros [Marcada e Traída] não foram bons. Eram repetitivos e chatos e também achei pessimamente escritos. Não sei se quem leu inglês teve a mesma impressão;

2 – Mas se era chato porque tu continuou lendo Nine? Simples, quando comprei esses livros, comprei os três primeiros juntos, logo, quando terminei de ler Traída, já tinha o Escolhida, e como eu já tinha na coleção resolvi ler. E foi aí que as coisas mudaram; 

3 – Realmente Indomada não parece escrito pelas mesmas autoras, mas... 

4 – Eu não recomendo essa série para quem nunca leu nenhum dos livros por dois motivos: 1º porque serão 13 livros [se não me engano]. Não quero carregar o peso de indicar uma série tão grande correndo o risco de 80% das pessoas não gostarem. 2º porque ela não é incrível. Na minha opinião é boa. E só. 

Pois bem! Depois de deixar seus amigos furiosos, Zoey tenta de todas as maneiras provar que tudo foi para o bem deles. E mais, Aphrodite se torna sua única amiga nesses primeiros momentos de Indomada. Uma mudança e tanto, já que as duas eram inimigas quando Zoey chegou na Morada da Noite e tomou todas as atenções.

Depois de algumas folhas, Zoey enfim explica parte da confusão aos amigos e tudo volta ao normal. Só que claro, por um motivo grave: a visão de Aphrodite que mostra duas “versões” da morte de Zoey e o verdadeiro apocalipse entre vampiros e humanos. Mas é azarada. Desde que ela entrou na Morada da Noite só se meteu em confusão. Para amenizar a situação, uma visita inesperada chega na escola para evitar que Neferet inicie sua guerra contra os humanos. Depois de muita cena, a grande sacerdotisa consegue concluir seu plano, despertar um grande e poderoso mal. 

Aí, mais uma vez, começa o heroísmo de Zoey. Sim, ela salva e protege os amigos, consegue fugir da Morada da Noite graças ao seu círculo com os cinco elementos e vai para as passagens subterrâneas onde Stevie Ray morava com os “novatos vermelhos”. E aí a coisa toda só vai continuar em Caçada, que espero começar a ler semana que vem!

Não citei acima porque quis deixar para o final, mas é claro que Zoey, com os hormônios mais acelerados que carro de Fórmula 1, está mais uma vez toda encrencada com aquele monte de meninos. O ex-namorado humano. Eric Night que volta para a escola como professor. E um novo aluno, arqueiro, que nem bem chegou já foi morto por Neferet como parte do plano para despertar Kaloma!

Quem começou a ler House of Night e parou, continuar vai garantir algumas surpresas. Quem ainda não leu, reserve um tempinho, aproveite as promoções dos primeiros livros da série, porque a cada novo volume, a história ganha mais aventura, mistério e magia.

Beijos!


Correio #8

16 de novembro de 2010


Beijos!

Promo Merry Christmas

12 de novembro de 2010



REGRAS
  • Seguir publicamente os blogs Janine Stecanella e Teto de Livro
  • Deixar sua resposta nesse post com e-mail para contato. 
  • Ter endereço de entrega no Brasil
IMPORTANTE
A promoção encerra no dia 15 de dezembro.
Cada participante poderá enviar apena UMA resposta.
O vencedor precisa seguir TODAS as regras, caso contrário, outra resposta será escolhida.

Beijos!

Garota da Vitrine [Shopgirl] - direção de Anand Tucker

11 de novembro de 2010


Olá pessoal!
Para entender um pouco desse post seria bom ler o logo abaixo sobre A balconista! O filme Garota da Vitrine [Shopgirl, em inglês] é baseado no livro de Steve Martin. Gostei muito mais do livro, mas vou tentar falar um pouco sobre o que eu achei desse filme.

