As greves

8 de julho de 2009


Eu fico em dúvida em relação as greves. Todas elas. Seja de trabalhador da indústria, da saúde, da construção civil. Muito ouvi de pessoas como meu pai e minha mãe, avós, tios sobre as greves. Como elas eram freqüentes há 30, 40 anos. E acredito que no passado eram de fato compreendidas pelos operários que nela estavam, que participavam.

A minha impressão atual (desculpe se estiver errada) é que as greves são um movimento de poucos, apoiado por muitos, que tem mais interesse na decisão final do que propriamente em participar dela. O grande número de participantes é muito ligado ao período em que ela ocorre.

Vamos ser sinceros. Enquanto seus colegas estão na praça, cobrando um reajuste de 10% no salário, você vai ficar trancado no seu setor fazendo o trabalho por três? Salvo umas almas (talvez não encha uma mão) que ficam de cabeça baixa achando tudo isso o fim da picada. Os mesmo que prezam seu emprego e sabe da importância do mesmo para o sustento da família.

Acredito que todos nós temos o direito de protestar e cobrar de nossos chefes, políticos e colegas um situação melhor no trabalho, na faculdade (escola) e no meio social. Mas é indispensável conhecer o que se busca e os motivos. Sem participação, é só mais uma cabeça entre tantas outras. Só volume, nada de conteúdo.