Mirabelle (Claire Danes) é uma jovem que trabalha na seção de luvas da Saks Fith Avenue, em Beverly Hills. Ela é uma artista que luta para se manter, vivendo sempre no limite do cartão de crédito e empréstimos bancários. Até que encontra Ray Porter (Steve Martin), um homem bem mais velho por quem se apaixona. A partir de então sua vida muda drasticamente, com os problemas financeiros ficando no passado. Porém, quando sua vida parecia ter entrado nos eixos, ela passa a ser assediada por Jeremy (Jason Schwartzmann), um músico recém-formado.

Falando em partes - gostei muito do cenário. Foi bem fiel ao livro. O trabalho de Mirabelle, sua casa, a casa de Ray e Jeremy. Visualmente os personagens também se aproximaram muito daquilo que eu imaginei. Embora, o livro deixe claro que Mirabelle é sofisticada, achei ela mais para simples/ cafona no filme. Mas tudo isso fica de lado com a atuação de Claire Danes, que é ótima atriz. 

Falando diretamente da personagem principal, achei que os momentos dramáticos ficaram bem claros, mas o livro é muito mais engraçado. Isso não apareceu no filme. Assim, a adaptação ficou mais pesada, com o ritmo mais lento. Diria, bem chato, perto do livro, que acabei em um dia.

Não se tem muito o que falar de Ray Porter. Steve Martin incorporou fielmente o personagem que ele mesmo escreveu. Há algumas diferenças sim, mas é sempre bom lembrar que é uma adaptação. E sou da opinião que o livro é melhor em 90% das vezes [único caso que achei melhor a adaptação foi Diários do Vampiro]. Jeremy também é bem próximo do personagem do livro, mas achei ele mais infantil no filme. Já no fim de A balconista, Steve Martin dá uma ideia de uma madurecimento bem maior em Jeremy, no filme ele só troca de roupa e penteia o cabelo. 

As cenas de drama foram bem intensas, mas preciso repetir que o livro é mais empolgante e mais engraçado. Confesso que vi o filme em duas partes. Pouco depois da metade me cansei. Assisti o resto só no dia seguinte. De qualquer maneira, a mensagem do livro, foi a mesma do filme. Mirabelle supera os problemas, com dificuldades, sim, mas achei uma bela lição de superação. 

ASSISTA AO TRAILER

Mais informações e sinopse no Adoro Cinema

Beijos!

A balconista de Steve Martin

10 de novembro de 2010








Neste romance, Steve Martin mostra uma nova faceta de sua personalidade: um homem sério, sensível e inteligente, dotado de um humor fino, que não perde nem nas ocasiões mais delicadas. A balconista, sucesso de público e crítica nos EUA, é a história pungente de Mirabelle - uma bela mulher de 28 anos - e de seus sonhos, desejos e romances nas ruas de Los Angeles.

Nunca fui muito boa com a definição de um livro, mas esse é engraçado, sensível e dramático. Isso mesmo! Pode ser difícil imaginar uma história com sentimentos tão diferentes, mas a vida de Mirabelle circula por altos e baixos, como nós. É uma história muito, muito real.

Ela trabalha no departamento de luvas de uma grande loja. Mas sua paixão é o desenho. Esse é o primeiro conflito que o livro trás. Mirabelle tem sim ambição, mas como precisa pagar suas contas, continua atrás de seu balcão, passando dias e mais dias, entediada, olhando pras meninas dos outros departamentos, sempre com muitos clientes, e com uma pontinha de inveja.

Mirabelle também não tem muita sorte no amor. E esse é o principal tema do livro. Seu relacionamento com um homem mais velho não termina como ela [e nós] imaginamos. E quando chega o momento mais dramático, ela toma sua decisão. Que não é fácil, mas é a mudança.

Ela também sofre de depressão, e um dos momentos mais delicados é quando os remédios param de fazer efeito, e tudo a sua volta perde o sentido. Embora pareça uma história triste, Steve Martin soube como colocar muito humor nela. E ao longo de todo livro é essa confusão de sentimentos. Choro e riso! 

No final, Mirabelle não encontra um grande amor, mas começa a dar um rumo na sua vida, o mais próximo daquilo que ela gostaria que fosse. E essa é a mensagem do livro: nada é fácil, sentimos amor e ódio ao mesmo tempo e precisamos escolher, caso contrário, uma decepção maior será somente nossa responsabilidade. 

Para entender melhor, vai uma mostra!

Na verdade, nessas festas, o poder permanece nas mãos de mulheres espiritualmente neuróticas, que atraem exatamente os homens que têm necessidade de domá-las. Mirabelle atrai outro tipo de homens, os mais tímidos e reticentes. Olham para ela por um longo tempo antes de se aproximar. Quando encontram alguma coisa nela que desejam, trata-se simplesmente de algo que está dentro dela.

Minha próxima resenha será sobre o filme baseado no livro.

Beijos!

O Hobbit de J.R.R. Tolkien

4 de novembro de 2010





Bilbo Bolseiro é um hobbit que leva uma vida confortável e sem ambições, raramente aventurando-se para além de sua despensa ou sua adega. Mas seu comportamento é perturbado quando Gandalf, o mago, e uma companhia de anões batem à sua porta e levam-no para uma expedição. Eles têm um plano para roubar o tesouro guardado por Smaug, o Magnífico, um grande e perigoso dragão. Bilbo reluta muito em participar da aventura mas acaba surpreendendo até a si mesmo com sua esperteza e sua habilidade como ladrão.

Provavelmente essa seja a "resenha" mais difícil de escrever até aqui. Estou falando de TOLKIEN. Não é de se espantar que faz uma semana que tento, e só agora resolvi escrever.

Você com certeza já ouviu falar de Tolkien, certo? Bom, nada do que eu escrever aqui vai chegar a grandeza de sua obra, de forma que não vai ser assim, uma resenha, vai ser mais como comentários do que eu achei desse livro, O Hobbit, que depois de muita luta judicial deve enfim começar a ser filmado, com previsão se lançamento para 2012.

Bilbo Bolseiro é nosso adorável hobbit que vive feliz na sua confortável toca até que Gandalf, o mago mais que misterioso, bate na sua porta com um bando de anões. Querem levar Bilbo a uma aventura em busca de um tesouro, guardado por Smaug, um dragão tão ambicioso que todo o ouro, prata e pedras preciosas que ele guarda com tanto zelo não lhe servem de nada, a não ser é claro, sua armadura composta de tudo isso. Sim, Smaug ficou tanto tempo sobre o tesouro que ouro, prata e pedras preciosas se juntaram ao seu corpo (diríamos assim, sua barriga) e o protegem como uma armadura, exceto, uma pequena parte no lado esquerdo, ou seja, o coração do dragão.

Bom, existe um motivo pra eu ter gostado tanto desse livro. Um não, vários. Primeiro a forma como Tolkien escreve. Ele conversa com o leitor. Segundo porque Bilbo é um reflexo do que todos nós somos. Vou explicar. Ele não queria sair de sua toca. Ele estava perfeitamente bem e não tinha interesse nenhum em aventuras. Mas Gandalf e os anões não lhe deram outra opção, então ele foi. Contra sua vontade.

Bilbo não imaginava o que a aventura seria, mesmo! Mas ele foi. E como hobbit, era considerado e mais fraco de todos. Os anões não entendiam porque raios Gandalf fazia tanta questão de que Bilbo Bolseiro fosse. O hobbit era atrapalhado, resmungão, e só falava na sua toca tão confortável e protegida e suas despensas lotadas, mas...

Como eu disse ali em cima, Galdalf era um mago muito misterioso, e como o objetivo não é contar detalhes do livro, mas só dar uma ideia, Galdalf se foi e deixou Bilbo no comando dos anões. E nessa altura do livro os anões já tinham uma outra visão do hobbit. O que quero dizer com tudo isso é o seguinte: Bilbo era hostilizado e desacreditado, só que ao longo da viagem não deixou se intimidar por isso, e foi aprendendo uma coisa aqui, outra ali, e no fim das contas, se tornou aquilo que era sua finalidade, um ladrão.

Como essa é uma "resenha" atípica, vou escrever dois trechos. E você que ainda não leu, LEIA!

Ladrões! Fogo! Assassínio! Uma coisa assim não acontecia desde que viera para a Montanha! Sua fúria ultrapassava qualquer descrição - o tipo de fúria que só se vê quando pessoas ricas, que têm mais do que podem apreciar, de repente, perdem algo que possuem há muito tempo, mas que nunca usaram ou quiseram. Arrotou fogo, o salão encheu-se de fumaça, ele sacudiu as raízes da montanha. Em vão forçou a cabeça contra a pequena abertura; depois, enrolando o corpo, saiu de seu covil profundo pela grande porta, pelos enormes corredores do palácio da montanha, subindo na direção do Portão Dianteiro.
- Não - disse Thorin - Há mais coisas boas em você do que você sabe, filho do Gentil Oeste. Alguma coragem e alguma sabedoria, misturadas na medida certa. Se mais de nós dessem mais valor a comida, bebida e música do que a tesouros, o mundo seria mais alegre. Mas, triste ou alegre, agora devo partir. Adeus!

Deu pra perceber que as críticas feitas por Tolkien ainda são bem válidas?!

E pra finalizar, prestem muito atenção no capítulo Adivinhas no escuro. Pra mim, o melhor. Tem nosso hobbit Bilbo Bolseiro, o Gollum, as adivinhas e um anel muito preciso!

Beijos!

Os segredos do Rei do Fogo de Kim Edwards

26 de outubro de 2010






Reunindo 14 contos ambientados em diferentes épocas e culturas. Os segredos do Rei do Fogo demonstra a habilidade notável de Kim Edwards de condensar em poucas páginas a essência de sentimentos complexos. Ao abordar temas como amizade, sexo, dinheiro, casamento, preconceito e religião, o livro apresenta surpreendentes trajetórias de vida de personagens tão diversos como um engolidor de fogo, uma pregadora evangélica, um americano e sua noiva coreana durante a Segunda Guerra Mundial [...].

Faz MUITO tempo que eu tenho esse livro. Certa vez comecei a ler, mas parei logo em seguida. Vi ele novamente e resolvi ler até o fim. Não conheço muito a Kim Edwards, autora desse livro e também de Guardião de Memórias. Mas não foi um livro que gostei. 

São 14 contos, como conta ali em cima, dos mais variados estilos. E esse foi um dos pontos que me afastaram do livro. São muitas situações diferentes, muitas culturas e muitos sentimentos, resumidos em poucas páginas. A essência dos sentimentos e situações é bem compreensível, mas sempre acho chocante um escritor abordar tantas coisas em um único livro. 

Pra mim não foi uma leitura muito rápida. Me arrastei bastante pra ler. Mas isso foi minha antipatia com o livro. Confesso que prefiro o Guardião de Memórias, embora também não seja um livro muito bom, na minha opinião. De qualquer maneira, separei três contos para contar aqui no blog.

Equilíbrio conta a história de um casal que viaja com seu circo itinerante. Depois de muitos anos de união, eles começam a se questionar sobre seus sentimentos e se suas vidas não se tornaram muito pacatas e repetitivas. Gostei desse conto porque ele se reproduz facilmente na vida real. Caso dos meus pais, hoje separados, mas que por 20 anos tentaram um relacionamento que não satisfazia nenhum. 

O Convite conta a história de Joyce, uma mulher que vive a cerca de sua comunidade. De repente uma nova jovem chega na cidade. Como faz todas as vezes, Joyce a convida para o chá, conta como são os costumes e hábitos e durante a conversa subestima a linda menina. Joyce está a dias aguardado a chegada do convite da grande festa do sultão, o homem mais poderoso da região, quando descobre que a novata foi convidada e ela não. E o melhor, Joyce passa o ano contando sua entrada triunfal na festa do ano anterior quando descobre que cometeu um grave erro com suas roupas e por isso não foi convidada novamente.

Não só por dar nome ao livro, mas o conto Os segredos do Rei do Fogo é o melhor. E conta como um jovem superou seu mestre, e foi superado pelo seu aprendiz. O fogo na verdade faz parte do número de magia que ele apresenta em um circo. E claro, é a atração principal. Até que vê uma linda jovem e seu irmão. O garoto passa a ser ajudante do "Rei do Fogo", que permite a presença do menino por interesse em sua irmã. Outro personagem que subestima os outros e perde tudo. Se muda, sofre por anos pela perda da moça, quando descobre que a vida lhe pregou uma grande lição!

Beijos!

Correio #7

21 de outubro de 2010


Beijos!


Correio #6

14 de outubro de 2010


Beijos!

A culpa é dos teus pais de Maristela Scheuer Deves

12 de outubro de 2010






O que o assassino quer dizer com essa mensagem aparentemente sem sentido que deixa junto ao corpo de suas vítimas? É isso que a repórter iniciante Guisela que descobrir. No entanto, as vítimas parecem não ter nada em comum, a não ser a morte pelas mãos do maníaco - e mesmo essas mortes são totalmente diferentes entre si. E quando finalmente encontra uma pista, Guisela descobre que pode estar na lista do serial killer.


A culpa é dos teus pais no SKOOB |


Esse é o primeiro livro da jornalista Maristela Deves e eu gostei. Sempre é complicado falar sobre o primeiro livro de alguém. Embora críticas sejam boas, muitas vezes elas podem ser uma pedra no sapato do escritor. Mas o livro tem uma boa trama. 

O universo é o do jornalismo, nada mais lógico eu gostar porque em agosto de 2011 [uipi õ/] estarei formada nessa magnífica [as vezes nem tanto] profissão. E porque a protagonista Guisela é uma foca, assim como todos os estagiários e recém formados em jornalismo. E por se passar dentro do universo de uma redação de jornal, quem trabalha e estuda jornalismo vai saber [e se identificar] como funciona e quem não conhece, vai descobrir um pouquinho mais. 

O fato é que Guisela, como praticamente todos os focas, faz matérias de dia-a-dia. Tudo muito normal e sem nenhuma emoção. Até que ela teve uma grande oportunidade de escrever de verdade graças a um assassinato no seu horário de plantão. E é aí que começa a emoção da história. Como o título diz, esse é o bilhete deixado pelo assassino junto ao corpo de suas vítimas. Todas mortas de uma maneira diferente. Pessoas sem nenhuma ligação com a outra. 

A polícia, mesmo com todas as investigações, não consegue relacionar as mortes e encontrar o assassino, então Guisela resolve fazer uma investigação paralela a da polícia. E nessa busca por respostas ela encontra várias pistas, mas nenhuma que definitivamente a leve ao assassino... até que... ele vem até ela. A agonia é tanta que até o leitor começa a pensar nos motivos, mas até o final não encontra razões.

E ai começa a surgir as respostas. De uma conversa com um colega de trabalho e um comentário dos mais normais [isso sempre acontece com a gente; ficamos um tempão pensando em um filme ou uma música e não tem jeito de lembrar o nome ou o cantor/ ator, até que aquele amigo faz uma piadinha e pimba! tu lembra]. Aí as peças começam a se unir e tudo passa a fazer sentido... Só que Guisela, ao descobrir a razão das mortes, descobre também que corre perigo, e... E aí você vai precisar ler o livro pra descobrir. Tirando a palavra serial killer que aparece muitas vezes, o livro é uma boa leitura pra quebrar uma onda de série ou talvez até, uma leitura mais rápida.

Beijos!

Sussurro de Becca Fitzpatrick

5 de outubro de 2010






Sussurro
#1 Hush Hush
Autora: Becca Fitzpatrick
Editora: Intrínseca
Edição: 2010
Páginas: 264
Skoob | Goodreads
Compre no Submarino
Os olhos de Patch eram como órbitas negras. Absorviam tudo e não devolviam nada. Não que eu quisesse saber mais sobre eles. Se não gostei do que vi por fora, duvidava de que fosse gostar do que espreitava lá no fundo. O único porém é que isso não era bem a verdade. Eu adorei o que vi. Músculos longos e esguios nos braços, ombros largos, mas relaxados, e um sorriso que era meio debochado, meio sedutor. Estava difícil convencer a mim mesma de que deveria ignorar algo que já começava a parecer irresistível.


Outros livros #1

30 de setembro de 2010


Beijos!

Diários do Vampiro: Reunião sombria de L.J. Smith

28 de setembro de 2010






Apesar de para sempre marcados pela tragédia, Bonnie, Meredith e Matt tentam retomar o rumo de suas vidas. Até que sonhos e premonições alertam Bonnie que um mal antigo e poderoso ameaça todos e é preciso buscar ajuda... Com a morte de Elena, Stefan e Damon deixam Fell's Church e voltam a vagar pelo mundo sob a cruz de sua sina: a sede de sangue. Mas um chamado inesperado os coloca novamente no caminho de Elena - e daqueles que ela ama. Presa entre a vida e a morte, Elena permanece ligada a Stefan, por quem se sacrificou. Mas, quando um grande perigo ameaça a cidade e seus amigos, o destino oferece a ela mais uma chance de reencontrar o amor.

Atenção, contém spoilers!

Foi difícil ler esse livro. Confesso. Claro que isso está muito ligado ao fato de eu ter adorado A fúria e pra mim não fez nenhum sentido a continuação. Mas eu já tinha comprado o livro, então não tinha motivos pra deixar ele guardado, sem ler. Então, vamos a ele.

Como todos da série, por vezes a narrativa é tão chata que dá vontade é de jogar o livro na parede, pra ver se muda alguma coisa. Achei esse livro bem pior nesse ponto. Com muitas passagens cansativas e pouco significativas. 

Bonnie como "protagonista" é algo que NÃO dá pra tolerar. Durante toda a série foi uma personagem chata e medrosa. Meredith já foi mais interessante. Por vezes a história deu a entender que ela poderia ser do mau, mas achei um exagero o fato dela não demonstrar sentimentos, sempre naquela coisa de durona. Bonnie e Meredith são um exagero de personalidades opostas. 

Elena está em um lugar que não fica bem claro. Não é céu, não é Terra, é o meio termo? Achei outro exagero a narrativa "endeusar" tanto a Elena. É lógico que quando perdemos alguém que amamos, sentimos falta, relembramos os momentos passados e ficamos revoltados quando a maioria das pessoas esquece. Mas ela é descrita no livro quase como um mito, uma imortal. Não é pra tanto. 

Stefan sempre naquela de culpado. Achando que tem que salvar o mundo, cuidar de todos e também julgar todos. E Damon, pra mim, foi o melhor personagem do livro. Embora ele apareça bem menos que nos outros volumes da série, a mudança de comportamento dele foi algo que não radicalizou sua personalidade. 

E o fim? Não existe aquilo! Tudo bem que é uma história de ficção e tudo mais, mais não ressuscitar uma personagem, né! Exagero. Minhas expectativas eram baixas pra esse livro. Por vezes me surpreendi, mas na maioria do tempo simplesmente não entendi o rumo da história. Não entendi a mensagem do livro. 

Li em muitos blogs resenhas e comentários positivos, e por momentos também gostei. Mas no geral, pra mim, não foi um livro essencial.

Beijos!

Correio#5

18 de setembro de 2010


Beijos!


Diários do Vampiro: A fúria de L.J. Smith

16 de setembro de 2010








Elena foi avisada: amar um vampiro é perigoso demais. Mas o destino de Elena, apesar de assustador, atende aos seus desejos. Ao lado de Damon, ela terá que reaprender tudo enquanto um Outro Poder misterioso e sedutor a perturba e atrai. Damon agora tem sua escolhida ao seu lado. Sua busca por vingança terminou? Uma força sombria e terrível renasce para forçá-lo a fazer uma escolha. Stefan sabe que precisa pôr um fim ao pacto de vingança com Damon - por Elena, mas também por si mesmo. Quando o passado se impõe entre os três, ameaçando destruir o que sua amada mais preza, chega a hora de se unir e esquecer as diferenças.

Muito bem. Cheguei ao terceiro livro de Diários do Vampiro. E como li e vi muito por aí, até agora, também achei o melhor. No entanto, a escritora L.J. Smith me causa uma sensação de amor e ódio com essa série. Adoro os finais. São empolgantes e curiosos. Mas o livro seguinte sempre começa devagar. Sem emoção. De certa maneira, é uma luta chegar na parte emocionante de novo.

O grande mérito desse livro, pra mim, além de tudo que acontece com Elena, Damon e Stefan são os sentimentos. É a dúvida, o terror, escolher entre o bem e o mau, perceber que as vezes o mau prevalece e decidir o caminho. Escolher! Elena escolheu. Stefan escolheu e Damon também escolheu.

Outros personagens como a Bonnie e o Matt começam a tomar forma, assim como Alaric. Difícil não fazer uma comparação com o seriado, onde esses personagens são fundamentais desde o início. Confesso que apesar de ter uma boa imaginação não me passou pela cabeça o rumo e o final do livro como foram. Por isso mesmo gostei ainda mais de A fúria.

Reunião Sombria é o próximo e já tirei ele da estante. Mas confesso que vou começar a ler com uma visão um tanto conservadora. Acho que o desenrolar da história foi perfeito em A fúria. Não entendo porque um próximo livro. Mas vou tentar não julgar antes do fim. E quem sabe daqui uns dois ou três dias eu já poste a resenha sobre ele.

Finalizando e resumindo: até agora o melhor livro. Não achei necessário uma continuação. E embora o começo tenha sido apático, o livro vale muito a pena...

Beijos!

True Blood - 3ª temporada (Evil is Going On)

15 de setembro de 2010


Sim. Pela primeira vez vou escrever sobre série. E a escolhida é True Blood. É claro que por um motivo simples: a temporada acabou no último domingo. E também porque não entendi mesmo o último episódio Evil is Going On. Sério, eu não entendi. Por isso o post tem uma função bem clara, quero que vocês comentem o que acharam desse episódio porque baseado nisso eu vou tentar entender. 

Então, partindo do ponto de que não li os livros. Isso não influencia na minha compreensão. Eu acho. Além disso, a terceira temporada pra mim foi de amor e ódio. Episódios sensacionais e outros nem tanto. 

(contem spoilers)
Mas minhas considerações sobre o episódio final são:
  • Foi de longe o episódio mais engraçado da Sookie. Amei ela. E a risada demoníaca? E ela expulsando o Bill de casa? E o Eric fazendo de tudo pra separar os dois? Muito bom.
  • O Bill ficou muito mais chato nessa temporada. PeloamordeDeus! Se eu gostava tanto dele antes, agora não dá mais.
  • Se o Bill ficou mais chato, o Eric ficou muito mais interessante. Confesso que gostaria muito que a Sookie ficasse com ele, mas vai saber. E a volta dele, cheio de cimento, pra estragar o final feliz do casal? A-D-O-R-E-I. #Aloka
  • A Pam continua ótima. 
  • A Tara não entendi muito bem qual é a dela no seriado.
  • O Sam, não sei o que pensar sobre ele...

Bom, pra que ainda não assistiu o episódio final da terceira temporada de True Blood pode assistir aqui: http://www.tudoonlinebr.com/2010/06/assistir-online-true-blood-3-temporada.html

E por favor, me ajudem a entender.
Beijos!

Marcadores #1

13 de setembro de 2010

Sei que tem muita gente que é fã de marcadores. Como eu. Tinha pensando em esperar a Feira do Livro do mês que vem e sortear mais de um. Mas resolvi sortear esses marcadores antes. 

Vale a pena ter um desses só pelo fato deles serem diferentes. Foram feitos para divulgar um projeto da universidade onde eu estudo. Uma ação pra auxiliar os alunos na produção e correção de textos. Consegui salvar alguns pra distribuir aqui. :)

Então, são quatro marcadores.
Quem quiser um deles é muito simples. Simples mesmo. 
Precisar ser seguidor do blog publicamente. 
É só deixar um comentário nesse post dizendo que quer um marcador junto com um email de contato
Ter um endereço de entrega no Brasil e .

Os quatro primeiros levam!